Capa
Cadastro
Textos
Áudios
Autores
Mural
Escrivaninha
Ajuda
Textos
Texto

Arranje tempo para sorrir.

Sorria – Há uma faze antiga que diz “ Para franzir a testa movimenta-se 72 músculos e para sorrir apenas 16, apenas por economia sorria” . Sabe-se também que a maioria das doenças provem da falta de se abrir e sorrir e quando também ficamos presos remoendo o passado e guardando rancores e magoas, ou simplesmente vivendo do passado, atolado em pessimismos.
Semblante alegre, expressando boas palavras, cumprimentando as pessoas, faz parte do nosso cotidiano e das pessoas de sucesso e principalmente aliados a vontade de progredir, estudos para encurtar e mais leveza nos caminhos a serem percorridos e principalmente coadjuvado por ação equilibrada.
Atualmente, religiosos, psicólogos, orientadores e médicos sugerem, administram e receitam o treino do Riso, como terapia para uma vida mais saudável e prospera. Podemos encontrar este tipo de terapia na Seicho No Ie do Brasil, em suas palestras por todo o Brasil e também nos seus vídeos no Youtube.
Sorriso chamais sorriso, alegria mais alegria e sucesso mais sucesso
A seguir passo texto da Revista Seleções, edição de janeiro de 2018, por Nancy e Dean Hoch – Edição especial: Clássicos de todos os tempos, como segue:
Os cientistas comprovam: sempre estivemos certos... rir é mesmo o melhor remédio!
 
“ARRANJE TEMPO PARA RIR
 
Raymond A. Moody Jr., médico da Geórgia, atribui ao seu senso de humor ter conseguido suportar o intenso trabalho na Faculdade de Medicina. Contudo, durante todos aqueles anos de estudo, os professores de Moody não mencionaram uma única vez os benefícios do riso.
“À medida que o tempo passava”, relata Moody em seu livro Laugh After Laugh: The Healing Power of Humor (Riso após Riso: O Poder Curativo do Humor), “acabei por sentir que a capacidade que o homem tem de rir é um indicador de saúde, tão válido como quase todas as outras coisas que os médicos examinam”.
Gradualmente, muitos profissionais da classe médica estão chegando à mesma conclusão. O Dr. William Fry Jr, investigador da Universidade de Stanford, Califórnia, estudou os efeitos benéficos do riso durante mais de 30 anos. “Quando rimos”, diz, “os músculos são ativados. Quando paramos de rir, esses músculos relaxam. Uma vez que a tensão muscular aumenta a dor, muitas pessoas com artrite, reumatismo e outros estados da dor se beneficiam muito com uma saudável dose de riso. Muitos dos que sofrem de dores de cabeça sentem o mesmo alívio. ”
Como é que com seguimos colocar mais riso em nossas vidas? Eis o que os especialistas recomendam:
 
RELACIONE-SE COM PESSOAS QUE RIEM
Nancy Alguirre, professora em Clifton Park, Nova York, era tímida e tinha dificuldade de rir. Então se casou com um homem que adorava ir ao circo. “Fiquei fascinada com os palhaços”, recorda ela. “Um dia, vesti uma fantasia e pedi a um palhaço que me pintasse. Nessa tarde, minha vida mudou. Aprendi a rir e a encarar a vida de maneira diferente”.
Passou então a ensinar pantomina em uma escola. Até hoje, diz ela, “continuo a fazer questão de me relacionar com pessoas que gostem de viver e de rir, porque a alegria é contagiosa”.
 
O RISO PRECISA DE TREINO
Anette Goodheart, psicoterapeuta de Santa Barbara, Califórnia, conta o caso de uma doente, pessoa preocupada com a natureza. Um dia, Anette pediu à paciente que fizesse uma “lista de preocupações”. Era um longo rol! “Agora leia alto essa lista”, pediu-lhe Anette, “e no fim de cada item diga: Ah! Ah!”. A paciente franziu o sobrolho por um instante; mas depois fez o lhe era pedido, ficando surpreendida quando não pôde evitar o riso. Então, sentindo o ridículo daquilo tudo, riu de verdade – sua primeira gargalhada desde há muito tempo.
Na opinião de Anette, um riso forçado aciona o diafragma. “É como meter a chave na ignição de um carro”, explica ela. “O motor pega e começa a trabalhar. É muito parecido com que se passa com um riso forçado, o diafragma interpreta-o como se fosse um riso verdadeiro e, antes de a gente se dar conta, vem uma gargalhada genuína”.
 
