Capa
Cadastro
Textos
Áudios
Autores
Mural
Escrivaninha
Ajuda
Áudio
Meu corpo virou concreto
Publicado por: Larissa Prado
Data: 24/07/2017
Classificação de conteúdo: seguro
Créditos:
Poesia: Meu corpo virou concreto - Larissa Prado
Voz: Leandro Aguilar

Copyright © 2017. Todos os direitos reservados.
Você não pode copiar, exibir, distribuir, executar, criar obras derivadas nem fazer uso comercial desta obra sem a devida permissão do autor.

Texto

Meu corpo virou concreto

Às vezes, meus olhos parecem duas bolas de fogo saltando no espaço
do oco do meu cérebro onde há apenas cansaço.

Corro de um lado a outro por ruas sem saída e becos de vielas,
não há espaço nessa cidade que abarque a deformidade
do meu gingatismo. 

Minhas mãos estão feridas no asfalto quente do meio-dia,
as dores parecem um pouco com a incandescência
de lava
de vulcão.

O olho do sol no meio da tarde no céu é a boca do inferno.

Eu choro lágrimas sem liquidez,
todo meu corpo virou concreto. 
Larissa Prado
Enviado por Larissa Prado em 19/06/2017
Código do texto: T6031845
Classificação de conteúdo: seguro

Copyright © 2017. Todos os direitos reservados.
Você não pode copiar, exibir, distribuir, executar, criar obras derivadas nem fazer uso comercial desta obra sem a devida permissão do autor.

Comentários

Sobre a autora
Larissa Prado
Goiânia - Goiás - Brasil
67 textos (8940 leituras)
11 áudios (583 audições)
11 e-livros (6087 leituras)
(estatísticas atualizadas diariamente - última atualização em 21/01/20 15:00)

Site do Escritor
Rádio Poética