Capa
Cadastro
Textos
Áudios
Autores
Mural
Escrivaninha
Ajuda
Autores

Sobre a autora
Ignez Freitas
São Paulo - São Paulo - Brasil
3424 textos (604951 leituras)
(estatísticas atualizadas diariamente - última atualização em 17/10/19 13:32)
Ignez Freitas

Textos do autor
Perfil
Desde 16/ 03/2008 /

[Todos os direitos reservados]

Todas as minhas poesias publicadas na internet,
estão registradas na Biblioteca Nacional de direitos autorais!
...............................................................................

Minhas obras publicadas: dois livros solo... 
(Alma & Poesia), só poesias e frases, e:
(Um toque de magia ) ( Livro de contos, poemas e pensamentos, 
além de vários livros de Antologias de, contos, 
poesias, trovas, alguns concursos literários entre outros! 
...............................................................................


Sou uma eterna aprendiz , sou mulher, mãe, poeta, sou alma e poesia! 
Amo escrever sobre o que vejo, o que sinto e o que gosto, 
nem tudo o que escrevo diz respeito a mim,mas sim à inspiração e sensibilidade
poética, um dom doado por Deus! 

.........................................................................................................
Pensamento:
A poesia nasce quando a alma e a inspiração se encontram e as palavras brotam
como a nascente de um rio...
Não dá para segurar! 
................................................................................................
Poesia...
(A mulher que sou)

Não sou apenas mulher,
Eu sou também poesia.
Sou amor, sou coração,
Às vezes eu sou magia.

Sou a rosa encarnada
No belo jardim da vida.
Convivo com a solidão,
Nunca reclamo da lida.

Sou como a ave errante,
Que busca um novo ninho.
Quando amo me entrego,
Não sei viver sem carinho.

Sou a letra da canção,
Na voz de um cantador.
Tenho o brilho da lua,
E do sol sou o calor.

Sou um poema escrito,
De um coração a sangrar.
Sou o fogo que aquece,
Sou mulher, vivo a sonhar.

Ignez Freitas
...........................................................
Frase
A vida é bela e frágil como asas de borboleta!
..........................................................
Se eu morrer amanhã


Se eu morrer amanhã,
E não tiver te encontrado,
Comigo irá à saudade.

Do que não aconteceu,
Dos beijos que não senti,
Do amor tão desejado.


Levarei a esperança vã.
Se eu morrer amanhã.

Ignez Freitas

.......................................




 

 


Última atualização em 17/10/19 13:32