Capa
Cadastro
Textos
Áudios
Autores
Mural
Escrivaninha
Ajuda
Textos
Texto

PODER DA ÁGUA

Vamos falar em água viva,
Que é o nome do meu livrinho,
Que é água do meu sertão,
Que é água que nós batizamos,
Que da água nos fizeste cristão,
Água nos deu o espírito santo,
A água tem uma razão

Água tu tem mil razões,
Porque todos os seres vivos,
Tem você no coração,
Tu és a bebida mais gostosa deste Brasil,
Deste mundão,
Água que não dorme,
Água do meu coração

Se eu for na fonte beber,
É porque eu tenho sede,
Não é pra ver as piabinhas no fundo da água correr,
Elas vão na fonte, procurar alimentação,
Até que chegue o maldito anzol ferrando o seu coração,
Água viva, água minha, água do meu sertão

Quando cai a chuva,
Que vem o ronco do trovão,
Que levanta o cheiro gostoso da terra,
Me dá muita recordação,
Me lembro do mutirão,
Me lembro do meu sertão,
Se lá eu estivesse com minha água viva,
Se lá eu estivesse com minha água viva,
Teria mais satisfação

Como eu errei em sair do meu sertão,
Deixei de beber a água viva,
Deixei as minhas criações,
Não plantei o pé de feijão,
Não vesti minhas roupas grossas,
Feita de puro algodão,
Hoje vivo na cidade grande,
Que tristeza,
Que paixão

Na cidade grande também se vive,
É duro de acostumar,
A gente vive pensando na chuva,
E na hora de plantar,
Os trovões balançam a gente,
Vendo aí a hora de chegar,
Plantar nossos grãozinhos e a colheita esperar

Colhe arroz,
Colhe mandioca,
Colhe feijão,
Colhe abóbora,
Colhe batata,
Também colhe algodão para fazer nossas roupas,
Pra fazer nosso colchão,
Lavoura minha querida, lavoura do meu coração

Deus já me inspirou,
Já estou inspirado,
Pra cantar os meus versinhos,
Pra ti minha namorada,
Bebendo água viva que brota do cerrado,
Onde canta a Sariema,
Onde canta as passaradas,
Também canto pra vocês,
Neste sertão enluarado

Sertão de um povo sério, humilde e trabalhador,
Planta e colhe sua lavoura,
Derrama o seu suor,
Quando chega a sua casa,
Cansado que faz dó,
Este homem não tem apoio,
Este homem vive só,
Só Deus que olha por ele,
Pra dizer coisa melhor

Este homem esta livre,
Da grande contaminação,
Bebe sua água da mina,
Sem ter complicação,
O remédio deste homem são as raízes do sertão,
Este homem não tem doença,
Não sofre do coração,
Só o tal barbeiro que pode te dar complicação.


Matos
Enviado por Matos em 14/12/2005
Código do texto: T86036

Esta obra está licenciada sob uma Licença Creative Commons. Você pode copiar, distribuir, exibir, executar, desde que seja dado crédito ao autor original. Você não pode fazer uso comercial desta obra. Você não pode criar obras derivadas.
Enviar por e-mail
Denunciar

Comentários

Sobre o autor
Matos
Goiânia - Goiás - Brasil, 83 anos
14 textos (707 leituras)
(estatísticas atualizadas diariamente - última atualização em 10/12/16 19:01)
Matos