Capa
Cadastro
Textos
Áudios
Autores
Mural
Escrivaninha
Ajuda
Textos
Texto

Hoje em dia podemos ter acesso as belíssimas artes na "net" mas até aí o que  falso, o que é verdadeiro?
 
Será que a cada dia não se faz necessário refletir sobre os repasses com pesquisa, independente dos conteúdos?!

É óbvio que em alguns momentos "estilos" podem se cruzar, no entanto será que trocas de autorias não estariam denotando a falta de acompanhamento da linguagem de um determinado autor?

Seguem alguns exemplos de frases destacadas em um dos trabalhos em power point que merece revisão, (entre tantos outros que "circulam na rede") nem tudo o que está escrito às vezes pode ser mesmo considerado de determinado autor, por não ter sido escrito por ele em livro ou artigo, dito em entrevista... 
 
Há de se dar a Lispector o que é de Lispector.


Clarice Lispector Umbrella Art (o que é falso o que é verdadeiro)

"Não tenho mais tempo algum,ser feliz me consome"
Adélia Prado, O Pelicano, pg 77

Sou como você me vê. Posso ser leve como uma brisa ou forte como uma ventania: depende de quando e como você me vê passar.
[carece de fontes] 

*

 
Eu acreditava em anjos. E, porque acreditava, eles existiam.
E, porque acreditava, eles existiam. 
["arranjo desconhecido"] CORRETO:  "Parecia-lhe que havia cometido um crime e que comera um anjo e, porque acreditava, eles existiam." (in: A Hora da Estrela)

"Perder-se também é caminho." in: A cidade sitiada

"(...) já que se há de escrever, que, ao menos não se esmaguem com palavras as entrelinhas" (in: A Paixão segundo G.H)


*

Até cortar os próprios defeitos pode ser perigoso. Nunca se sabe qual é o defeito que sustenta nosso edifício inteiro. (CL)
 
Não se preocupe em entender. Viver ultrapassa qualquer entendimento. (CL)
 
Todos os dias, quando acordo, vou correndo tirar a poeira da palavra “amor”. (atribuído a CL = ainda s/ referencial bibliográfico)
 
Mas há a vida/ que é para ser intensamente vivida,/ há o amor./ Que tem que ser vivido/ até a última gota./ Sem nenhum medo./ Não mata.  (CL)

 “Sempre conservei uma aspa à esquerda e à direita de mim.” ("arranjo desconhecido") CORRETO: [...] quanto a mim mesma, sempre conservei uma aspa à esquerda e outra à direita de mim. in: A Paixão segundo GH

(...) Que medo alegre/ o de te esperar (...) CL, [Estrela Perigosa]
 
(...) tenho medo de dizer porque no momento em que tento falar não só não exprimo o que sinto como o que sinto se transforma lentamente no que eu digo. (...) CL [in: Perto do coração selvagem]

"Quando se ama, não é preciso entender o que acontece lá fora, porque tudo passa a acontecer dentro de nós." Paulo Coelho, in: O Alquimista
 
(...) nem entendo aquilo que entendo: pois estou infinitamente maior do que eu mesma, e não me alcanço.  (CL , In: Aprendendo a viver, RJ: Editora Rocco, 2004.)
 
(...) Ouve-me, ouve meu silêncio. O que falo nunca é o que falo e sim outra coisa. Quando digo "águas abundantes" estou falando da força de corpos nas água do mundo. Capta essa outra coisa que na verdade falo porque eu mesma não posso. Lê a energia que está no meu silêncio. Ah, tenho medo de Deus e do meu silêncio. (aqui conforme transcrição do livro Água Viva por Clarice Lispector)*

"(...) você pode me empurrar pro precipício/não me importo com isso/ eu adoro voar. [Bruna Lombardi, in: O perigo do dragão (Alta Tensão)]
 
E ninguém é eu. E ninguém é você. Esta é a solidão. (CL in: Água Viva)

"Minha alma tem o peso da luz.(...) o imaterial peso de um solidão no meio de outros." (CL)
 
(...) Martim pensou depois que temos um corpo e uma alma e um querer e os nossos filhos — e no entanto o que verdadeiramente somos é aquilo que o impossível cria em nós. (in: A maçã no Escuro)
 
Sou composta por urgências: minhas alegrias são intensas, minhas tristezas, absolutas. Me entupo de ausências, me esvazio de excessos. Eu não caibo no estreito... Eu só vivo nos extremos...
[carece de fontes]

Nota*: Colaboração de uma das comentaristas, Dirce Pires do Nascimento Nanni.


________________________


Nota: Não estão no pps mas [carece de fontes]

*
"Eu sou um ser totalmente passional. Sou movida pela emoção, pela paixão. Tenho meus desatinos. Detesto coisas mais ou menos, não sei amar mais ou menos, não me entrego de forma mais ou menos. Se você procura alguém coerente, sensata, politicamente correta, racional, cheia de moralismo… Esqueça-me! Se você sabe conviver com pessoas intempestivas, emotivas, vulneráveis, amáveis, que explodem na emoção: acolha-me." ''[carece de fontes]''

* "(...) farei o possível para não amar demais as pessoas, sobretudo por causa das pessoas. Às vezes o amor que se dá pesa quase com responsabilidade na pessoa que o recebe (...) ''[carece de fontes]''

.....................................


Ressalto na Comunidade: Afinal, quem é o autor? (orkut) além da "caça ao plágio" hoje em dia verificamos muitas autorias trocadas, quanto maior o número de pessoas prestando atenção nos escritos e na PESQUISA, maior o sentido aberto para a conscientização das letras verdadeiras dos autores.

Que um autor gostaria de ter suas reais palavras apreciadas, por isto vejam com bons olhos e se puderem nos auxiliem a repassar com PESQUISA.


E se a distorção ocorresse com algum de seus textos e/ou as belas artes de um amigo...? Como você se sentiria?


Aprenda a reconhecer diamantes e admire zircônias.

Em: Clarice Lispector wikiquote http://pt.wikiquote.org/wiki/Clarice_Lispector
CLARICEANAS http://www.rosangelaliberti.recantodasletras.com.br/blog.php?idb=38980
(arte recolhida da net)

Rosangela Aliberti
Enviado por Rosangela Aliberti em 22/05/2010
Reeditado em 09/09/2013
Código do texto: T2272816
Classificação de conteúdo: seguro

Comentários

Sobre a autora
Rosangela Aliberti
Atibaia - São Paulo - Brasil
361 textos (1888426 leituras)
33 áudios (64928 audições)
(estatísticas atualizadas diariamente - última atualização em 09/05/21 14:48)
Rosangela Aliberti

Site do Escritor