ORTODOXIA - POR QUE O CRISTIANISMO?

ORTODOXIA - POR QUE O CRISTIANISMO?

PRIMEIRA PARTE - FÉ E TEOLOGIA:

Assim ensina a Igreja Ortodoxa Apostólica Grega: “quando purificáreis as vossas mentes dos pensamentos vãos e as vossas almas das paixões carnais, logo então sabereis toda a Verdade, vereis todo o Caminho, e tereis toda a Vida”.

Ora, a Ortodoxia diz não só verdadeiramente, mas também corretamente, que o Espírito depende da Alma que depende da Mente que depende do Corpo, na medida econômica em que hierarquicamente o superior depende do inferior para usar e o inferior depende do superior para ser usado. Assim, pois, se o Corpo doente pode atrapalhar a Mente, a Mente atrapalhada pode errar contra a Alma, e a Alma errante pode pecar contra o Espírito.

Portanto, a Ortodoxia Grega é a Fé Correta em toda sua Tradição Apostólica de Monasticismo (por purificação, iluminação, e deificação) e em toda sua Práxis Apostólica de Asceticismo (por Catarse, Teoria, e Deose).

A Ortodoxia é, com efeito, pragmática como Realidade e vivida como Verdade.

SEGUNDA PARTE - HISTÓRIA E TRADIÇÃO:

Ora, não foi St. João Teólogo quem pregou o Apocalipse por toda a Turquia, por onde fundou igrejas? E não foi St. Paulo Apóstolo quem pregou o Evangelho por toda a Grécia e toda a Síria, por onde fundou igrejas? E não foram St. João Teólogo e St. Paulo Apóstolo os judeus helenistas que fundaram a Religião Cristã, precisamente porque eram judeus helenistas? E a Teologia do Oriente vinda dos Judeus não submete, com grandeza maior de sentido, toda a Filosofia do Ocidente vinda dos Gregos, em mútua compatibilidade entre o Todo que explica e a Parte que confirma? E o Evangelho de Cristo não é Teologia Judaica e Filosofia Grega? E não foi St. André Protócleto quem fundou em Bizâncio, na Ásia Menor, entre a Grécia e a Turquia, a Igreja Ortodoxa Apostólica Grega, ao lado de St. Pedro Vigário que em Roma fundara a Igreja Católica Apostólica Romana, como conta a História da Igreja?

Mas qual é a História da Igreja? De St. Tiago Justo, nasce a Igreja de Jerusalém denominada Sinagoga Messiânica Nazarena Israelita, reconhecendo o Nazareno como o Messias de Deus; de St. André Protócleto, nasce a Igreja da Ásia Menor denominada Igreja Ortodoxa Apostólica Grega, reconhecendo Cristo como a Palavra-Sabedoria (o Logos) de Deus; de St. Pedro Vigário, nasce a Igreja de Roma denominada Igreja Católica Apostólica Romana, reconhecendo Cristo como o Anjo de Deus; de St. Paulo Apóstolo, nasce a Igreja de Antióquia denominada Igreja Evangélica Apostólica Síria, reconhecendo Cristo como o Cordeiro de Deus; de Simão Mago, nasce a Igreja de Alexandria denominada Escola Gnóstica Filosófica Copta, reconhecendo Cristo como a Ciência-Inteligência (a Gnose) de Deus. Dos Judeus Nazarenos de St. Tiago Justo em Jerusalém, surgem os Cristãos Ortodoxos de St. André Protócleto em Bizâncio e os Cristãos Católicos de St. Pedro Vigário em Roma; dos Cristãos Ortodoxos e Católicos, surgem os Cristãos Evangélicos de St. Paulo Apóstolo em Antióquia; dos Cristãos Evangélicos, surgem os Cristãos Gnósticos de Simão Mago em Alexandria.

Ora, sem coincidência, esta Pentarquia Apostólica da Igreja Cristã se manteve sucedida por toda a História da Igreja ao decorrer dos séculos em um segundo ciclo trágico de degeneração gradual sob esta mesma ordem até os tempos presentes.

Antes do Concílio de Nicéia em 325, a Igreja Cristã Patrística Greco-Romana se divide cada vez mais em baixas dissensões concernentes principalmente à Cristologia. Depois do Concílio de Nicéia em 325, a Igreja de Roma, doutrinada por Bt. Doutor Agostinho Católico, decide se tornar progressivamente mais Romana do que Apostólica com seus credos seculares pagãos durante a Queda de Roma em 395 pelas invasões bárbaras germânicas, até finalmente se institucionalizar maçonicamente no Sacro-Império Romano-Germânico, doutrinada por St. Doutor Tomás Angélico, durante a Idade Média como a “Cabeça da Nobreza”; enquanto a Igreja da Ásia Menor, doutrinada por Bt. Doutor Orígenes Ortodoxo, se mantinha protegida com seu Credo Niceno no Sacro-Império Romano-Bizantino de Bt. Imperador Constantino desde 330, até finalmente oficializar o Grande Cisma em 1054 com a Igreja Católica Apostólica Romana. Após as Cruzadas Católicas e a Inquisição Católica, a Igreja Católica corrompida dá a luz à Reforma Protestante de Lutero o Apóstata, que dá a luz à Igreja Reformada Protestante Evangélica de Calvino o Heresiarca, que dá a luz ao Avivamento Carismático do moderno sectarismo paulinista de movimentos evangélicos (dos mais fundamentalistas aos mais liberais). A Igreja Católica no Ocidente se torna cada vez mais Romana e cada vez menos Apostólica, e a Igreja Evangélica na Modernidade se torna cada vez tanto mais apostática quanto mais sectária.

Ora, resta-nos incorrupta a Igreja Ortodoxa Apostólica Grega!

TERCEIRA PARTE - PENSAMENTO E FILOSOFIA:

Ora, a Tradição Ortodoxa Apostólica Grega é, com efeito, a Única Porta do Sagrado Templo para o Único Caminho do Santo Amor, que pode e deve ser aberta com a Única Chave da Real Verdade. Mas o que é a Verdade? A Verdade é a Razão Objetiva do Pensamento Positivo na Mente Racional. Mas o que é o Ego? Imagens profanas de falsidades subjetivas e status mundanos de conceitos relativos. Mas quem é a Pessoa? Entes individuais e indivíduos socializados. Mas o que é o Mundo? A Pessoa como se fosse o Ego e a Pessoa do Ego.

QUARTA PARTE - DOUTRINA E DOXOLOGIA:

O Cristão deve vencer o Mundo com a Vida pela Esperança de Saber, para que o Mundo não vença a Vida pelo Medo de Poder.

Bem-Aventurado é o Puro de Coração por Ser nada com Plenitude no Saber do Amor a Deus, porque poderá ser também Beato como São de Intelecto para Fazer tudo com Perfeição no Poder da Honra a Deus.

O Cristão deve ser obcecado pelo Bem da Virtude.

Mas quem é Cristo? Cristo é a Palavra-Sabedoria de Deus, o Logos da Criação, o Verbo do Ato, o Propósito da Existência, e a Razão da Fé.

Joseão de Libaría
Enviado por Joseão de Libaría em 09/09/2021
Reeditado em 03/10/2021
Código do texto: T7338209
Classificação de conteúdo: seguro
Copyright © 2021. Todos os direitos reservados.
Você não pode copiar, exibir, distribuir, executar, criar obras derivadas nem fazer uso comercial desta obra sem a devida permissão do autor.