Capa
Cadastro
Textos
Áudios
Autores
Mural
Escrivaninha
Ajuda
Textos
Texto

REPARANDO UMA INJUSTIÇA COM OS MÉDICOS E A CIÊNCIA

É comum as pessoas que são curadas de alguma doença, agradecer a Deus ou algum santo, mas esquecer daqueles que foram efetivamente responsáveis por terem a saúde de volta. Com todo respeito que tenho pela fé religiosa, gostaria de reparar uma injustiça e dizer que, embora a maioria não se lembre, os médicos, os enfermeiros e a ciência também ajudam a salvar vidas.

Claro que a fé é importante. Estudos científicos comprovam que a fé ajuda no processo de cura de doenças, porque ela age no campo emocional, fazendo com que o organismo se fortaleça e adquira maior resistência à doença. Mas confiar apenas nas orações e na fé é um grande perigo. Sem os profissionais da medicina e os remédios ainda estaríamos morrendo por doenças que hoje curamos com um simples comprimido.

No passado, quando a medicina capengava, se alguém contraísse um resfriado corria o risco de morrer em poucos dias. Pessoas com doenças graves como câncer, derrame cerebral, diabetes mellitus, malária, pneumonia, etc. só conseguiram ter melhores expectativas de sobrevivência depois que a medicina se tornou mais eficiente.

No século dezenove, a pessoa que contraísse tuberculose não tinha muito que fazer a não ser esperar a morte, mesmo assim as igrejas ficavam lotadas de fiéis pedindo ajuda aos céus pela cura, o que só contribuía para a propagação da doença, já que ela é transmitida via aérea. Ou seja, os cânticos e as aleluias também ajudavam a espalhar o vírus. As orações eram irrelevantes. Hoje a ciência tem a vacina BCG, que tem salvado milhões de pessoas.

A poliomelite era uma das doenças mais temidas no início do século vinte, porque deixava as pessoas aleijadas para o resto da vida. Aqui também as orações eram irrelevantes. Só começou a declinar depois que Albert Sabin apareceu em 1957 com sua vacina oral, hoje utilizada em campanhas mundiais. O que ajudou a tornar os lares mais felizes e os pais mais tranquilos com a chegada de novos bebês foi a vacinação.

Tenho uma sugestão: da próxima vez que você ou alguma pessoa querida sair do hospital curado, junto aos agradecimentos a Deus, inclua os médicos e os enfermeiros, porque sem esses profissionais, tudo seria mais difícil.
Fernando Bastos
Enviado por Fernando Bastos em 23/04/2017
Código do texto: T5978767
Classificação de conteúdo: seguro


Comentários

Sobre o autor
Fernando Bastos
Guaramirim - Santa Catarina - Brasil, 59 anos
86 textos (15860 leituras)
(estatísticas atualizadas diariamente - última atualização em 03/03/21 19:06)
Fernando Bastos