Capa
Cadastro
Textos
Áudios
Autores
Mural
Escrivaninha
Ajuda
Textos
Texto

Constante II (usurpador romano)

Constante II  era o filho mais velho de Constantino III nomeado por ele co-imperador entre 409 e 411. Constante foi morto durante as revoltas e combates que marcaram o fim do reinado de seu pai.

Reinado
407—409 (César sob Constantino III)
409—411 (com Honório e Constantino III)
Antecessor(a)
Graciano
Sucessor(a)
Honório
Morte
411 (antes de 18 de setembro)
 
Viena (cidade romana)
Pai
Constantino III
Filho mais de Cláudio Constâncio e irmão de "Juliano" , Constante foi monge na adolescência . No verão de 408, seu pai, que havia se auto-proclamado imperador no ano anterior na Britânia  e invadido a Gália, nomeou-o césar  e enviou-o com o general Gerôncio e o prefeito Apolinário para a Hispânia para governar a província e controlar os membros da Casa de Teodósio (quatro primos de Honório - Teodosíolo, Lagódio, Dídimo e Vereniano) que não reconheceram Constantino e criaram um núcleo de resistência na região . Depois de algumas derrotas iniciais, Constante capturou Dídimo e Teodosiolo, mas não conseguiu evitar que os outros dois fugissem para Constantinopla .

Depois da vitória, Constante deixou a esposa e família em César Augusta (moderna Saragoça, na Espanha) aos cuidados de Gerôncio e voltou para a capital de Constantino, Arelate, onde os prisioneiros foram executados .

No outono de 409, invasores bárbaros, depois de mais de dois anos saqueando a Gália, chegaram aos Pirenéus, subjugaram as defesas romanas e invadiram a Hispânia . Constantino, sem consultar Honório, elevou Constante ao status de augusto . O novo augusto então seguiu para a Hispânia para tentar resolver a situação, mas, antes que ele partisse, notícias dando conta que Gerôncio, depois de haver detido os invasores, se revoltara e proclamara imperador um de seus homens, Máximo  . Com o apoio de algumas tribos bárbaras, Gerôncio tomou grande parte do território de Constantino e, em 411, tomou Viena (a moderna Vienne) e mandou executar Constante II .



poder sujo de sangue

mão de um porco
poder não pode poder
apenas perder
o pouco que não era do louco ladrão
 
fred albano
Enviado por fred albano em 15/01/2018
Código do texto: T6226494
Classificação de conteúdo: seguro

Copyright © 2018. Todos os direitos reservados.
Você não pode copiar, exibir, distribuir, executar, criar obras derivadas nem fazer uso comercial desta obra sem a devida permissão do autor.

Comentários

Sobre o autor
fred albano
Jacareí - São Paulo - Brasil, 42 anos
11394 textos (197204 leituras)
(estatísticas atualizadas diariamente - última atualização em 18/09/20 21:51)
fred albano