Capa
Cadastro
Textos
Áudios
Autores
Mural
Escrivaninha
Ajuda
Textos
Texto

Batman e o sentido do herói

Texto de Victor da Silva Pinheiro

Batman e o sentido do herói

            O novo filme “Batman - O Cavaleiro das Trevas”  tem bom roteiro, é um filmão. Porém, deixa um final de filme enigmático: foi certa a atitude do Batman, ao assumir as dores de Duas-Caras e pedir para olhar o seu lado heroico e lembrá-lo pelo seu grande feito e não seu outro lado criminoso e assim, não deixar o Coringa vencer? Primeiramente, devemos discutir uma coisa: a sociedade, a humanidade precisa de heróis, mas, por quê? É o seguinte, os formadores de religiões, considerados avatares pela  teosofia, procuram serem exemplos vivos da mensagem que vem deixar ao mundo  e acabam  por formar  religiões. Buda, Mohamed,  Jesus, Apolônio de Tiana, Zaratustra,  Krishna, Moisés, Confúcio, Lao-tsé,  Hermes  Trismegisto,  Orfeu, Noé, dentre outros, foram todos avatares, homens perfeitos que vieram a Terra com uma missão: religar os  homens  a  Deus. Porém,  esses  homens  estão  muito distantes de nós e para  nos aproximamos deles, precisamos dos heróis, que não são perfeitos como um avatar, mas estão  acima de nós. Eles são uma espécie de ponte entre nós e os avatares. Tem os mesmos erros que nós, humanos, mas tem qualidades tão amplas como a de um avatar. Os super-heróis, que são próprios das histórias em quadrinhos, tem superpoderes, próprio de um mundo fictício hoje. Porém, parafraseando Nietzsche, quando menos se espera, os superpoderes podem aparecer no super-homem (que Nietzsche descreve que é o herói que Zaratustra tanto procura no livro “Assim Falou Zaratustra”).
            Batman escolheu ser um cavaleiro das trevas e deixar um herói para a cidade de Gotham que é o Duas-Caras, o promotor que prendeu centenas de pessoas envolvidas com a máfia, porém que a cidade de Gotham só conhece uma cara do Duas-Caras. Porém, Batman não pode se esquecer de que ele, Batman, é que é o verdadeiro herói. Foi ele que trouxe o contador chinês para Gotham usando sua tecnologia que é os seus superpoderes,  o que o diferencia de todos os outros super-heróis de quadrinhos. Hoje, vemos muitos poderosos usando o dinheiro para o mal, a tecnologia a serviço do mal, Porém, Bruce, que é o Batman, a utiliza para um sentido nobre: manter limpa sua cidade da bandidagem. Parafraseando Nietzsche,  “o super-homem (o herói) é uma corda atada entre  o homem e o divino.” E essa frase tem muito haver com o Batman do filme: O Cavaleiro das Trevas, aquele que ver nas trevas, ver com mais facilidade a corrupção em volta.

Autor: Victor da Silva Pinheiro

Autor: Victor Da Silva Pinheiro

Site de registro:

www.recantodasletras.com.br/autores/vitorgeo10 (Livros, Áudios, Poesias, Crônicas Filosóficas, Crônicas Cristãs)

Outros Sites:

www.vitorgeo7.blogspot.com (Poesias, Crônicas Filosóficas, Crônicas Cristãs)

Facebook: Victor Da Silva Pinheiro (Vídeos, Fotos, Poesias, Crônicas Filosóficas, Crônicas Cristãs)
Vitor da Silva Pinheiro
Enviado por Vitor da Silva Pinheiro em 13/12/2018
Reeditado em 15/01/2019
Código do texto: T6526174
Classificação de conteúdo: seguro

Copyright © 2018. Todos os direitos reservados.
Você não pode copiar, exibir, distribuir, executar, criar obras derivadas nem fazer uso comercial desta obra sem a devida permissão do autor.
Enviar por e-mail
Denunciar

Comentários

Sobre o autor
Vitor da Silva Pinheiro
João Pessoa - Paraíba - Brasil, 35 anos
52 textos (628 leituras)
8 áudios (116 audições)
3 e-livros (55 leituras)
(estatísticas atualizadas diariamente - última atualização em 25/06/19 12:43)
Vitor da Silva Pinheiro