Capa
Cadastro
Textos
Áudios
Autores
Mural
Escrivaninha
Ajuda
Textos
Texto

PENSAMENTO LIVRE (III)


Sonetos do poeta Malume (Manoel Lúcio de Medeiros)


O mal é sempre fruto do ocioso,
Que busca destruir o que não fez,
E a inveja rói como potassa,
Na vida de quem nunca aprendeu!

Se Deus me deu o dom, nesta memória,
Eu sempre escreverei o que for meu,
A letra é como o portal de uma glória,
Que resplandece ao brilho do apogeu!

Será sempre a lei “da semeadura,”.
Cada um ceifar o que plantou,
Quem no seu coração cultiva os males,

Jamais pode colher “frutos de amor”!
Deixe a letra gerar “pensamentos”,
Mas nunca aborte os versos do autor!




Direitos autorais reservados!
Malume
Enviado por Malume em 01/12/2005
Código do texto: T79286
Enviar por e-mail
Denunciar

Comentários

Sobre o autor
Malume
Fortaleza - Ceará - Brasil
452 textos (16874 leituras)
(estatísticas atualizadas diariamente - última atualização em 08/12/16 18:39)
Malume