Deus Requer Santificação aos Cristãos 14

Publicado por: Silvio Dutra
Data: 23/11/2021
Classificação de conteúdo: seguro

Créditos

Texto: Silvo Dutra
Voz: Silvio Dutra

 

 

 

 

 

 

“Mas um só e o mesmo Espírito realiza todas estas coisas, distribuindo-as, como lhe apraz, a cada um, individualmente. Porque, assim como o corpo é um e tem muitos membros, e todos os membros, sendo muitos, constituem um só corpo, assim também com respeito a Cristo. Pois, em um só Espírito, todos nós fomos batizados em um corpo, quer judeus, quer gregos, quer escravos, quer livres. E a todos nós foi dado beber de um só Espírito. Porque também o corpo não é um só membro, mas muitos.” [I Co 12: 11-14]

 

Os membros do corpo têm funções diferentes e uns são mais importantes do que outros, dado terem sido dispostos por Deus com funções que os distinguem dos demais, pela muita responsabilidade que possuem para a vitalidade de todo o corpo.

Assim, também sucede em relação ao corpo de Cristo que é a Igreja, o qual é composto por muitos membros com diversas funções.

Todavia, há aqui uma cobrança moral de responsabilidade pelo funcionamento de cada membro, uma vez que se requer, da parte de Deus, que cada um desempenhe o que lhe foi confiado de maneira adequada e correta. E, quanto maiores forem os dons, graças, capacitações e habilidades recebidos, maior é a responsabilidade, pois muito se pedirá a quem muito foi dado.

Daí as várias advertências que encontramos na Bíblia para o desempenho fiel, especialmente daqueles que exercem o ministério.

“2 É necessário, portanto, que o bispo seja irrepreensível, esposo de uma só mulher, temperante, sóbrio, modesto, hospitaleiro, apto para ensinar;

3 não dado ao vinho, não violento, porém cordato, inimigo de contendas, não avarento;

4 e que governe bem a própria casa, criando os filhos sob disciplina, com todo o respeito

5 (pois, se alguém não sabe governar a própria casa, como cuidará da igreja de Deus?);

6 não seja neófito, para não suceder que se ensoberbeça e incorra na condenação do diabo.

7 Pelo contrário, é necessário que ele tenha bom testemunho dos de fora, a fim de não cair no opróbrio e no laço do diabo.

8 Semelhantemente, quanto a diáconos, é necessário que sejam respeitáveis, de uma só palavra, não inclinados a muito vinho, não cobiçosos de sórdida ganância,

9 conservando o mistério da fé com a consciência limpa.

10 Também sejam estes primeiramente experimentados; e, se se mostrarem irrepreensíveis, exerçam o diaconato.

11 Da mesma sorte, quanto a mulheres, é necessário que sejam elas respeitáveis, não maldizentes, temperantes e fiéis em tudo.

12 O diácono seja marido de uma só mulher e governe bem seus filhos e a própria casa.” [I Tm 3: 2-12]

 

“5 assim também nós, conquanto muitos, somos um só corpo em Cristo e membros uns dos outros,

6 tendo, porém, diferentes dons segundo a graça que nos foi dada: se profecia, seja segundo a proporção da fé;

7 se ministério, dediquemo-nos ao ministério; ou o que ensina esmere-se no fazê-lo;

8 ou o que exorta faça-o com dedicação; o que contribui, com liberalidade; o que preside, com diligência; quem exerce misericórdia, com alegria.” [Rm 12: 5-8]

 

“10 Servi uns aos outros, cada um conforme o dom que recebeu, como bons despenseiros da multiforme graça de Deus.

