NEGRO - VALÉRIO MÁRCIO

Negro

Negro,

Venha cantar um novo samba,

Venha com a corda e a caçamba,

No banzo a cantarolar.

Chega aqui, na nova terra hospitaleira

Tristonho numa nau negreira,

Pensando em Madagascar.

Negro,

De melanina brava e forte,

Encara a dor, despreza a morte,

Ao avistar a Santa Cruz.

Ó Zumbi, vem respirar nômades ares!

Montar quilombo em palmares,

Vem florescer em grande luz.

Negro,

Encara a fera e a chibata,

Encara o açoite em plena mata,

Do sol ardente ao vendaval.

Em surgir,um canto triste na senzala,

Em alto brado canta e cala,

Assim nasceu o carnaval.

Valério Márcio
Enviado por Valério Márcio em 16/04/2007
Reeditado em 16/04/2007
Código do texto: T451526
Classificação de conteúdo: seguro