Capa
Cadastro
Textos
Áudios
Autores
Mural
Escrivaninha
Ajuda
Áudio
*Tempo - Tânia Ailene / Marcos Sérgio T. Lopes***
Publicado por: Tânia Ailene Nua Poesia
Data: 26/07/2009
Créditos:
Texto:\"Tempo\" - Tânia Ailene
Voz: Marcos Sérgio T. Lopes
Edição: Marcos Sérgio T. Lopes

Copyright © 2009. Todos os direitos reservados.
Você não pode copiar, exibir, distribuir, executar, criar obras derivadas nem fazer uso comercial desta obra sem a devida permissão do autor.
Enviar por e-mail
Denunciar

Texto



Tempo
Tânia Ailene

Tenho admiração e contemplo você
Penso em falar, evito, sofro,
espero, que um dia coloque um fim,
nesta amargura.
O tempo que estamos perdendo
não será recuperado.
Erramos, desconfiamos e por tão pouco,
acabamos nos magoando.
Talvez seja tarde,
nem sei porque tudo aconteceu.
Vamos tentar sem promessas.
Fique à vontade,
Diga-me o que desejas de mim,
não tenho sonhos,
quero um tempo para mim.
Por nós.
Sempre terás teu lugar reservado,
tudo que eu não te dei,
poderia ter, se voltasse a ser diferente.
Não te darei carinhos nem afetos,
enquanto esta dor não sair do meu peito.
Agora que penso em ir embora,
você me faz juras e finge.
Pensou que eu seria enganada,
não foi consolo
morri em você.
Só fiz amor com você,
desfaleci em seus braços,
acreditei que era sincero,
passamos dias e noites e você traiçoeiro,
foi tolo, fui sua caça.
Hoje você foi caçado,
Amor de mim não terá,
a falsidade doeu.
Sinto que ao acordar já não te procuro,
alucinada fiquei ao saber do que foste capaz,
arrasou meu coração,
o que foi escondido você descobriu.
Essa prisão sem grades e
promessas não concretizadas,
todas mentiras.
Quem ama não quer perder,
não magoa, não maltrata, não decepciona.
Achei que era para sempre,
hoje sei que quis sozinha,
lutei feita uma leoa,
investi todos os meus sentimentos,
apostei em você.
Em troca você foi indecente,
imoral, sem juízo.
Só não queria acordar e
ver os tempos passados, esquecidos.
Você não pode atirar pedras,
já chorei, sofri, fui selvagem,
omissa por você.
Magoei-me,
só que desta vez doeu demais,
amanhã será jamais.
Preciso de tempo!
Ou deixaremos assim
a resposta um dia o tempo dará...

www.boemio.com.br/midivoice/nacionais/letra_N/nacionais_nana_caymmi_resposta_ao_tempo.mid
Tânia Ailene Nua Poesia
Enviado por Tânia Ailene Nua Poesia em 26/07/2009
Reeditado em 21/07/2011
Código do texto: T1720945

Copyright © 2009. Todos os direitos reservados.
Você não pode copiar, exibir, distribuir, executar, criar obras derivadas nem fazer uso comercial desta obra sem a devida permissão do autor.

Comentários

Sobre a autora
Tânia Ailene Nua Poesia
Rio de Janeiro - Rio de Janeiro - Brasil
886 textos (30732 leituras)
28 áudios (1379 audições)
(estatísticas atualizadas diariamente - última atualização em 25/06/19 13:08)
Tânia Ailene Nua Poesia
Rádio Poética