Capa
Cadastro
Textos
Áudios
Autores
Mural
Escrivaninha
Ajuda
Textos
Texto

O massacre de Paraisópolis

Paraisópolis é um bairro favelizado que fica na Vila Andrade, na Zona Sul da capital paulistana.

Em grande maioria, os moradores são famílias pobres e migrantes nordestinos.

Semanalmente, de quinta a domingo, como de costume, cerca de 5 mil jovens se reúnem na comunidade de Paraisópolis para dançar ao som do funk.

No sábado, a polícia entrou em ação e teve um início uma tragédia que terminou com a morte de nove pessoas pisoteadas e sete feridos.

As idades: 14 a 23 anos.

O governador João Doria lamentou as mortes, mas defendeu a Polícia e disse que ela vai continuar agindo, firmemente, contra os pancadões.

De acordo com a polícia, criminosos dispararam e houve enfrentamento.

Teve início o corre-corre, e a polícia encurralou os jovens numa viela sem saída.

Segundo moradores, a polícia bateu à vontade e usou bombas de gás lacrimogênio.

Diante dessa tragédia, triste e terrível, o que se espera?

Que seja feita apuração dos fatos e que os os culpados sejam punidos.

Tem mais, o assassinato de nove pessoas pode parecer banal e pouco.

A verdade é que isso não pode continuar acontecendo.

Uma outra questão fundamental, por que a prefeitura de São Paulo, governada pelo tucano Bruno Covas, não impediu a realização do baile funk, afinal essa atribuição é sua?

Por sua vez, Eliane Catanhêde fez uma observação, sobre o triste episódio, irretocável: ''Em resumo, o assassinato de crianças pobres, negras e mulatas é contabilizado como uma fatalidade, um efeito colateral do combate à criminalidade. A morte delas é o custo a pagar para que famílias brancas e ricas possam ter mais segurança''.

Por outro lado, não basta apenas culpar os policiais envolvidos, que agem de acordo com orientação superior.

gregoheleno
Enviado por gregoheleno em 03/12/2019
Reeditado em 03/12/2019
Código do texto: T6809728
Classificação de conteúdo: seguro

Esta obra está licenciada sob uma Licença Creative Commons. Você pode copiar, distribuir, exibir, executar, fazer uso comercial da obra, desde que seja dado crédito ao autor original. Você não pode criar obras derivadas.

Comentários

Sobre o autor
gregoheleno
São Paulo - São Paulo - Brasil
52 textos (2183 leituras)
(estatísticas atualizadas diariamente - última atualização em 13/12/19 08:04)