Capa
Cadastro
Textos
Áudios
Autores
Mural
Escrivaninha
Ajuda
Textos
Texto



Poema ou talvez o eterno lamento
do meu ser que busca
encontrar-se por entre labirintos,
inúmeros pensamentos e recordações.

Eu sou alguém vindo de muito longe
trazendo nos braços o arco da aliança
resplandecente de cores e anseios

E sofro porque esse arco deveria ter-se enlaçado
com o que foi dado a cada companheiro meu

Peregrina …Busco-me por entre o escuro
procurando o fúlgido elo de outro coração
batendo a toada inocente de uma criança
que acabou de surgir. E como tal

Estendo os braços indefesos
ofereçendo nos meus dedos
grinaldas de flores abertas
para que outras se enlacem nelas
e os perfumes ascendentes
nos levem de novo aos céus

Vou como um cego que sabe
por demais os caminhos de Deus
pois não me conduzem fúteis apelos
mas o alvo escolhido pelo meu coração





Lisboa, 5/1/2006



Maria Petronilho
Enviado por Maria Petronilho em 06/01/2006
Reeditado em 23/09/2006
Código do texto: T95043
Classificação de conteúdo: seguro

Esta obra está licenciada sob uma Licença Creative Commons. Você pode copiar, distribuir, exibir, executar, desde que seja dado crédito ao autor original (Maria Petronilho (registo www.igac- ref 2276/DRCAC - Ministério da Cultura, Portugal)). Você não pode fazer uso comercial desta obra. Você não pode criar obras derivadas.
Enviar por e-mail
Denunciar

Comentários

Livros à venda

Sobre a autora
Maria Petronilho
Almada - Setúbal - Portugal, 64 anos
1238 textos (130523 leituras)
60 áudios (14347 audições)
9 e-livros (5156 leituras)
(estatísticas atualizadas diariamente - última atualização em 05/12/16 02:50)
Maria Petronilho

Site do Escritor