Capa
Cadastro
Textos
Áudios
Autores
Mural
Escrivaninha
Ajuda
Textos
Texto

Pós-Mortem

Aconteceu ontem e ainda está doendo
Só lamento, choro e me arrependo

Não posso reclamar da minha vida
Amigos prestativos, e eu água causa dolina
Momentos sensacionais, e eu de face caída
Família presente, e nada mais que falto fui
Agora resta lamentar, entre as nuvens e as chamas

Ouvi parábolas de monastérios católicos
Vi homens e mulheres apaixonados, bucólicos
E o que consegui foram comas alcóolicos
Cólera invejosa, maldade similar infernal
Nem um amor tive pra levantar o meu astral
Do jeito que vivi isso é até natural
E apesar de tudo não entreguei meu caráter ao mau

Soube entender as pessoas, como elas jamais me entenderam
Absorvi calado meu sofrimento, que elas nunca sofreram
Fui amigo fiel confidente, e por isso me sinto contente
Pesando a vida em uma grande balança
Acho que sempre fui digno de grande confiança
Preferi ser amável a montano
Escolhi responsável a insano
Passei dessa pra melhor desumano

Nossa passagem pelo mundo é misteriosa
Estamos sendo controlados por uma força grandiosa
Comemoram bem e mal, eleutérias em polvorosa

Meu tempo acabou com todos aqueles que amei
Resta aceitar os outros que amarei
E desta vez não pode haver recaída
Nem vida sofrida
Vim só dar
Despedida.
Segundo Lipe
Enviado por Segundo Lipe em 20/12/2005
Código do texto: T88723
Enviar por e-mail
Denunciar

Comentários

Sobre o autor
Segundo Lipe
São José dos Pinhais - Paraná - Brasil, 31 anos
6 textos (164 leituras)
(estatísticas atualizadas diariamente - última atualização em 11/12/16 08:07)
Segundo Lipe