Capa
Cadastro
Textos
Áudios
Autores
Mural
Escrivaninha
Ajuda
Autores

Sobre o autor
Isaías Ramalho da Silva
Foz do Iguaçu - Paraná - Brasil, 52 anos
119 textos (920 leituras)
(estatísticas atualizadas diariamente - última atualização em 05/08/21 02:46)
Isaías Ramalho da Silva

Textos do autor
Perfil
Quem Sou Eu
 
Que difícil fazer tal exercício,
Um retrato que mostre quem sou eu,
Externando, da vida de plebeu,
Minha forma de ser: virtude e vício.
 
Sou calmo; porém, não levo convício;
Observador, ouvinte que esqueceu
Um jeito carinhoso... (lapso meu!)
Escorpiano sou, meu artifício!
 
Um pouco sou alegria e sou bondade,
Mesmo que para além da adversidade,
Em que guardo otimismo e bom humor.
 
Severo defensor de uma amizade;
Mas, nunca queiram ver o meu furor!...
O mais, eu sou poeta sonhador!
 
Sou um Sonetista
 
Sou natural do chão sul-fluminense,
Onde passei minha mocidade.
Um dia quis deixar o berço angrense;
Um sonho de crescer, com brevidade,
 
Me fez chegar em solo iguaçuense.
Sigo no meu destino, em Foz, cidade
Onde fui servidor paranaense.
No casamento achei felicidade!
 
Empolgado confirmo: tenho filhos!
Tesouros que ganhei: os meus três brilhos!
Imensa gratidão, a de ser pai!
 
Sonhador, sonetista; sou poeta!
Também, acrosticista, que, por meta,
Atém-se ao coração, dele não sai!


Natural da cidade de Angra dos Reis, Estado do Rio de Janeiro, nascido na praia do Abraão, Ilha Grande, na residência de seu avô materno, de parto normal, às 06h15min, sendo o terceiro filho de Ester Ramalho da Silva e Nilçon da Silva, que teveram, ao todo, seis filhos. Dois dos quais, tendo falecido na infância ainda: o primogênito, com apenas três meses de vida; e o quinto, com seis meses de vida. Passou a infância nas cidades de Angra dos Reis e Parati; e a adolescência e começo da juventude em Angra dos Reis. A partir de 1988, depois de uma passagem rápida pela cidade de São Paulo (de abril a junho), de julho em diante passou a morar no Estado do Paraná. Em 1989, ingressou-se na Polícia Militar do Paraná, tendo trabalhado todo o tempo no Batalhão de Polícia Ambiental. Através da Polícia Militar do Paraná, teve a oportunidade de conhecer boa parte do território paranaense, trabalhando em várias regiões. Em 2012, alcançou a aposentadoria proporcional por tempo de serviço. Sobre literatura, sempre gostou da arte poética e procurou submeter seus versos ao crivo dos amigos e familiares, até que em 1995, em Curitiba, publicou seu primeiro livreto de poemas – Sonhos e Inspirações de um Poeta, livro esse que foi publicado de forma artesanal através de um movimento poético que naquela época acontecia na capital paranaense. No meado do ano de 1996, vindo trabalhar em Foz do Iguaçu, fez contato com várias pessoas da cidade que gostavam de escrever e passaram a se reunir frequentemente para discutir sobre assuntos pertinentes a literatura e arte na cidade. Dessas discussões foi nascendo um movimento literário local. Foi então que, depois de vários encontros, já no começo de 1997, nascia a União dos Poetas e Escritores de Foz do Iguaçu - UPEFI, conforme noticiaram na época os jornais Tribuna de Foz e Gazeta do Iguaçu (jornais locais). Foi um tempo muito gostoso, pena que a agremiação não teve vida longa; no início de 1999 todo o grupo se dispersou.  A UPEFI foi legada ao esquecimento. Nessa época, publicou-se o segundo livreto do poeta – em formato bolso, e mais compacto que o primeiro (também de forma artesanal) – com o título: Não te esquecerei. Em dezembro de 2019, publicou o livro: A Musa pede Um Soneto, através da Editora Chiado Books. É Graduado em Letras pelo Centro Universitário Cataratas - UDC e Pós-Graduado em Educação Religiosa pela Faculdade União das Américas – UNIAMÉRICA.
 

Site do Escritor


Última atualização em 05/08/21 02:46