Capa
Cadastro
Textos
Áudios
Autores
Mural
Escrivaninha
Ajuda
Áudio
O trem desta vida
Publicado por: oliprest
Data: 13/01/2018
Classificação de conteúdo: seguro
Créditos:
Título: O trem desta vida
Autor: Oli Prestes
Voz: Oli Prestes

Esta obra está licenciada sob uma Licença Creative Commons. Você pode copiar, distribuir, exibir, executar, desde que seja dado crédito ao autor original (Oli de Siqueira Prestes). Você não pode fazer uso comercial desta obra. Você não pode criar obras derivadas.
Enviar por e-mail
Denunciar

Texto

O trem desta vida

O TREM DESTA VIDA

Esta vida é como um trem o qual leva as pessoas a várias estações, mas que também vai para a estação final. Muitas pessoas que estão no trem curtem as paisagens, outros leem, outros dormem, outros conversam; assistem programa de rádio, televisão; jogam com os seus dispositivos móveis; discutem sobre futebol, política. Alguns curtem as estações, as quais tem nomes bem sugestivos, como: alegria, tristeza, saudade, primavera, verão, outono, inverno; além de amizade, etc. Há quem fique impaciente com as paradas, porque gostam da velocidade e da emoção que ela propicia. Nele vão pessoas de todas as idades. Assim, uns apenas comem, bebem e dormem, enquanto outros têm o oficio de servir aos passageiros em todas as suas necessidades mais triviais como cabeleireiros, manicures, pedicure, costureiros. Também tem dançarinas, camareiras, garçons, e outros mais, que servem e são servidos nas suas necessidades e exigências.

À margem da ferrovia, indo à pé na mesma direção e sentido, vão outros, que veem as locomotivas passando velozmente, as quais não podem parar por que, para isso há estações. Outros não quiseram ir de trem, acham melhor caminhar lentamente, pois dizem que “quem anda alcança e que devagar se vai ao longe”. Desses transeuntes e pedestres, muitos já estão na idade senil, outros ainda nem sabem andar e são levados ao colo por seus pais e cuidadores.

Alguns são como ovelhas indo para o matadouro, não reclamam, aceitando que todos caminham para um fim, o qual não sabem nem podem prever.

Alguns descem em alguma estação, pois não chegou o tempo de chegarem a estação final, outros fazem breves descida e logo retomam os seus lugares nos vagões, pois não sabem que mais cedo deixarão o vagão bem como os seus lugares para outros.

A locomotiva prossegue sempre e nunca volta. Alguns chegam dormindo na sua estação, e nem tem tempo de ler o nome dela na qual terão que desembarcar e a qual se chama cemitério. Mas o fiscal do trem o retira à força do seu assento e lança-o para fora, e ele nem compreende a razão disso.

Prepare-se! A sua estação pode ser a próxima.

Oli Prestes
Missionário
oliprest
Enviado por oliprest em 09/12/2017
Reeditado em 13/01/2018
Código do texto: T6194638
Classificação de conteúdo: seguro

Esta obra está licenciada sob uma Licença Creative Commons. Você pode copiar, distribuir, exibir, executar, desde que seja dado crédito ao autor original (Oli de Siqueira Prestes). Você não pode fazer uso comercial desta obra. Você não pode criar obras derivadas.

Comentários

Sobre o autor
oliprest
Manaus - Amazonas - Brasil, 68 anos
2275 textos (213983 leituras)
278 áudios (3548 audições)
(estatísticas atualizadas diariamente - última atualização em 22/07/18 21:32)
oliprest

Site do Escritor
Rádio Poética