Capa
Cadastro
Textos
Áudios
Autores
Mural
Escrivaninha
Ajuda
Textos
Texto

INSANA

Meus olhos caem, doem de pranto.
A mascára da loucura era sana.
Do corpo carnal nada emana - sou bossal!
Boca suja do lixo, rasgo provérbios.
Improviso qualquer oração - Deus nenhum me ouviria mesmo!
Esqueci o metal - vil metal!
Não é preciso...
como sonhos dormidos e bebo pesadelos.
Rabisco a areia da praia, pixo o céu com blasfêmias,
derrubo estrelas com meus impropérios.
Embriagada de tédio corro num carro velho atropelando a vida
e omitindo socorro.
Brigo com o vizinho, prendo o passarinho, chuto o cachorro
e morro....
morro de rir.

            Laura Duque.
Laura Duque
Enviado por Laura Duque em 26/11/2005
Código do texto: T76713
Enviar por e-mail
Denunciar

Comentários

Sobre a autora
Laura Duque
Cabo Frio - Rio de Janeiro - Brasil, 48 anos
294 textos (23187 leituras)
(estatísticas atualizadas diariamente - última atualização em 11/12/16 10:09)
Laura Duque