Capa
Cadastro
Textos
Áudios
Autores
Mural
Escrivaninha
Ajuda
Áudio
Pra Você
Publicado por: Andre Leonardo
Data: 12/12/2019
Classificação de conteúdo: seguro
Créditos:
Autoria e Interpretação: André Leonardo
Música: Saudade
Autor da Música:Cícero Euclides
Fonte: Youtube

Copyright © 2019. Todos os direitos reservados.
Você não pode copiar, exibir, distribuir, executar, criar obras derivadas nem fazer uso comercial desta obra sem a devida permissão do autor.

Texto

PRA VOCÊ

Sim, é uma despedida. Mas uma despedida nossa é diferente das outras; talvez parecida apenas com outra de nossas despedidas. Mas acho que não há uma despedida de casal igual a outra. Porque mesmo com as aparências encortinando as circunstancias, tem todo um universo peculiar cheio de emoções, expectativas, medo, ansiedade... Muita tristeza, e talvez um pouco de alegria. Mesmo que esses elementos não sejam exclusivos em nossa despedida eles o são pelos pesos e medidas próprias das nossas circunstancias. É um lado bem complexo, mas tem outro simples demais.

Devo colocar aqui que essa despedida não é minha, embora eu esteja a proferindo. Muito pelo contrário, me entristece ser o seu relator. De modo que, ela não é consequência de alguma mágoa... De algum orgulho... Ou mesmo de um desentendimento. Ela é apenas uma decorrência natural do seu silêncio. Silêncio esse que desconsiderou cada uma de minhas mensagens, fotos, palavras, enfim... Cada um de meus passos em sua direção.

O que eu fiz com você eu realmente não sei... Mas eu sei bem o que você fez pra mim. Você me apresentou a realidade em um mundo no qual havia apenas eu. Um mundo que eu criei, e cada vez que você me visitou nele o fortaleceu. Paralelamente você foi fortalecendo o que você representa pra mim de verdade, e foi me ensinando isso. Mesmo sem saber que o fazia... Com suas palavras, suas mensagens, seu carinho. Assim como me mostrou da mesma forma, embora com tristeza, cada ausência sua, cada intervalo longo, cada indiferença com a minha proximidade cada vez mais intensa.

Você provocou muitas reuniões na minha mente. Profundas discussões entre meu consciente, subconsciente e inconsciente. Os três a buscarem explicações ao que acontecia dentro da sede complexa da minha alma. Enquanto isso, na sala ao lado, meu coração ria dos três... Dono de toda a compreensão necessária: a que se sente. E o quão triste pode ser o sentir quando não podemos sentir e mesmo assim o sentimos. Quando queremos receber, mas não querem nos dar. O quão triste pode ser aguardar uma única palavra, de uma nota de voz de quem tanto se espera. As palavras, a mente cria. A mente aprende cedo a criar o que queremos, trazer o que não temos, mudar o que há... A mente, velha amiga, a página em branco – fiel confidente. Mas a realidade é relativa, sempre. E isso é a fortuna dos que sonham, dos que pensam, dos que sentem. Porque o que acontece entre nós pra mim é muito real, muito mais do que muito que me aconteceu, e hoje eu vejo ilusão. É real porque está aqui em mim, aqui dentro... Respira em meu coração, acorda em ser, observa em minha mente, sente em meu pulsar. Emerge daqui e toma por veículo a paixão, que volita pela alma, encantando cada membro do meu corpo, cada sentido da minha alma, a calma e a compreensão do amor residem e se comprovam nas presentes palavras, na presente carta, na presente e inexplicável emoção. Aqui está você, do meu lado, assim... Aqui estão os seus lábios, e como são macios... Meu Deus, como paguei caro também por amar apreciá-la... Sua voz, sua boca, seu corpo, sua sensualidade que bate em mim como um belo raio de sol a me despertar para um dia novo cheio de possibilidades. Quantas noites fui te ver, e em quantas te recebi! E na incógnita da nossa história, quantas emoçoes me anunciaram sua presença... Quantas correram para dizer-me que você havia partido. Quanto me extasiei de alegria em conversar com você sobre tantas coisas. Quanto gozei com você, pra você, por você,  aqui dentro. De dentro pra fora. O quanto te admiro pessoa, o quanto te quero amiga, o quanto te desejo mulher! Como me senti mais homem a cada suspiro que te provoquei, a cada chama que te acendi. Fogo longínquo do qual me aqueço até hoje e onde esquento todas as minhas esperanças de encontrá-la nisso tudo novamente. Eu sou mais homem com você, sou mais feliz com você, sou mais inteligente com você, e agora mais triste... sem você.

Mas essa despedida, meu amor, tem duas fases. E é preciso que se cumpra as duas etapas para que ela seja, de fato, consumada. Ela é o que sinto, o que vejo, que compreendo disso tudo nesse momento. Mas sem a sua aceitação, ela torna-se resíduos livres uns dos outros, que não são capazes de se juntarem, o que invalida o sentido que possam compor. Essa despedida pode ser apenas fragmentos de mais uma folha escrita, como também pode ser o atestado da nossa nova realidade. Nem eu sei o que ela será. Essa despedida é nada com a sua presença. Assim como eu com a sua ausência.

Beijos doces na boca... na boca... na boca... na boc
a...
Andre Leonardo
Enviado por Andre Leonardo em 12/12/2019
Reeditado em 12/12/2019
Código do texto: T6816884
Classificação de conteúdo: seguro

Copyright © 2019. Todos os direitos reservados.
Você não pode copiar, exibir, distribuir, executar, criar obras derivadas nem fazer uso comercial desta obra sem a devida permissão do autor.

Comentários

Sobre o autor
Andre Leonardo
Guarulhos - São Paulo - Brasil
20 textos (487 leituras)
2 áudios (132 audições)
(estatísticas atualizadas diariamente - última atualização em 25/01/20 08:49)
Andre Leonardo
Rádio Poética