Capa
Cadastro
Textos
Áudios
Autores
Mural
Escrivaninha
Ajuda
Textos
Texto

O MITO DE PANDORA


O Mito de Pandora.
Uma Lição de Esperança.

Zeus – o deus supremo da mitologia grega - é fruto de uma complicada teogonia, assemelhada à genealogia humana. Bravo e vingativo, o deus dos gregos casou-se inúmeras vezes, gerando uma sucessão de outros menores: Apolo, Hebe, Hermes, as Musas, etc.
Diz-se do estranho chefe do Olimpo que havia ódio em seu coração; e tinha prazer
em castigar os homens. Certa vez, para vingar-se de certo humano de nome Prometeu, ladrão de uma faísca do sol para com ela iluminar a inteligência dos homens, o mal-humorado superintendente celeste resolve castigá-los, fazendo-os se perder para sempre por meio de uma mulher extremamente bela, detentora de todos os dons, Pandora, a primeira mulher!
Ela é criada e enviada a Epimeteu (o que vê depois), embora Prometeu (o previdente) houvesse aconselhado seu irmão a não aceitar nenhum presente de Zeus, de quem desconfiava muito. Ela traz consigo do Olimpo um presente de núpcias para Epimeteu: uma arca de ouro hermeticamente fechada.
Segundo Hesíodo, o poeta camponês, Pandora teria aberto a caixa levada pela curiosidade ,de onde saem todas as desgraças e calamidades para os homens, os quais viviam tranqüilos e felizes até então. Ao fechá-la, conseguiu prender em seu interior a esperança, por séculos encerrada como uma promessa de retorno aos felizes e ditosos tempos da infância da espécie humana sobre a Terra.
A curiosa lenda traz consigo aspectos interessantes relacionados com outras, e muitos preconceitos existentes.
Sobre a curiosidade da primeira mulher, muito tendo a ver com a indiscrição, não apenas feminina,  pode-se dizer que na história real do ser humano, ela se transformou num terrível defeito, causador de muitas desgraças e calamidades; conduz ao intrometimento, à superficialidade, à vulgaridade, ao efêmero. Compreensível no homem pré-histórico e nas crianças, as quais, de certa forma, reproduzem a evolução da espécie desde os primeiros tempos, e também nos homens de ciência em suas investigações, é inaceitável para o de hoje, quando o torna distante de si , atento a tudo quanto ocorre a seu redor.
O mito de Pandora pode nos levar a muitas conclusões:  desde a inutilidade de um deus vingativo, até a necessidade  de se transcender estados inferiores de evolução; a de rever os preconceitos relacionados com a mulher, cuja graça e beleza não poderiam nunca ser  invólucro do pecado e da desgraça, especialmente encomendados por um Zeus duvidoso.
A esperança, providencialmente encerrada na caixa de Pandora, residiria na possibilidade da superação das condições humanas, a partir da evolução pessoal de cada indivíduo na construção de um mundo melhor.

Nagib Anderáos Neto

www.nagibanderaos.com.br
Nagib Anderáos Neto
Enviado por Nagib Anderáos Neto em 04/09/2019
Código do texto: T6737170
Classificação de conteúdo: seguro

Esta obra está licenciada sob uma Licença Creative Commons. Você pode copiar, distribuir, exibir, executar, desde que seja dado crédito ao autor original (Autoria de Nagib Anderaos Neto www.nagibanderaos.com.br). Você não pode fazer uso comercial desta obra. Você não pode criar obras derivadas.
Enviar por e-mail
Denunciar

Comentários

Sobre o autor
Nagib Anderáos Neto
São Paulo - São Paulo - Brasil
401 textos (96979 leituras)
(estatísticas atualizadas diariamente - última atualização em 17/11/19 05:27)
Nagib Anderáos Neto