Capa
Cadastro
Textos
Áudios
Autores
Mural
Escrivaninha
Ajuda
Textos
Texto

Versos do sofrer

a dor
urge que a tenha sempre à mão
quando em vontade
se arquitete a desnecessidade
da razão

e sofro de mim
quando entristeço
coisa que não seja tal
e que nem seja tanto
quanto pareça

e consumo a mágoa
como tentativa
de me dizer não eu
desconstruindo a vida

sofro
com a compleição e o jeito
de restar de mim
aquilo que não devo

e no que não devo
há sempre o mêdo
de não me sobrar no sonho
que consumo
e em que não creio

sofro
como a circunstância
que sofre de mim
a perseverança

e no que não creio
já me permito
ter da razão
algum indício triste
Aurélio Aquino
Enviado por Aurélio Aquino em 15/01/2006
Reeditado em 10/09/2009
Código do texto: T99239
Classificação de conteúdo: seguro

Esta obra está licenciada sob uma Licença Creative Commons. Você pode copiar, distribuir, exibir, executar, desde que seja dado crédito ao autor original (copyright by Aurelio Aquino). Você não pode fazer uso comercial desta obra. Você não pode criar obras derivadas.
Enviar por e-mail
Denunciar

Comentários

Sobre o autor
Aurélio Aquino
João Pessoa - Paraíba - Brasil, 64 anos
375 textos (11647 leituras)
(estatísticas atualizadas diariamente - última atualização em 07/12/16 12:34)
Aurélio Aquino

Site do Escritor