MANTENHA UM REGISTRO DO RISO
Há anos, o professor Hanoch McCarry, da Universidade Estadual de Cleveland, Ohio, quis compartilhar um pouco de divertimento e de riso com o filho Ethan e a filha Shayna, e teve a ideia de fazer um livro de recortes engraçados. “Demos ao livro o título de ‘Isto é ridículo’, e trabalhar nele apertou os laços de nosso relacionamento”, recorda McCarry.
Um livro de recordes de humor leva tempo, claro, mas manter um simples arquivo de riso pode ser fácil. Recorte os desenhos e as piadas favoritos. Arranje um bloco de apontamentos e tome nota das situações cômicas que lhe acontecem no dia a dia.
 
ARRANJE TEMPO PARA RIR
Tal como muitos vendedores, Robert McVeigh, de Pittsburgh, Pensilvânia, usa o humor com os sus clientes, e isso significa arranjar tempo para colecionar e treinar histórias divertidas. “Essa tem sido a chave para consolidar algumas sinceras e duradouras relações com meus clientes”, diz Robert, citando uma frase favorita do comediante Victor Borge: “O sorriso é a distância mais curta entre duas pessoas”.
Jane Nelsen, conselheira matrimonial americana, tinha pouco tempo livre e achou que talvez estivesse perdendo o senso de humor, principalmente quanto ao marido e aos filhos. “Resolvi tomar providências, para que meus filhos recebessem sua dose diária de humor”, diz ela.
Jane começou por colocar recados e recortes de cartuns nas lancheiras que seus filhos levavam para a escola, nos espelhos e na porta da geladeira. Em vez de mandar aos parentes cartões com felicitações, escrevia poemas humorísticos. O resto da família se tocou. “Uma manhã, acordei de mau humor; então, meu filho entrou na cozinha usando um enorme nariz de palhaço”, ela recorda. “Não pude deixar de rir! Isso me fez começar o dia de maneira inteiramente diferente”.
 
QUANDO PRECISAR, RIA MESMO
O comediógrafo Gene Perrer, que escrevia para Bob Hope e outros artistas, conta que uma vez se sentiu subitamente doente, em um aeroporto.
Foi levado às pressas para uma ambulância; o enfermeiro deitou-o na maca e o prendeu com uma correia, coma cabeça na direção do volante e uma grande garrafa de oxigênio entre as pernas. “Sente-se bem”? - Perguntou o enfermeiro. “Sim”, respondeu gene, “a não ser que vocês deem uma freada brusca”. Na opinião de Gene, brincar com sua própria vulnerabilidade “tornou a situação mais fácil para mim e para todos quem iam na ambulância”.
Segundo o comediante Bill Cosby, com humor podemos suavizar algumas das piores bofetadas que a vida nos dá “e, uma vez encontrado o riso”, insiste ele, “por pior que seja a situação, podemos
Ultrapassá-la”.
 
O SOCIÓLOGO GARY Alan Fine, professor da Universidade de Minnesotta, afirma que o riso é uma habilidade que todos podemos adquirir, porque vem naturalmente, mas também tem de ser alimentada. Talvez ninguém soubesse isso melhor quer o humorista americano Will Roges, falecido em 1935, que uma vez declarou: “Estamos neste mundo por pouco tempo, por isso, o melhor é de vez em quando dar uma boa risada”!
   
Por: José Pedroso

Frutal/MG, 29 de janeiro de 2018.
Josepedroso
Enviado por Josepedroso em 29/01/2018
Reeditado em 20/04/2019
Código do texto: T6239661
Classificação de conteúdo: seguro

Copyright © 2018. Todos os direitos reservados.
Você não pode copiar, exibir, distribuir, executar, criar obras derivadas nem fazer uso comercial desta obra sem a devida permissão do autor.

Comentários

Sobre o autor
Josepedroso
Frutal - Minas Gerais - Brasil
697 textos (244917 leituras)
2 áudios (10 audições)
(estatísticas atualizadas diariamente - última atualização em 20/09/20 21:54)
Josepedroso