Capa
Cadastro
Textos
Áudios
Autores
Mural
Escrivaninha
Ajuda
Textos
Texto

APAGÃO FUTURO E USINAS HIDRELÉTRICAS

SISTEMA  ENERGÉTICO NO BRASIL EM FUNÇÃO DAS HIDRELÉTRICAS

 As hidrelétricas no Brasil correspondem a 90% da energia elétrica produzida no país. A instalação de barragens para a construção de usinas iniciou-se no Brasil a partir do final do século XIX, mas foi após a Segunda Grande Guerra Mundial (1939-1945) que a adoção de hidrelétricas passou a ser relevante na produção de energia brasileira.
Apenas de o país apresentar o terceiro maior potencial hidráulico do mundo (atrás apenas de Rússia e China), o Brasil importa parte da energia hidrelétrica que consome. Isso porque a maior hidrelétrica das Américas e segunda maior do mundo, a Usina de Itaipu, não é totalmente brasileira. Por se encontrar na divisa do país com o Paraguai, 50% da produção da usina pertence ao país vizinho que, na incapacidade de consumir esse montante, vende o excedente para os brasileiros. Além do mais, o Brasil também compra energia produzida pelas hidrelétricas argentinas de Garabi e Yaceritá.
Muitos analistas destacam a desnecessidade da importação de energia elétrica para completar o abastecimento do país e culpam a falta de investimento, uma vez que o país só aproveita 25% do potencial hidráulico existente. Por outro lado, a construção de usinas esbarra em questões burocráticas – como o orçamento e planejamento administrativo – e em questões ambientais, pois, como veremos adiante, a construção de barragens para a produção de energia pode causar danos ao meio ambiente.
A produção de energia elétrica no Brasil é realizada através de dois grandes sistemas estruturais integrados: o sistema Sul-Sudeste-Centro-Oeste e o sistema Norte-Nordeste, que correspondem, respectivamente, por 70% e 25% da produção de energia hidrelétrica no Brasil.
A partir de 1990, houve uma redução no investimento em construções de hidrelétricas no país. Com isso, em 1995, ocorreu um amplo processo de privatização do setor elétrico, com a perspectiva de que tal medida proporcionasse ampliação de investimentos nesse setor. Entretanto, tais expectativas não foram atendidas e as consequências foram os sucessivos apagões e o estabelecimento de uma crise energética no Brasil, que culminou no racionamento de energia realizado em 2001.
Posteriormente, o governo brasileiro ampliou a realização de estudos e de projetos para a ampliação de usinas hidrelétricas no país, acarretando para a construção, principalmente, de usinas de pequeno porte distribuídas por todo o país. A preferência na construção de pequenas usinas se deve ao fato de que essas geram menos impactos ambientais.
Vantagens e desvantagens da produção de energia em hidrelétricas
Existe uma série de vantagens e desvantagens na construção de barragens para a geração de energia a partir das hidrelétricas. Dessa forma, cabe ao governo e à população do país pesar os pontos positivos e negativos para avaliar a necessidade da expansão desse tipo de política energética.
Entre as vantagens, podemos citar, primeiramente, que a água é um recurso renovável – desde que seja garantida a preservação das nascentes dos rios. Em segundo lugar está o fato de que o seu custo é bem inferior ao de outros tipos de usinas, como as termelétricas, as eólicas e as nucleares. Além disso, as hidrelétricas não acarretam para a geração de poluentes na atmosfera, a exemplo das termelétricas.
Entre as desvantagens, assinala-se o espaço ocupado pelo represamento de rios para a construção das barragens. Esse espaço pode se dar em áreas de reservas florestais, ricas em fauna e flora, que contribuem para a manutenção da vida em determinadas áreas. Além disso, a área ocupada pode ser habitat de comunidades indígenas e populações tradicionais, que veem nesse espaço não somente um local de moradia, mas também um espaço afetivo, longe do qual dificilmente irão se adaptar.

RELAÇÃO DAS MAIORES HIDRELÉTRICAS EM FUNCIONAMENTO NO BRASIL, QUE ESTÃO PRODUZINDO MAIS DE 1000 MW:

1- Hidrelétrica de Itaipu...........................................14.000 MW- Construída na década de 80;
2- Hidrelétrica de Tucuruí........................................8.370 MW- Construída na década de 80;
3- Hidrelétrica de Ilha Solteira.................................3.444 MW- Construída na década de 70;
4- Hidrelétrica do Xingó..........................................3.162 MW- Iniciada em 82 e concluída em 1994;
5- Hidrelétrica de Paulo Afonso IV...........................2.462 MW- Concluída em 1979;
6- Hidrelétrica de Itumbiara......................................2.082 MW- Concluída em 1981;
7- Hidrelétrica de São Simão....................................1.710 MW- Concluída em 1978;
8- Hidrelétrica de Foz da Areia.................................1.676 MW- Concluída em 1979;
9- Hidrelétrica de Jupiá.............................................1.551 MW- Concluída em 1974;
10- Hidrelétrica de Itaparica......................................1.500 MW- Início da obra 79- operação 1988;
11- Hidrelétrica de Itá................................................1.450 MW- Início da obra 96, término 2000;
12- Hidrelétrica de Marimbondo...............................1.440 MW- Construída de 1971 a 77;
13- Hidrelétrica de Porto Primavera..........................1.430 MW- Construída entre 1980 e 88;
14- Hidrelétrica de Salto Santiago.............................1.420 MW- Entrada em operação, 1980;
15- Hidrelétrica de Água Vermelha...........................1.392 MW- Entrada em funcionamento 1979;
16- Hidrelétrica de Segredo.......................................1.260 MW- Construída entre 1987 a 91;
17- Hidrelétrica de Salto Caxias................................1.240 MW- Construída entre 1995 a 99;
18- Hidrelétrica de Furnas.........................................1.216 MW- Inaugurada em 1963;
19- Hidrelétrica de Emborcação................................1.192 MW- Início de operação 1986;
20- Hidrelétrica de Machadinho................................1.140 MW- Construída de 1997 a 2002.
21- Hidrelétrica de Salto Osório................................1.078 MW- Entrou em funcionamento em 1975;
22- Hidrelétrica Luiz Carlos Barreto.........................1.050 MW- Início de operação, 1969;
23- Hidrelétrica de Sobradinho..................................1.050 MW- Construída entre 1973 e 79.
24- Hidrelétrica de Belo Monte (CONSTRUÇÃO)..11.233 MW- Prevista para 2015.

A Usina Hidrelétrica de Belo Monte está sendo construída na bacia do Rio Xingu, próximo ao município de Altamira, no norte do Pará.

Sua potência instalada será de 11.233 MW; mas, por operar com reservatório muito reduzido, deverá produzir efetivamente cerca de 4.500 MW (39,5 TWh por ano) em média ao longo do ano, o que representa aproximadamente 10% do consumo nacional (388 TWh em 2009). Em potência instalada, a usina de Belo Monte será a terceira maior hidrelétrica do mundo, atrás apenas da chinesa Três Gargantas (20.300 MW) e da brasileira e paraguaia Itaipu (14.000 MW), e será a maior usina hidrelétrica inteiramente brasileira.

O lago da usina terá uma área de 516 km² (1/10.000 da área da Amazônia Legal), ou seja 0,115 km³ por MW efetivo. Seu custo está estimado em R$ 26 bilhões pela concessionária, ou seja R$ 5,7 milhões por MW efetivo. O leilão para construção e operação da usina foi realizado em abril de 2010 e vencido pelo Consórcio Norte Energia com lance de R$ 77,00 por MWh. O contrato de concessão foi assinado em 26 de agosto do mesmo ano e o de obras civis em 18 de fevereiro de 2011. A usina está prevista para entrar em funcionamento em 2015.

Desde seu início, o projeto de Belo Monte encontrou forte oposição de ambientalistas brasileiros e internacionais, de algumas comunidades indígenas locais e de membros da Igreja Católica. Essa pressão levou a sucessivas reduções do escopo do projeto, que originalmente previa outras barragens rio acima e uma área alagada total muito maior. Em 2008, o CNPE decidiu que Belo Monte será a única usina hidrelétrica do Rio Xingu.


Notem que, das 23 maiores hidrelétricas em operação no país, 20 foram obras dos governos militares, sendo que Itaipu é a 2ª maior usina do mundo e Tucuruí a 5ª.
Não há sequer UMA OBRA de grande porte no setor de energia, iniciada e terminada no governo petista. No governo do FHC, não foi muito diferente. E estudos de implantação de PCH (Pequenas Centrais Hidrelétricas) têm nas Universidades, a saber, Unicamp, Usp e Unesp, entre outras de outros Estados, por exemplo IFPR do PR, UNIFEI de MG, etc... Todos os profissionais da área têm alertado as autoridades sobre o crescimento da demanda e o descaso da não ampliação do Sistema Energético.

Com energia disponível, não há crise. A prefeitura de Poços de Caldas tem duas pequenas Usinas Hidrelétricas montadas em rios que ladeiam a cidade. É um belo exemplo!

A única coisa que estão fazendo é ressuscitar as termoelétricas, verdadeiros dragões para o meio ambiente e um veneno para a economia e não é energia limpa. Só é bom negócio mesmo, para os donos dos combustíveis.

 Desde 2000, começamos a construir termelétricas e ampliamos nossa participação no setor até marcar nossa presença em toda a cadeia produtiva. A capacidade total de geração elétrica das usinas é um pouco superior a seis mil megawatts.

