Capa
Cadastro
Textos
Áudios
Autores
Mural
Escrivaninha
Ajuda
Textos
Texto

O Conhecimento Transforma!

... quem garante, assim como o mel é o mais puro defeito do fel, escrever giló com g e jirassol e jirafa com j, não altera o amargo do giló, bem como não dimunui o pescoço da girafa! Estou errado? Prove e com provas testemunhais, comprove.
                         Se não, tens outra oportunidade de se justificar, e explique-me o não convencional; porque o personalizado, todos sabem. Aliás, até meu cão campeiro e por essa educação propagada por tu é educado; e para alfabetizá-lo, atirava nas letras e ele, humildemente, apanha e trazia-a para mim; e tanto fazer, hoje faz o dever de casa sozinho. Porém, tornou-se arredio e ao ouvir de mim, que tome conta da casa, refuga, rosna, mostra os dentes, como querendo: "estudei não foi para tomar conta de quintal; você que se vire com o que é seu". Qual a explicação para isso?
                     Ah, tá; não sabe a explicação para a pergunta, destarte, eu respondo. Muito tempo atrás, na era que os homens eram um pouco menos máquina e menos asno que os humanóides atuais, houve um senhor empirista, atento aos comportamentos dos animais, que atendia por nome de Skinner, que formulou a teoria objetivista e dentro de sua complexidade, diz que através de estímulo e resposta, verifica-se o comportamento e ação do animal.
             Sem maiores firulas de teses e rodeios teóricos, esse é o motivo de meu cão, que era um operário capaz, ordeiro e disciplinado, ser o que é. Com a diferença primordial:  antes de ser alfabetizado, ter adquirido seus parcos conhecimentos, chegando rosnar sobre escola frankfurtiana, recompensava-o com um bom pedaço de tutano de boi pela obediência e aplicação na realização das tarefas, inclusive nas lições de estimulo e resposta; agora o vagabundo come, bebe e dorme, sem produzir um mísero grão de arroz. Mais: tornou-se exemplo para os demais animais; e estão fazendo birra, empacando, dando chifrada nos currais e estábulos, uns para fugir, outros em recusa às tarefas diárias. Mas, feno e ração de primeira, sombra e água fresca, todos querem.
                Já o abandonei às ruas, várias vezes; aliás fez-me queimar 2 tanques de gasolina; mas o infâme volta para o que ele chama de "home, sweet home",  sempre. Idiossincrático ele, não; mas não perde por esperar. Vou meter-lhe um balaço no focinho dele; e foda-se as leis de proteção aos animais.
  Maldita hora que foi ser bonzinho e humano, dando conhecimento e voz para essa víbora! Contudo, aprendi que o conhecimento transforma...; sim, transforma: bons cães caçadores, em vagabundos, come quietos. E aquele que come, bebe e dorme através do suor alheio, não passa de corrupto enrustido.
Mutável Gambiarreiro
Enviado por Mutável Gambiarreiro em 20/06/2019
Reeditado em 20/06/2019
Código do texto: T6677339
Classificação de conteúdo: seguro
Enviar por e-mail
Denunciar

Comentários

Sobre o autor
Mutável Gambiarreiro
Jegue é - Tovuz - Azerbaijão
2265 textos (52332 leituras)
(estatísticas atualizadas diariamente - última atualização em 22/10/19 07:53)
Mutável Gambiarreiro