Capa
Cadastro
Textos
Áudios
Autores
Mural
Escrivaninha
Ajuda
Textos
Texto

O Viver Só, e suas conseqüências

As pessoas se sentem no direito de julgar o nosso comportamento, mesmo nas formas mais simples, mais espontâneas, mais verdadeiras e ingênuas que possam acontecer. Invadem aquele “íntimo” mais recatado, merecedor do nosso próprio e maior respeito, a conduta severamente acautelada, a não “melindrar” terceiros ou circunstâncias que os envolvam.

Agridem a nossa forma de pensar e de agir, com o “Martelo” que leva o peso de preconceitos, hipocrisia, desinformação e pseudoditames sociais convenientes às circunstâncias daquele momento ...

Na mal disfarçada ânsia do TER, em detrimento do SER, querem, a qualquer custo, nos moldar aos ditames de quem não sabe ao certo, aonde se inicia o CERTO e se finda o ERRADO ..., enquanto nem mesmo existe “parâmetro”, do certo ou do errado, sequer como contido está na ingenuidade do rudimentar discernimento de uma criança !

O “juízo”, enquanto resultado de um julgamento, é inerente à condição de Ser humano ! E, por isso, está sujeito às tendências de interesse pessoal ou coletivo, conforme o local e o momento em que acontece.

Assim, os valores de um “julgamento” e de um “voto eleitoral”, por exemplo, se confundem a partir da assertiva de que “o voto é a única arma do eleitor” ..., portanto, a necessidade do cuidado em não “furar o próprio pé” !!!

O “Espelho” é uma ferramenta essencial, sobretudo quando posta, a sua face, voltada à face de um outro. A ilusão de ótica do “infinito”, que ora surge entre ambos, pode, muitas das vezes, ilustrar com precisão a singular “imparcialidade” daquele que julga ...




Por Alexandre Boechat,
Em 18 de Abril de 2008.
Alexandre Boechat
Enviado por Alexandre Boechat em 18/04/2008
Código do texto: T950941
Classificação de conteúdo: seguro

Copyright © 2008. Todos os direitos reservados.
Você não pode copiar, exibir, distribuir, executar, criar obras derivadas nem fazer uso comercial desta obra sem a devida permissão do autor.

Comentários

Sobre o autor
Alexandre Boechat
Petrópolis - Rio de Janeiro - Brasil, 61 anos
72 textos (5782 leituras)
(estatísticas atualizadas diariamente - última atualização em 06/04/20 08:55)
Alexandre Boechat