Capa
Cadastro
Textos
Áudios
Autores
Mural
Escrivaninha
Ajuda
Textos
Texto

Fé que vai além das superstições adentrando, na confiança do amor. (Parte 01).

Porque não me envergonho do evangelho de Cristo, pois é o poder de Deus para salvação de todo aquele que crê, primeiro do judeu e também do grego. Porque nele se descobre a justiça de Deus de fé em fé, como está escrito: Mas o justo viverá da fé. (Rom 1:16,17). Aqui Paulo faz uma sintetização da fé, e isto gerou algumas controvérsias, neste estudo não há a pretensão de se exaurir o conhecimento sobre a fé, mas sim de dar uma luz como placa amarela que adverte o caminhante.

Aqui vemos os dois versículos, que são chamados de a trombeta do Evangelho de Paulo. Em toda arte existe uma mola propulsora, seja na música, na pintura, na literatura ou na poesia sempre existe o mote que da inspiração ao artista. E aqui está representada a quintessência do evangelho de Paulo, e devido ao seu valor tomará algumas páginas para fazer jus ao seu caro ensinamento.


Paulo jamais esquece da divina oportunidade de levar o Evangelho, ou seja, o guia que nos leva a ser participantes do amor e praticantes deste gracioso amor. Ele começa dizendo que está cheio da graça do Evangelho que ele tem o privilégio de anunciar. Ou seja, é o mais doce privilégio levar o amor de Deus para a vida do próximo.


É algo surpreendente ver que Paulo pronuncia isto tendo como pano de fundo uma vida plena da perseguição. Paulo foi prisioneiro em Filipos, foi deslocado de Tessalônica, fugiu da Beréia, escarneceram-se dele em Atenas. Tinha pregado em Corinto onde sua mensagem foi uma insensatez para os gregos e uma pedra de escândalo para os judeus.


E este é o pano de fundo no qual nasce está viva declaração de Paulo. Pois estar orgulhoso do Evangelho é estar orgulhoso do amor que o banha, mesmo que o mundo o tenha rejeitado. Havia algo na fé no amor de Deus que o fazia triunfalmente vitorioso acima do que os homens pudessem lhe fazer. Ainda hoje deve ser assim, devemos fazer com que todo ensino Cristão seja Cristocêntrico e jamais egocêntrico.


Paulo havia entendido que a obra do praticar do amor, não é para nos levar ao amor, mas sim, é o amor de Deus agindo em nós que nos leva a praticar o amor em caridade serviço e verdade. Que tenhamos isso sempre em mente aquele que se banha no perdão e no amor de Deus nasce nele a viva fé que o faz perdoar e amar como Cristo nos amou.


E ao fazemos isto praticamos o vivo mandamento que Jesus nos deixou: Um novo mandamento vos dou: Que vos ameis uns aos outros; como eu vos amei a vós, que também vós uns aos outros vos ameis. Nisto todos conhecerão que sois meus discípulos, se vos amardes uns aos outros. (João 13:34,35). Eis a beleza de irmos além da fé como crença e adentrarmos na fé enquanto confiança no amor de Deus. Que o amor de Cristo Jesus seja sempre o árbitro de nossos corações.

(Molivars).
Molivars
Enviado por Molivars em 20/09/2019
Código do texto: T6749671
Classificação de conteúdo: seguro
Enviar por e-mail
Denunciar

Comentários

Sobre o autor
Molivars
Arujá - São Paulo - Brasil
1399 textos (11592 leituras)
(estatísticas atualizadas diariamente - última atualização em 19/11/19 23:44)
Molivars