Capa
Cadastro
Textos
Áudios
Autores
Mural
Escrivaninha
Ajuda
Textos
Texto
MINHA AUTOBIOGRAFIA NÃO AUTORIZADA POR MIM MESMA

Dizem que sou básica
Baseados em quê?
Não sei dizer
Nasci em 25/08/1957 quase dançando
meus pais estavam saindo de um baile
no clube Fluminense time do coração
quase que eu nasci na roleta de saída
Pai:
Moacyr Mendonça Vieira poeta boêmio trabalhador
Autodidata compositor divertido e enlouquecedor.
Mãe:
Maria de Lourdes Gaspar Vieira
Antes telefonista, depois dona de casa, cínica, hilária, mãe de fato, puro amor.
Carioca das Lajanjeiras Flamengo Grajaú e Estácio  
Basicamente sou simples trabalhadora e agregadora
Embasada em saber sensatear e bem querer
Tendo como base o meu berço amoroso
Nasci um bebê Johnsons`s careca e fofo (em revista tive fotos publicadas e em campanha meu popô gordinho apareceu)
Branca azeda 59 cm 3.900 kg olhos furta-cor, um luxo só
Basicamente instruída, aos quatro já sabia ler e escrever
Andei cedo demais e engatinhei muito depois
Inclusive as somas e subtrações básicas já sabia fazer
Basicamente fui muito amada
E com estufamento corporal ou não
Fui muito desejada talvez pelo meu “jeitin” de ser
Infância e adolescência como deve ser dentro do seu tempo
Jeito tenho não, penso demais “trabái dimais”
Basicamente sou o que sou e me basta
Basicamente falando não me visto como os demais
Adoro Biologia, História, Literatura' assistir lutas esportes em geral, nadar e mergulhar
Todos os telejornais filmes seriados e programas de perguntas e respostas
Adoro desenhos animados cozinhar pra mim é um prazer
Basicamente estudei em colégio de freiras minha vida toda
Sou formada em Biblioteconomia e fiz alguns períodos de Administração
Trabalho na área financeira há mais de trinta anos estressante demais
Sempre no Centro berço da cultura carioca dos bares e da boêmia
Formação sólida de vida altos e baixos e pulos de pedras pelo caminho
Gosto de gentes variadas sem preconceito ideologias vãs e odeio política
Sou avessa a gente chata grudenta fofoqueira sem noção e educação
Respeito as diferenças cada berço é um berço nem todos têm cultura
Agora não perdôo traição covardia criminalidade coação e sermão vago
Em música gosto do que faz bem para alma no momento
Adoro pessoas que andam pra frente e impulsionam outros também
Tenho medo de altura, insetos pegajosos rastejantes e voadores
E odeio filmes de monstros que babam ou  sanguinolentos sem sentido
Amo animais exceto os que acabei de citar um pouco acima
Meu papo reto com o Todo Poderoso é só meu e respeito todas as crenças   
Sei assumir perdoar agradecer respeitar e jamais serei perfeita seria um tédio
Adoro sorrir fazer amigos ler e sei guardar segredos como ninguém
Sou sempre muito grata e dos valores aprendidos não abro mão
Amo natação dei aulas há muitos anos para bebês e velhinhos muito bom
Adoro águas frias mornas quentes movimentadas ou paradas
Meu básico estilo é próprio conforto e pra quê mais?
Nas relações afetivas diversas amor amizade ou desejo
Sou carismática sorridente e amiga
Nos sórdidos detalhes entre quatro paredes gosto de criatividade
Preliminares carinho cumplicidade e mais coisas que dá pra contar por aqui
Sou gentil interessada se me acham basicamente piegas
É pelo motivo de não me conhecerem bem...ainda
Sou sarcástica abusada debochada me acho inteligente
Também falo muita bobagem com moral e compostura é claro
ok! nem sempre, às vezes vem uma nuvem negra no alto da cabeça (risos)
Me acham divertida mas isso não posso confirmar
Dizem que minha voz é de aeroporto nesse caso preciso concordar
Sou fumante sem vergonha paro quando quero hipócrita assumida 
Não minto nunca quando chamo alguém de querida
Os amigos me acham interessante afetiva correta divertida e perspicaz
Sou educada dedicada e aculturada pelos livros e pela vida
Nada modesta como sempre bem digo valorizo meu valor
Adoro escrever detalhista por ser virginiana é fato
Sou feliz acarinhada tenho família fé amor e basicamente
Sou verdadeira sensata carinhosa de carne e osso e banha e daí?
Não preciso de mais nada
Se isso é ser “básica” então eu sou
 
Cris 
   aquela que tomba, mas, não cai

 
Cristina Gaspar
Enviado por Cristina Gaspar em 11/09/2015
Reeditado em 05/08/2019
Código do texto: T5378627
Classificação de conteúdo: seguro

Copyright © 2015. Todos os direitos reservados.
Você não pode copiar, exibir, distribuir, executar, criar obras derivadas nem fazer uso comercial desta obra sem a devida permissão do autor.

Comentários

Sobre a autora
Cristina Gaspar
Rio de Janeiro - Rio de Janeiro - Brasil, 62 anos
2624 textos (107605 leituras)
(estatísticas atualizadas diariamente - última atualização em 11/12/19 01:04)
Cristina Gaspar