Capa
Cadastro
Textos
Áudios
Autores
Mural
Escrivaninha
Ajuda
Áudio
Um dia tão meu
Publicado por: C J Olliveira
Data: 26/12/2018
Classificação de conteúdo: seguro
Créditos:
texto: cjolliveira

música: "Second Chance" SHINEDOWN

Copyright © 2018. Todos os direitos reservados.
Você não pode copiar, exibir, distribuir, executar, criar obras derivadas nem fazer uso comercial desta obra sem a devida permissão do autor.
Enviar por e-mail
Denunciar

Texto
Um dia tão meu
 
Seria mais um dia comum, de vento sul, acariciando os traços de outra menina às margens do descanso iminente, coisa de fim de jornada. Mas... O crepúsculo devorado pela chegada das constelações ditou os passos agressivos desde a alma. O toque do tempo sorvia a liturgia sob memórias turbulentas. O desassossego límbico era o cenário. Olhares híbridos povoavam as imagens. O oxigênio vertia o silêncio orquestral rasgando o peito nos batimentos apocalípticos. Pensamentos tropeçavam a cada milímetro destilado do caminho. Um nevoeiro enigmático subtraía o horizonte. Audíveis emoções rumavam lado a lado com o desconforto soturno, que emergia do estreito futuro, mesmo que no pretérito nada perfeito. As garras sinistras da tensão traziam a tona o magma da disparidade contemporânea, cortes na derme do cotidiano social, ainda abertos - quem pode suturar os hemisférios, tais falhas continentais na urgência pública? Teceu conceitos, contextos e defeitos predeterminados ou desajustados pelo medo e suas grades automáticas. Se sentiu tão observada pelo próprio reflexo que não podia fugir, nem de si. Era mais uma vítima que dançava conforme a música metropolitana. O lixo hereditário de outras quimeras, restos mortais da lusofonia, ainda incidente pelas vielas atemporais, o qual mantém entupidos os ralos da história, decantando o caos até a superfície dos meros mortais. Uma menina a frente do seu tempo, sufocada pelas páginas de suas falas, talvez as mais recentes. Alinhada ao desejo emblemático do conforto intacto, caminhava apressada e ofegante. Flutuava sorrateira na sentença desenhada pelo subconsciente antes e depois de alguns caixotes empilhados no descaso, tão alheio e inundado de periferia, submundo adequado às capitais e suas ações proteladas. Cruzou o limiar e assentou-se na empatia da odisseia. Sobreviveu de fato. Mas inevitável foram os efeitos colaterais das mesmas mazelas, as dela. Acho que de todos. Este foi um dia tão meu.
C J Olliveira
Enviado por C J Olliveira em 30/11/2018
Código do texto: T6515467
Classificação de conteúdo: seguro

Copyright © 2018. Todos os direitos reservados.
Você não pode copiar, exibir, distribuir, executar, criar obras derivadas nem fazer uso comercial desta obra sem a devida permissão do autor.

Comentários

Sobre o autor
C J Olliveira
Rio de Janeiro - Rio de Janeiro - Brasil
57 textos (858 leituras)
2 áudios (38 audições)
(estatísticas atualizadas diariamente - última atualização em 22/02/19 19:31)
C J Olliveira
Rádio Poética