Capa
Cadastro
Textos
Áudios
Autores
Mural
Escrivaninha
Ajuda
Textos
Texto

HAICAI (JAPONÊS, HAIKU)

-----------------------------------------------------

Estudos Literários

 

 

1 – Origem e Forma

• De remota e incerta origem (dizem que foi inventado por um monge budista de nome Socau). Considera-se como seu berço a waka, depois chamado de tanka (poesia curta e elegante). Cultivado por aristocratas e cortesãos, estes, por brincadeira, fragmentavam-no em duas estrofes, de cinco, sete, cinco e sete, sete sílabas japonesas (onji, que significa: sons de símbolos), escrita por duas pessoas, ou seja, uma escrevia a primeira estrofe e outra a segunda, dispostas em ordem original ou invertidas. Com essa nova estrutura passou a ser chamado de tan renga.

• Sob a influência dessa nova estrutura, os poetas passaram a adicionar novas estrofes, que atingiam de quando em quando a casa das cem sílabas, passando a ser chamado simplesmente de renga, isto é, poemas cômicos de versos em cadeia.

• No século XVII o grande mestre de renga Matsuo Basho (1644-1694), chamou de hokku a estrofe de três linhas que iniciava a renga e de haikai as demais estrofes. Com Matsuo, o haicai ganha a definição, a grandeza e a solenidade que o distinguem até hoje.

• O haicai, como se vê hoje, é um tipo de poema caracterizado pela brevidade, destituído de rima no esquema original, composto em 17 sílabas, divididas em três versos de cinco, sete e cinco sílabas. O haicai pressupõe a leitura silenciosa, visual e mental a um só tempo. Chegou ao Brasil no início do século XX e hoje conta com muitos praticantes e estudiosos brasileiros.

No transplante do haicai para a nossa literatura, algumas das regras originais são seguidas com maior ou menor fidelidade, enquanto outras são até mesmo ignoradas, se moldando ao gosto do praticante.

 

2 - Conteúdo

• Semelhante pela forma à Epigrama, o haicai deve concentrar em reduzido espaço um pensamento poético e/ou filosófico, geralmente inspirado nas mudanças que o ciclo das estações provoca na natureza. A menção à natureza é feita através de um “termo da estação”, mais conhecido pela palavra japonesa kigo (palavra ou expressão associada a uma entidade natural) que indica quando foi escrito, por exemplo, nesse haicai de Paulo Leminski:

primeiro frio do ano

fui feliz

se não me engano

• Nesse haicai temos como kigo, ou seja, termo de estação, a palavra «frio», indicando o inverno.

O haicai pressupõe a leitura silenciosa, visual e mental a uma só tempo, de modo que se fundam a carga semântica e a massa sonora, a percepção e o significado. Desse modo, seres e mundos normalmente afastados de repente se aproximam, sem qualquer nexo de causalidade, sem nenhum apelo ao intelecto ou à moralidade.

• Desprovido da carga simbólica o haicai anseia por atingir o máximo de simplicidade e o mínimo de descrição. Rejeita os temas ligados à guerra, animais ferozes, pestes, cataclismos, enfim, tudo o que semelha atentar contra a vida humana. Por outro lado, as dezessete sílabas parecem equivaler a uma emissão de fôlego, emanação da própria alma, ou atestam no jogo cinco, sete, cinco, os três movimentos da existência humana: ascensão, apogeu-decadência. Vejamos, numa tradução livre, um exemplo de haicai, composto por Matsuo Basho:

Noite de primavera:

As cerejas! Para elas

A aurora despontou!

• Na Literatura Brasileira o haicai tem sido cultivado por uma série de poetas, dentre os quais merece relevo Guilherme de Almeida. Todavia, os tem feito rimando os versos extremos:

Lava, escorre, agita

A areia. E enfim, na bateia,

Fica uma pepita.

_________________________________

Ajudaram na elaboração deste glossário:

Alfredo Bosi - História Concisa da Literatura.

Assis Brasil – Vocabulário Técnico de Literatura

Massaud Moisés - A Criação Poética.

Se você encontrar erros (inclusive de português), por favor, me informe.

Agradeço a leitura do texto e, antecipadamente, quaisquer comentários.

Ricardo Sérgio
Enviado por Ricardo Sérgio em 08/01/2006
Reeditado em 17/12/2008
Código do texto: T96029

Esta obra está licenciada sob uma Licença Creative Commons. Você pode copiar, distribuir, exibir, executar, desde que seja dado crédito ao autor original. Você não pode fazer uso comercial desta obra. Você não pode criar obras derivadas.
Enviar por e-mail
Denunciar

Sobre o autor
Ricardo Sérgio
Campo Grande - Mato Grosso do Sul - Brasil, 69 anos
1281 textos (21209696 leituras)
7 e-livros (8551 leituras)
(estatísticas atualizadas diariamente - última atualização em 09/12/16 19:27)
Ricardo Sérgio