Capa
Cadastro
Textos
Áudios
Autores
Mural
Escrivaninha
Ajuda
Textos
Texto

6955-ETERNA BIBI FERREIRA-MUSICAL NO SESC PALLADIUM-12/10-2019 - Acróstico-in memoriam nº 6955 Por Sílvia Araújo Motta/BH/MG/Brasil

6955-ETERNA BIBI FERREIRA-MUSICAL NO SESC PALLADIUM-12/10-2019
-
Acróstico-in memoriam nº 6955
Por Sílvia Araújo Motta/BH/MG/Brasil
-
E-Eternizada no Teatro e Cinema Bibi Ferreira
T-Tem sua estrela a brilhar nos corações
E-Emocionados, com interpretações à sua maneira,
R-Rara, idiossincrática, nos fados e nos tangos,
N-Nos trechos de Óperas, plena de talentos
A-A surpreender o público, com suas facetas.
 -
B-Bibi Ferreira, símbolo de Amor, Coragem, Alegria,
I-Inspiração empoderada de si e do próximo...
B-Brilha, a partir dos 96 anos, nos palcos eternos.
I-Imortal na terra encanta-nos até nossos dias.
 -
F-Fomos ao SESC Palladium! Que belo espetáculo!
E-Em  [BIBI FERREIRA: Uma Vida em MUSICAL]
R-Realização total de NEGRI e TINOCO Produções.
R-Revelações no texto de Artur XEXÉO e Luanna Guimarães.
E-Elenco afinado, sem deslizes. Direção geral de Tadeu Aguiar.
I-Importantes Equipes despertaram nossas emoções.
R-Repertório Musical levantou o público do lugar.
A-Aplausos sinalizaram a aprovação das apresentações.
---PARABÉNS! QUE SAUDADE DA BIBI.!---
-
Belo Horizonte, Minas Gerais, Brasil, 12 de outubro de 2019.
https://www.recantodasletras.com.br/acrosticos/6768215
https://academiadeletrasdobrasildeminasgerais.blogspot.com/2019/10/show-imperdivel-no-sesc-palladium-bh.html
-
BIBI FERREIRA-VIDA E OBRA
-
1-* 01/Jun/1922/RJ-+ 13/Fev/2019/RJ-(96 anos)
2-Filha do ator brasileiro Procópio Ferreira e da bailarina argentina Aída Izquierdo.

3-CURIOSIDADES:

*Fez sua estreia teatral com pouco mais de vinte dias de vida, na peça Manhãs de Sol, de autoria de Oduvaldo Vianna, substituindo uma boneca que desaparecera pouco antes do início do espetáculo po, até estrear na companhia do pai.

*Corpo de Baile do Teatro Municipal do Rio de Janeiro, onde permaneceu por longo temSua estreia profissional nos palcos aconteceu em 28 de fevereiro de 1941, quando interpretou "Mirandolina", na peça La locandiera.

* Completou o curso secundário no Colégio Anglo-Americano.

*  Em 1944, montou sua própria companhia teatral, reunindo alguns dos nomes mais importantes do teatro brasileiro, como Cacilda Becker, Maria Della Costa e a diretora Henriette Morineau.

*Trabalhou em Portugal:
 em Portugal com grande sucesso, principalmente teatro de revista, entre as quais:
1957 — "Há Horas Felizes!" - Teatro Variedades[3]
1957 — "Curvas Perigosas" - Teatro Maria Vitória[4]
1958 — "Com o Amor Não se Brinca" - Teatro Maria Vitória[5]
1958 — "Minha Filha é de Gritos!" - Teatro Maria Vitória[6]
1958 — "Por Causa Delas…" - Teatro Maria Vitória[7]
1959 — "Encosta a Cabecinha e Chora..." - Teatro Maria Vitória[8]
1959 — "Tudo na Lua" - Teatro Maria Vitória [9]
1960 — "Taco a Taco" - Teatro Maria Vitória [10]
-
* Na década de 1960, vieram os sucessos dos musicais, como Minha Querida Dama (My Fair Lady), estrelado por Bibi e Paulo Autran.

*  Em 1960, iniciou a apresentação na TV Excelsior de São Paulo, de Brasil 60 (61, 62, 63, etc, conforme o ano), um programa ao vivo, que durante dois anos levou à televisão os maiores nomes do teatro.

* Em 1970, dirigiu Brasileiro, Profissão: Esperança, de Paulo Pontes

* Em 1972, atuou em O Homem de La Mancha ao lado de Paulo Autran, com tradução de Paulo Pontes e Flávio Rangel

*  em 1975, participou de Gota d'Água, de Chico Buarque e Paulo Pontes.
Em 1976, dirigiu Walmor Chagas, Marília Pêra, Marco Nanini e 50 artistas em Deus Lhe Pague, de Joracy Camargo.

* Na década de 1980, dirigiu Toalhas Quentes, de Marc Camoletti; em 1981, Um Rubi no Umbigo, de Ferreira Gullar, e Calúnia, de Lillian Hellman. No mesmo ano, com sua produção e direção, estreou O Melhor dos Pecados, de Sérgio Viotti, promovendo a volta aos palcos de Dulcina de Moraes, após vinte anos de ausência.

*Em 1983 voltou aos palcos com Piaf, a Vida de uma Estrela da Canção, espetáculo de grande sucesso de público e crítica.
*Por sua atuação recebeu os prêmios Mambembe e Molière, em 1984 e, no ano seguinte, da Associação dos Produtores de Espetáculos Teatrais do Estado de São Paulo (APETESP) e Governador do Estado..
*Dirigiu ainda inúmeros programas de televisão e shows de artistas da música popular brasileira, como Maria Bethânia e Clara Nunes na década de 1970 e 1980.

*Na década de 1990, Bibi Ferreira reviveu seus maiores sucessos, remontando Brasileiro, Profissão: Esperança e fazendo um espetáculo em que cantava canções e contava histórias de Piaf.

*Em Bibi in Concert, comemorou 50 anos de carreira e, depois de anos de temporada, fez o Bibi in Concert 2. Em 1996 recebeu o Prêmio Sharp de Teatro. Encenou Roque Santeiro, de Dias Gomes, em versão musical.

*Em 1999, dirigiu pela primeira vez uma ópera, Carmen de Georges Bizet.

*Em 2003, na Marquês de Sapucaí recebeu homenagem da Escola de Samba Unidos do Viradouro.[11]

* Na década de 2010, Bibi começou a realizar espetáculos focados em apenas um artista, como a francesa Edith Piaf, a portuguesa Amália Rodrigues, e o americano Frank Sinatra.

* Em 2007, após 50 anos afastada do teatro de comédia, volta aos palcos fazendo Às Fa
*Em 2015, entrou para a lista 10 Grandes Mulheres que Marcaram a História do Rio.[13]vas com os Escrúpulos, texto de Juca de Oliveira e direção de Jô Soares

* Aos 95 anos fez sua turnê de despedida com Bibi - Por Toda Minha Vida, espetáculo só com músicas brasileiras.

Fonte: https://pt.wikipedia.org/wiki/Bibi_Ferreira







Silvia Araujo Motta
Enviado por Silvia Araujo Motta em 13/10/2019
Reeditado em 13/10/2019
Código do texto: T6768215
Classificação de conteúdo: seguro

Comentários

Sobre a autora
Silvia Araujo Motta
Belo Horizonte - Minas Gerais - Brasil, 68 anos
7371 textos (813950 leituras)
(estatísticas atualizadas diariamente - última atualização em 11/12/19 17:14)
Silvia Araujo Motta