11 Se alguém fala, fale de acordo com os oráculos de Deus; se alguém serve, faça-o na força que Deus supre, para que, em todas as coisas, seja Deus glorificado, por meio de Jesus Cristo, a quem pertence a glória e o domínio pelos séculos dos séculos. Amém!” [ Pe 4: 10,11]

 

“Devem ser considerados merecedores de dobrados honorários os presbíteros que presidem bem, com especialidade os que se afadigam na palavra e no ensino.”            [I Tm 5: 17]

 

Tudo isso deve ser realizado em verdadeira santidade e piedade de vida, uma vez que Deus jamais aceitará qualquer serviço ou culto sem ambas.

Nós vemos em vários exemplos destacados nas Escrituras, que Deus sempre tratou aqueles que eram separados para o ministério, com maior rigor quanto à separação do mundo, que deles era exigida para que pudessem ministrar perante Ele, em plena sintonia com o Seu coração e vontade.

Nunca se ouviria de Moisés, que estava realizando uma viagem para gozo de férias em algum lugar aprazível.

Davi, nunca seria achado longe de seus deveres relativos ao reino que tinha que governar.

 

Assim, perde-se sempre aquela linha tênue e sensível da comunhão com Deus, e da respiração da atmosfera de santidade, quando algum líder se dispõe a seguir os padrões que o mundo usa, especialmente em entretenimentos.

O que seria facultado a muitos professantes, no entanto não deve ser visto nos que se aproximam de Deus para receberem dEle o que devem ministrar àqueles que lhes foram confiados por Ele, para serem apascentados.

Os que lideram sempre devem ser achados nos lugares e condições que o Espírito Santo lhes apontar, porque é exigido deles, a fim de que sejam modelos para todo o rebanho, quanto à disponibilidade que deve haver em todos quanto às renúncias que devem ser feitas, por amor a Cristo e ao Evangelho.

Ninguém se iluda, pensando que por exercer cargos importantes na Igreja obterá meramente por isso, uma recomendação especial para si da parte do Senhor, pois como vimos antes, maior é a responsabilidade daqueles que são chamados por Ele, para se encarregarem de pastorear Seu rebanho.

“Meus irmãos, não vos torneis, muitos de vós, mestres, sabendo que havemos de receber maior juízo.” [Tg 3: 1]

 

Jesus revela na Parábola dos Talentos, que se exige retorno ao nível da responsabilidade que foi atribuída a cada um. Todos deverão prestar contas de suas obras no Tribunal de Cristo, e as mesmas estão sendo provadas pelo fogo.

Deus não julga segundo a aparência, mas segundo o que há de fato, no coração. Ele julga segundo a reta justiça, e verdade no interior de cada um. É impossível que seja enganado por uma aparência exterior de piedade, que negue contudo o seu poder real interior.

 

Além de tudo isso, o que se requer dos membros é que atuem, um em favor do outro, sem ciúmes e invejas, que são tão comuns ao espírito do velho homem, e tão adversos e opostos ao amor ágape; que não é ciumento ou invejoso, tudo suporta, tudo crê, tudo sofre e espera.

Quando nos deixamos governar por sentimentos e não pela verdade da Palavra de Deus, sem uma mente renovada pelo Espírito Santo, abre-se uma porta enorme para a atuação da carne e dos demônios, e o que se verá fatalmente são as divisões que havia na Igreja de Corinto, e alguns membros em Filipos, até mesmo entre duas diaconisas (Evódia e Síntique) - daí, o apóstolo Paulo ter-lhes recomendado, que vivessem com o mesmo espírito que habitou em nosso Senhor Jesus Cristo, em Seu supremo exemplo de humilhação e submissão à vontade do Pai.

 

No céu não necessitaremos mais da prudência da serpente, mas a simplicidade da pomba há de continuar e ser vista mais profundamente quando lá estivermos, por isso se requer de nós mais deste espírito enquanto aqui vivermos, do que qualquer outro, senão não poderemos viver de modo agradável a Deus e de uns aos outros.


 


 

Silvio Dutra
Enviado por Silvio Dutra em 26/10/2021
Reeditado em 06/12/2021
Código do texto: T7372118
Classificação de conteúdo: seguro