Capa
Cadastro
Textos
Áudios
Autores
Mural
Escrivaninha
Ajuda
Áudio
ANTES DE USAR UM UTENSÍLIO LEIA AS INSTRUÇÕES
Publicado por: Richard Foxe
Data: 09/11/2019
Classificação de conteúdo: seguro
Créditos:
Locutora: Maria Ventania

Copyright © 2019. Todos os direitos reservados.
Você não pode copiar, exibir, distribuir, executar, criar obras derivadas nem fazer uso comercial desta obra sem a devida permissão do autor.
Enviar por e-mail
Denunciar

Texto

NÃO SEJA OTÁRIO: ANTES DE USAR UM UTENSÍLIO LEIA SEMPRE AS INSTRUÇÕES!

.
Alguém já reparou como nesses últimos quinze ou vinte anos qualquer aparelho ou utensílio que compramos num supermercado vem sempre acompanhado por um livreto composto de numerosas páginas, contendo instruções escritas em inúmeras línguas?
É evidente que as instruções são, no mínimo, indispensáveis quando se trata de algum equipamento eletrônico, como um aparelho de TV, um smartphone ou um condicionador de ar. No entanto elas se tornam redundantes no caso de objetos cujo uso é simplório e não particularmente complexo.

Hoje, por exemplo, fui numa grande loja de equipamentos e comprei um soldador elétrico por menos de sete euros. Um bom negócio, condierando que o soldador vinha com um suporte e duas pontas, uma cônica e uma achatada. Naturalmente não podia faltar o preciosíssimo “Manual de instruções” escrito em nada menos que quinze idiomas diferentes, inclusive em português.
Como, fundamentalmente, não há nada a fazer se não enfiar o plugue na tomada e começar a soldar, a parte mais significativa das instruções era aquela em negrito pomposamente intitulada:


                              AVISOS DE SEGURANÇA

“O aparelho pode ser usado por crianças com mais de 8 anos e por pessoas com reduzidas capacidades físicas, sensoriais ou mentais [...] desde que vigiadas ou desde que tenham recebido instruções relativas ao uso seguro do aparelho e à compreensão dos perigos inerentes ao mesmo.”

Ou seja, caso você precise soldar um fio elétrico, chame seu filho de 8 anos e 3 meses, tire das mãos dele a sua revistinha preferida, faça um curso ultrarápido de eletrônica (dois minutos deveriam ser mais que suficientes), entregue o soldador e reze para que ele consiga reparar o seu aparelho de som ou o seu computador sem queimar os dedinhos.
Em alternativa, poderá contar com a ajuda de vovô que, tendo acabado de completar 95 anos e tendo uma vista mais aguda que uma águia e a mão mais firme que a de Arsene Lupin, decerto irá conseguir realizar essa façanha, feliz de ter dado a sua valiosa contribuição em âmbito familiar. Por outro lado, caso tenha compreendido os fundamentos e os perigos inerentes à soldadura, até aquela velha tia, embora acometida pela Doença de Alzheimer, terá grande sucesso na empresa. E não apenas ela, mas qualquer pessoa com reduzidas capacidades mentais, quando oportunamente instruída, poderá transcorrer horas amenas soldando fios, resistores, condensadores e outras partes de aparelhos eletroeletrônicos!
Ma vamos continuar lendo outras pérolas do Manual...

“As crianças não devem brincar com o aparelho. A limpeza [...] nunca deve ser efetuada por crianças não vigiladas.”

Foi muito bom ter explicado essa parte porque é bem provável que um pai entregue o soldador à filha pequena para brincar com um aparelho que, tendo que derreter estanho, alcança uma temperatura superior aos 232° C. Afinal, todos sabem que pais, tios e avós adoram oferecer soldadores, devidamente ligados na tomada, aos bebês para que se divirtam chupando a ponta quase abrasada do pequeno aparelho.
Por outro lado, permitir que os mesmos limpem o soldador, desde que vigiados, é de grande conforto e de extrema utilidade: os pirralhos irão aprender a desenvolver uma tarefa altamente especializada, uma experiência indispensável para arrumar futuramente um cargo de confiança -muito bem remunerado- numa empresa multinacional.

“Manter sempre o utensílio afastado de material inflamável (cortinados, materiais combustíveis, móveis, etc.).”

Essa dica é simplesmente fundamental. É bem provável que, quem desconhece essa regra, utilize o soldador para mesclar gasolina ou, pior, o aproxime a uma banana de dinamite.

“Não acionar o aparelho com as mãos ou pés molhados; não expor o aparelho à humidade ou água”

Que pena, devia ser tão gostoso trabalhar com o soldador debaixo do chuveiro ou dentro da banheira...

“Não deixar o produto exposto aos agentes atmosféricos.”

Vixe, e pensar que pretendia usá-lo como nariz no boneco de neve durante o próximo inverno...

“Depois de terminar o trabalho o soldador deve estar desligado; deixar arrefecer o soldador ao ar, nunca mergulhá-lo em água para evitar choques elétricos.”

Isso deveria ser evidente, mas, como diziam os latinos, que eram sábios, “repetite iuvant”.

“Evitar de tocar com as mãos ou outras partes do corpo nas partes metálicas do soldador aceso, a temperatura elevada das mesmas pode causar queimaduras graves.”

Nossa, não sabia que o fogo queima! Obrigado por ter me salvado! Mas, além das mãos, quais seriam as “outras partes do corpo” em perigo? As nádegas?!

“Ter sempre presente que este utensílio elétrico pode incendiar materiais de vários tipos; testar num material residual antes do uso.”

Cruz-credo! Agora terei que testar todos os materiais que tenho em casa, pois nunca se sabe o que pode acontecer, né?

“O cabo de alimentação é composto por elementos perigosos que não devem ser deixados ao alcance das crianças. Este utensílio elétrico não é um brinquedo.”

Meu Deus, quanto perigo! E pensar que comprei o soldador justamente pensando que fosse um brinquedo inocente, apto a substituir o ursinho de pelúcia: estou de queixo caído!
E agora José?
Sabe o que vou fazer? Amanhã bem cedinho corro pra loja e devolvo imediatamente esse objeto infernal!








Richard Foxe
Enviado por Richard Foxe em 30/06/2019
Reeditado em 01/07/2019
Código do texto: T6685291
Classificação de conteúdo: seguro

Copyright © 2019. Todos os direitos reservados.
Você não pode copiar, exibir, distribuir, executar, criar obras derivadas nem fazer uso comercial desta obra sem a devida permissão do autor.

Comentários

Sobre o autor
Richard Foxe
San Marino - San Marino - San Marino
170 textos (59357 leituras)
28 áudios (2248 audições)
11 e-livros (916 leituras)
(estatísticas atualizadas diariamente - última atualização em 08/12/19 00:33)
Richard Foxe
Rádio Poética