Capa
Cadastro
Textos
Áudios
Autores
Mural
Escrivaninha
Ajuda
Textos
Texto

ASSASSINATO DA MEMÓRIA - SAIBA COMO EVITAR

ASSASSINATO DA MEMÓRIA - SAIBA COMO EVITAR

Félix Maier

Saiba como salvar a Memória da História Humana para transmiti-la a seus filhos e netos.

Evite que eles sejam doutrinados pela fake history do politicamente correto, ensinada com sucesso pela esquerda nas últimas décadas na mídia, na TV, nos sindicatos, nas associações profissionais, nos meios culturais e universitários e até dentro das igrejas.

1) Comece a salvar num computador offline textos, músicas, livros, vídeos, fotos, teses, ensaios, monografias, mapas, esboços, tudo enfim que você julga ser importante. Periodicamente, faça um backup desse material, em pendrive ou disco externo. Se você pensa que está tudo salvo na "nuvem", você está totalmente errado. O Google já está restringindo espaço gratuito nos seus servidores. Afinal, tudo tem um limite. O mesmo vale para o YouTube, onde muitos vídeos importantes não são mais encontrados. Como preservar o conhecimento humano? Eis a questão.

2) Há um embate violento na internet para fazer desaparecer fatos históricos que comprometam ideologias radicais, à direita e, especialmente, à esquerda, que quer fazer desaparecer, como por encanto, seus crimes contra a humanidade, como os mais de 100.000.000 de pessoas no século XX que foram assassinados pelos comunistas. É a "espiral do silêncio" em ação, assim como o "assassinato da memória".

3) Como prova, podemos citar os filmes que Hollywood fez sobre regimes totalitaristas, como o nazismo, o fascismo e o comunismo. Há dezenas de filmes que tratam do horror nazista. E muitos sobre o fascismo, especialmente de diretores europeus, especialmente italianos. Mas, você conhece por acaso um único filme que trata dos crimes comunistas, das torturas e mortes dos gulags soviéticos na Sibéria, do genocídio do Khmer Vermelho no Camboja, do genocídio de Katyn na Polônia, do paredón cubano, da Revolução Cultural da China, em que jovens radicais eram incentivados ao canibalismo (como arrancar e assar pênis e testículos dos "inimigos" e comê-los), do genocídio do Holodomor, em que cerca de 8 milhões de ucranianos foram condenados a morrer de fome por Stálin? Enquanto isso, filmes e filmes são feitos sobre o nazismo, que passou a ser o perfeito álibi para os crimes comunistas. Afinal, se há um mal supremo, o nazismo, que jamais poderá ser superado por outro mal, segundo a bem sucedida propaganda comunista, por que perder tempo com o comunismo, que já acabou e foi distorcido por seus líderes na Rússia, na China, na Coreia do Norte, em Cuba e, agora, na Venezuela?

4) O correto seria que todos os regimes totalitários fossem criminalizados, que fossem destroçadas as três bocarras do cérbero que desgraçou o planeta no século XX: o comunismo, o fascismo e o nazismo, como já visto em alguns países do Leste europeu, como a Polônia, a Hungria, a Ucrânia, a Letônia, a Lituânia, a Geórgia, a Moldávia, além da Indonésia. No Brasil, temos uma lei incompleta, que apenas criminaliza símbolos nazistas e fascistas, deixando de fora os símbolos comunistas.

5) Sites e blogs nascem, crescem e morrem. Tudo o que lá havia, um belo dia desaparece, como se alguém tivesse dado uma clicada no "delete" sem querer. Alguém ainda se lembra do Orkut, que já foi uma rede social de sucesso na Índia e no Brasil?

6) Eu tive o desprazer, pouco tempo atrás, de ver que muitos links que levavam a textos do site Usina de Letras, onde publico desde o ano 2000, tinham simplesmente sumido. Todos, invariavelmente, eram textos que comprometiam as esquerdas, de todos os matizes, do vermelho-sangue à maquiagem rosa shocking.

7) A maioria desses textos que evaporaram estavam ligados a um trabalho que fiz em 2014, lembrando as bodas de ouro do Movimento de 1964, cujo título é MEMORIAL 31 DE MARÇO DE 1964. Como eu disse, todos os textos haviam sido apagados por um hacker, não só os linkados ao Usina de Letras, mas a sites da grande imprensa, como a revista Veja, o jornal O Globo, a rádio CBN etc.

8) Tive que refazer todo o trabalho do MEMORIAL, pesquisando na internet e em meus arquivos pessoais, para recompor o trabalho perdido. Aproveitei para aumentar o número de textos, agora disponíveis aos interessados.

9) Assim, ofereço ao público em geral, especialmente aos mais jovens, e aos pesquisadores e historiadores, em particular, o trabalho disponível no link abaixo. Mas cuidado: se você encontrar algum texto que julgue importante em MEMORIAL (assim como qualquer material visto na internet), salve-o no seu computador, e no pendrive, porque não se sabe se o blog onde "pendurei" os novos textos estará ainda ativo daqui a, digamos, 10 ou 20 anos, para você mostrar a seus netos.

Boa leitura!

Clique em https://twitter.com/fmaier50/status/1347360721215090690?s=19

P. S. Outro trabalho que fiz foi o fichamento dos 15 volumes de "História Oral do Exército - 31 de Março de 1964", publicado pela Biblioteca do Exército Editora, para que a Memória Histórica brasileira seja preservada e difundida - cfr. em http://felixmaier1950.blogspot.com/.../historia-oral-do...

Foto: (http://felixmaier1950.blogspot.com/2020/09/memorial-31-de-marco-de-1964-textos.html) Avião que passou no dia 31 de março de 2014 pela orla carioca, com a seguinte mensagem: "PARABÉNS MILITARES: 31/MARÇO/64. GRAÇAS A VOCÊS, O BRASIL NÃO É CUBA." A mesma faixa foi levada pelo então deputado Jair Messias Bolsonaro e outros para o gramado da Esplanada dos Ministérios e para o plenário da Câmara dos Deputados, no mesmo dia, onde deputados esquerdistas tentaram rasgar a faixa.
Félix Maier
Enviado por Félix Maier em 08/01/2021
Código do texto: T7154966
Classificação de conteúdo: seguro


Comentários

Sobre o autor
Félix Maier
Brasília - Distrito Federal - Brasil, 71 anos
133 textos (58235 leituras)
(estatísticas atualizadas diariamente - última atualização em 08/03/21 16:47)
Félix Maier