A Barragem de Barra Bonita está localizada no estado brasileiro de São Paulo, na cidade de Barra Bonita e represa as águas do rio Tietê, bacia do rio Paraná. É onde funciona a Usina Hidrelétrica Barra Bonita, que possui quatro turbinas Kaplan com um total de 140 megawats (MW) de potência, a partir de uma queda máxima bruta de 23,5 m.

Nos últimos 25 anos não fizeram mais nada! O que tem por aí são “puxadinhos” e obras intermináveis, superfaturadas, roubadas, assaltadas e saqueadas pela monstruosa máquina de propaganda e roubalheira instalada nas entranhas da governança, como é o caso da Usina de Belo Monte, que aliás, vai sair o olho da cara e terá uma pífia produção de energia.

 E ainda tem gente que acredita que essa crise do setor elétrico, é culpa do pobre do SÃO PEDRO. Ele que abre as torneiras lá em cima!

Só o que falta é dizerem que essa monumental roubalheira da Petrobras é culpa de JESUS CRISTO.

É só o que está faltando.

Autor: Alamir Longo

______________________________________________________________________________________________

Comentário adicional final:
CONSIDERAÇÕES MINHAS:

Os políticos vivem do sindicalismo instaurado, se internalizam e se eternizam na política, fundam e alimenta indevidamente ONGS sem real propósito, e se valem de muitas mentiras, a culpa nunca é deles, culpam os governantes anteriores dos roubos que alimentam o partido, enfim...... LAMENTÁVEL E MUITO TRISTE O QUE ESTÁ ACONTECENDO EM NOSSO PAÍS!

É uma vergonha, e temos que corrigir, com a ajuda de Deus e de todos os brasileiros, que precisam ser melhor educados, recuperando os valores que já deixamos de lado há muito tempo. É só olhar o que está acontecendo no comportamento do nosso povo em geral, e principalmente a nossa juventude que se inspira nos valores desses canalhas.

PAÍSES QUE NÃO TÊM RECURSOS HÍDRICOS IGUAL O BRASIL, CONSTROEM USINAS TERMELÉTRICAS OU PARQUE EÓLICOS.
No Brasil tem ~50 Usinas Termelétricas e estão fazendo o quê? A única coisa que estão fazendo é ressuscitar as termoelétricas, verdadeiros dragões para o meio ambiente e um veneno para a economia e não é energia limpa. Só é bom negócio mesmo, para os donos dos combustíveis. Se todas funcionassem a plena carga contribuiria à matriz energética em torno de 15000 MW, mas atualmente não chega nem na metade, menos de 7000 MW, devido paralisações por defeito e/ou por manutenção preventiva e/ou preditiva. Observem que só a Usina de Tucuruí com capacidade 8.370 MW suplanta a energia gerada pelas termelétricas em operação das 50 térmicas existentes. Nosso país tropical com energia solar em abundância e regiões com vento com velocidade suficiente para aproveitamento energético, além de falta de política e investimentos que incentivem pequenos sitiantes para construção de biodigestores... Na verdade faltam estadistas com visão e não oportunistas cegos à realidade e espertos para enxergarem apenas o próprio umbigo e de sua corrutela!
Já tem pronto o PLANO NACIONAL DE ENERGIA 2030 e PLANO DECENAL DE ENERGIA 2006-2015 e estão preparando o PLANO NACIONAL DE ENERGIA 2050. Pergunta-se, o porquê que não cumprem?????

Concluindo: Se não fizerem alguma coisa vai haver apagão e racionamento, sim!

Abraços, conterrâneos!

Foz do Iguaçu, 02/04/2015
Publicado no www.nelmite.blogspot.com em 03/04/2015
Publicado no Recanto das Letras em 03/04/2015
http://www.recantodasletras.com.br/autores/noslen ariexiet
Outros autores também no Recanto com outros textos:
http://www.recantodasletras.com.br/autores/nelmite
http://www.recantodasletras.com.br/autores/gurosyte
Nelson Teixeira ou Noslen e Alamir Longo
Enviado por Nelson Teixeira ou Noslen em 03/04/2015
Reeditado em 15/04/2015
Código do texto: T5193658
Classificação de conteúdo: seguro

Copyright © 2015. Todos os direitos reservados.
Você não pode copiar, exibir, distribuir, executar, criar obras derivadas nem fazer uso comercial desta obra sem a devida permissão do autor.
Enviar por e-mail
Denunciar

Comentários

Sobre o autor
Nelson Teixeira ou Noslen
Foz do Iguaçu - Paraná - Brasil
161 textos (17945 leituras)
(estatísticas atualizadas diariamente - última atualização em 19/10/19 05:11)
Nelson Teixeira ou Noslen