Capa
Cadastro
Textos
Áudios
Autores
Mural
Escrivaninha
Ajuda
Textos
Texto

MUITO MAIS QUE UM TÍTULO MUNDIAL: 15/03/2000 – O DIA QUE A PERSEVERANÇA VENCEU!


MUITO MAIS QUE UM TÍTULO MUNDIAL: 15/03/2000
– O DIA QUE A PERSEVERANÇA VENCEU!


“Não tem boca em 2000, o campeão do mundo agora é do Brasil!”: Essa frase gritada de forma ensandecida pelo público presente na arena da final do Campeonato Mundial Cultural promovido por minha fundação era o reflexo da competição mais marcante que eu presenciei.

Este mundial nascera de fato ainda em 1999 quando meus diretores tiveram a feliz idéia de promover uma competição que fosse a nível mundial e que contasse com os melhores de modo a ocorrer um torneio inédito, repleto de pompa e que fosse a coqueluche, o sonho máximo na carreira de qualquer um dos ditos Lírios de Madrid.

Dois representantes europeus (o polonês Illie Hoyev e o britânico Bryan Birmmigham), um asiático (o japonês Akika Okada), uma africana (a moçambiquenha Dominique Specth) e quatro americanos (os brasileiros Marcelo Guido, Alfredo Kottach e Mikka Hans e o canadense Gary Olsen) conseguiram suas vagas. Em Salvador (Bahia) nos dias 14 e 15 de março deu-se o início à disputa em que a taça seria daquele que mais tivesse centrado em ser o número 1.

A certeza que a maioria tinha era de que o título seria polonês. Illie era frio o suficiente para vencer e sem muitas delongas abatar um a um seus adversários. Todos de certo acreditaram nisso e até ele mesmo. Talvez o grande erro de um guerreiro seja de menosprezar adversários. Illie e mais seis adversários chegaram a Salvador já durante o carnaval e aproveitaram toda a festança mágica... Afinal depois da quarta-feira de cinzas ainda sobrariam 7 dias pra voltar o foco... Planejamento mais estúpido e sem propósitos não poderia haver... E a final da competição provaria isso... E como!

Entre os batuques do Olodum e as belíssimas baianas e turistas 6 gênios deixaram de focar suas mentes e corações em dois brasileiros tão iguais e tão distintos que a história certamente não vai se esquecer: Marcelo Guido - o vibrante e apaixonado poeta de Camanducaia/MG e Mikka Hans – o chamado homem de gelo, focado e nada sentimental... Ambos adotaram uma estratégia diferente, mas bem sucedida. Guido foi para um Retiro de Carnaval e Mikka Hans ficou em um mosteiro... Ambos só viajaram no dia 13 de março e fugiram da badalação...

No Grupo A, Mikka venceu Akira e Gary (4 x 2) e empatou heroicamente com Doninique. Nas quartas-de-final eliminou seu conterrâneo gaúcho Alfredo (5 x 5) e na semifinal tirou a quase garantida vaga de Bryan numa das batalhas mais espetaculares daquele mundial (4 x 4).

No Grupo B, Guido (então campeão brasileiro de 98 e campeão da copa das nações de língua portuguesa e da Copa Mercosul de 99) venceu o também brasileiro Alfredo (5 x 4), Bryan (4 x 3) e Illie (4 x 3) naquela que muitos davam como uma dos possíveis confrontos de final. Nas quartas-de-final eliminou Akira (5 x 3) e na semifinal novo confronto contra o favoritíssimo Illie e novo sucesso camanducainse (5 x 3)... A final seria brasuca e envolvendo dois competidores sagrados e totalmente equivalentes... Uma duelo dos sonhos...

Mais emocionante do que o respeito que sempre houve entre Guido e Mikka certamente é a amizade de ambos... Tão diferentes e tão iguais. Hoje acho até que um completou o outro e que Guido cedeu alegria ao Mikka e este repassou o sangue frio ao Guido...

Ambos saíram do hotel na mesma van. Adentraram o ginásio carregando juntos a bandeira nacional e abraçados... Claro que cada um almejou a si a vitória e foi um duelo de titãs... Mas com tanta ética e cordialidade que o confronto – o mais longo dos dois mundiais CCLM realizados – ficou pra sempre nas memórias dos presentes.

Um empate de 5 x 5 deu o título a Marcelo Guido, seu primeiro... Cinco anos depois, nova taça... E sua despedida...

2000... É... “Não tinha boca mesmo”... Guido era fabuloso, amigo, perseverante e sempre passando por cima de suas mazelas pra ajudar a todos e pra reinar como o melhor entre os melhores... Aquele mundial foi inesquecível... A competição de amigos... Onde a técnica e o respeito foram mais que o talento mero... Mas isso não significa que naquele ano o talento passou longe das arenas do CCLM... Absolutamente...
Dr. Aluísio Hector Sanches
Enviado por MARCELO GUIDO PEREIRA DE OLIVEIRA NORONHA em 12/05/2020
Código do texto: T6944987
Classificação de conteúdo: seguro

Copyright © 2020. Todos os direitos reservados.
Você não pode copiar, exibir, distribuir, executar, criar obras derivadas nem fazer uso comercial desta obra sem a devida permissão do autor.

Comentários

Sobre o autor
MARCELO GUIDO PEREIRA DE OLIVEIRA NORONHA
Itapeva - Minas Gerais - Brasil, 44 anos
895 textos (14991 leituras)
(estatísticas atualizadas diariamente - última atualização em 12/04/21 16:20)
MARCELO GUIDO PEREIRA DE OLIVEIRA NORONHA