Capa
Cadastro
Textos
Áudios
Autores
Mural
Escrivaninha
Ajuda
Autores

Sobre o autor
Aluízio A C Amorim
Teresina - Piauí - Brasil
76 textos (24358 leituras)
(estatísticas atualizadas diariamente - última atualização em 17/01/20 10:52)
Aluízio A C Amorim

Textos do autor
Perfil


Poeta e Trovador


Ser poeta e trovador,
coração bate ligeiro,
faz verso encantador,
emociona mundo inteiro.

Faz da vida linda rima,
cada fala uma canção,
sua trova mais divina,
é a batida do coração.





Paixão de Trovador


Paixão sem exagero,
sem o sopro do amor,
pode até ter cheiro,
mas, jamais terá sabor.

A paixão pra valer,
faz a alma  cantar,
corpo inteiro tremer,
e o coração palpitar.





O Sol pode esperar


Vem bailando madrugada,
me espera na chegada,
traz pra mim meu benquerer.

Meu coração maltrapilho,
insensato... andarilho,
cansou de tanto sofrer.

Me conta os teus segredos,
os teus sonhos, os teus medos,
me diz... quero saber.

Faz dos teus encantos a magia,
do teu colo a poesia,
para o meu amor viver.

Desperta a manhã raiada,
nos braços da mulher amada,
bem mansinho... o sol vai nascer.

           


              Eva, a maçã e a serpente


                       Em minha dimensão do Paraíso,
                       tu me preenches plenamente,
                       és tudo a um só juízo...
               Eva, a maçã e a serpente.

                       Dessa Eva que tanto desejo,
                       os lábios de Capitu descobri,
                       tortos e infinitos são teus beijos,
                       fecundos me levam a ti.

                       Da maçã tens a carne e o sumo,
                       o cheiro intenso e o sabor,
                       se perto me mostras o rumo,
                       se longe... me levas à
dor.

                       Da serpente venenosa e lasciva,
                       anseio... o profano e o céu,
                       nos meus braços te faço mais viva,
                       no teu corpo me perco ao léu.


 

              
Somos Apenas Um...


No olhar cintilante da estrela mais linda,
Encontrei teu sorriso brilhante,
Fugi como o náufrago, em mar revolto...

A paixão me cegou, por instantes...
No peito, a dor do segredo mais louco...
Insensatos, os desejos do amante.

Por que negar? Pra que fugir?
Ainda que separados... somos apenas um!
 

 

Amor Traiçoeiro


Olhei bem dentro do teu olhar,
Vi a tristeza mais intensa desse mundo,
O grito da dor que não quer calar...

Segredo mais profano, mais profundo...
Desejos lascivos de quem ama amar,
Amor insensato, vagabundo!

Amor sanguessuga, controverso... Estradeiro!
Ah, amor perverso... Amor traiçoeiro!





Dominado


Penso em ti, alucinado...
Fico todo arrepiado,
os pelos eriçados,
inteiramente dominado.

O coração pulsa,
a boca aguça,
meu sexo lateja,
e o corpo deseja.
 
O mundo gira,
a vontade pira,
perco o juízo,
me entrego despido.

O fogo ardendo,
querendo, querendo...
Meu segredo mais rijo,
em teu esconderijo.





Ato de ESCREVER


Queira ou não queira...
escrever é varar barreira,
transgredir limite, pular fronteira,
subir morro, descer ladeira,
contar verdade, dizer doideira,
se desnudar sem eira e nem beira.

Podia falar a vida inteira,
quem não tentar, faz besteira...
Mas, pra acabar a brincadeira,
e não alimentar a faladeira,
termino aqui essa zoeira,
me despeço, então... Tô de saideira !!!





Um Homem e uma Mulher


Um homem e uma mulher...
Descrevem o tudo e o nada,
numa relação atiçada...
Ele o amante, ela a amada.

Na curvatura do côncavo,
ou na agudez do convexo,
espelham a luz da lua,
e o mais profano do sexo.

Iguais a dois animais,
juntos ou sozinhos,
fortes ou franzinos,
percorrem o mesmo caminho.

São como paredes nuas,
ou tortuosas ruas,
estradas viscerais cruas...
Um é segredo... outra, o mistério.





Construção de TEXTOS


Numa folha em branco,
Eu me encanto...
E me entrego ao léu,
Sobre o pedacinho de papel,
Expondo sentimentos...
Experiências e pensamentos.

É o que de verdade tenho,
Por fora e por dentro...
Vou e venho,
Lendo e relendo,
A cada momento,
Escrevendo... escrevendo.

E nesse contexto,
Surge o texto,
Em versos ou prosa...
De forma misteriosa,
O milagre repentino acontece,
E a inspiração aparece.

Aí... corrijo, corrijo, corrijo,
Tantas vezes preciso,
Em busca da perfeição...
É a minha forma de construção,
Até que pronta a escrita,
Quiçá... divertida e bonita!





 


Última atualização em 17/01/20 10:52