Capa
Cadastro
Textos
Áudios
Autores
Mural
Escrivaninha
Ajuda
Autores

Sobre o autor
POETA ELOQUENTE
Marília - São Paulo - Brasil, 40 anos
227 textos (72024 leituras)
(estatísticas atualizadas diariamente - última atualização em 12/04/21 00:32)
POETA ELOQUENTE

Textos do autor
Perfil
QUEM SOU EU!
Para onde foram meus sonhos? Puras ilusões tudo se perdeu com tudo que se perde.
Deixei para traz minha esperança, elas se perderam com minha infância, sei que é vão meus lamentos. Como dizem também individualistas, nada disso interessa. Dizem também que não há mal que dure pra sempre, não sei porque ainda sofro do mal do amor, e quanto mais belo é o sonho, maior o pesadelo.
Porém, não entrego-me as farpas das angustias. Isto, para não dar gosto aos hipocritas que me cercam, a inveja e o mau carater de alguns egoistas, ou hipocritas tem feito-me lutar contra meus proprios principios,e, apesar do desafeto, apesar da insonia eu ainda sou eu mesmo. Saio com isto de minha clausula para viver esse amor, embora seja este amor quase impossivel que só tem me agredido, me humilhado e me violentado...
Isto torna-me até certo ponto indiferente, às flores, aos beijos, até hoje não os tenhos. Deixei-me tragar pela volupia dos instintos do amor, levando-me ao fel da angustia e, como se fosse uma boca de lobo, a tragar-me , formando uma galeria que envolve seus sobriventes. Onde foi que deixei meus momentos? minhas poesias? ... Nos meus sonhos talvez, sonhos que transformam, contudo, sinto que alguem se alimenta com o veneno da ganância, com a inveja, com o odío no coração maldizendo o mundo. Tudo fica sem resposta e para a causar mais constregimento, recai sobre o nós a calúnia, mas eu, despojado de todos esses males, ou das asparezas, tenho lutado constantemente para nao cair das desilusões. Por isso agarro-me a caneta. onde em um pedaço de papel falo a linguagem do meu sofrimento apesar de tudo, o meu coração já acustumando-se as estas horas de tedio e dores, talvez por isso já não reclama mais assim, caminho levando a sina de um sofrer querendo ou de querer sofrendo.
Uma sina tornou-se meu grande sofrer, em minha razão de viver. Para onde foram meus sonhos. Com eles foi a minha vida, uma vida de dor, de magóas, e de sofrimento!
POETA ELOQUENTE
Publicado no Recanto das Letras em 16/04/2007
Código do texto: T452050


Última atualização em 12/04/21 00:32