Capa
Cadastro
Textos
Áudios
Autores
Mural
Escrivaninha
Ajuda
Textos
Texto

MEU DIÁRIO SECRETO capítulo II

  "Por que o nome mãe me é estranho".

 Permaneci no seio de estranhos, fiz deles meu laço mais forte, no convento dos contos de fada onde existia muito amor, e por mais que houvesse nao era o suficiente para preencher o grande vazio em meu peito.
 O lar dos sonhos era tudo o que eu tinha, a coberta quentinha, os abraços aconchegantes, os atos mais afetuosos, as farturas da mesa, tudo era meu, então o que faltava? Faltava a casa mais simples, a mesa escassa, os pés descalços e sobretudo o amor de verdade, vindo do berço da madeira mais frágil e do laço mais forte.
 Lágrimas e lágrimas rolaram em meu rosto, molhando os vestidos mais lindos, sem saber os olhos choravam cheios de dúvidas e angústias, que refletiam nos pingos de prata e se dissipavam sem resposta, sem cor.
 Quando ela foi me buscar no orfanato não sabia quem era, me refiro a minha mãe. Nesse dia chorei e esperneei,
Não queria ir com alguém desconhecido. Logo de súbito percebi uma pessoa um tanto impaciência, que me fez calar meu choro com gritos.
 Certo, não foi esse o encontro que esperava, e não melhorou muito na estadia lado a lado em seu caminho.
Ela sofreu muito na infância, perdeu sua mãe quando criança, e cresceu sem muita direção, por isso hoje eu grito, "eu compreendo teu lado".
 Eu sofri maus tratos, violência doméstica e abandono pelas próprias mãos de minha mãe, imprudência, falta de juízo, falta de amor, o que leva uma pessoa a tratar um filho assim? Bom, com ela cheguei a conclusão que ainda não tenho a resposta, mas no meu coração o julgar não está no primeiro plano.
Patrícia Onofre
Enviado por Patrícia Onofre em 01/07/2018
Código do texto: T6379158
Classificação de conteúdo: seguro
Enviar por e-mail
Denunciar

Comentários

Sobre a autora
Patrícia Onofre
São Lourenço - Minas Gerais - Brasil
62 textos (2365 leituras)
(estatísticas atualizadas diariamente - última atualização em 23/09/18 02:05)
Patrícia Onofre