Capa
Cadastro
Textos
Áudios
Autores
Mural
Escrivaninha
Ajuda
Textos
Texto

A DANIEL RICCIARDO.... DESPEDE-SE DA FORMULA 1!!!!


AOS FÃS DO AUTOMOBILISMO... O NOSSO AGRADECIMENTO AO SEMPRE FELIZ PILOTO DA FORMULA 1 ... TOMANDO SEU CHAMPAGNE DA VITÓRIA EM SUA SAPATILHA DE PILOTO!!!!

Daniel Joseph Ricciardo (Perth, 1 de julho de 1989) é um piloto de automóveis australiano que atua na Fórmula 1 pela equipe Renault F1 Team.

 
Dados pessoais


Seu pai nasceu em Ficarra, Sicília  e sua mãe nasceu na Austrália, filha de pais italianos da Calábria.

Ricciardo pronuncia seu sobrenome como “Ricardo” ao invés da pronuncia italiana “Rit-char-do”, afirmando que é como sua família pronuncia.

Ele também é conhecido como “The Honey Badger” (O Texugo-do-mel).
 Quando perguntado por que, ele disse: "É provavelmente o animal mais destemido no reino animal. Quando você olha para ele, ele parece bastante bonitinho e fofinho, mas assim que alguém cruza seu território de uma forma que ele não goste, ele se transforma em um selvagem e ele vai atrás de qualquer coisa — tigres, cobras — ele gira muito rapidamente, mas ele é um cara bom".

 Ele usa uma imagem de um texugo-do-mel na parte de trás do capacete.

Ricciardo torce para o West Coast Eagles na Liga de Futebol Australiana, e ele é titular do bilhete número um do clube.

Conhecido pelo sorriso largo e por ser um dos pilotos mais bem-humorados da Fórmula 1, Ricciardo acabou se envolvendo em uma discussão com o jornalista brasileiro Tiago Mendonça, repórter do programa Auto+, durante o GP do Brasil de Fórmula 1 em 2017. Ricciardo se irritou com uma pergunta feita sobre o companheiro de equipe Max Verstappen.

Carreira

Fórmula Ford e Fórmula BMW

Nascido em Perth, Austrália Ocidental, Ricciardo começou karting aos nove anos de idade, como membro do Tiger Kart Club (TKC) e entrou inúmeros eventos de karting.

Em 2005, ele entrou para o campeonato Western Australian Formula Ford conduzindo um Van Diemen de 15 anos, terminando em oitavo ao final da temporada.[13]

Para o final da temporada Ricciardo pilotou um Van Diemen de 13 anos, conseguido através de Sandown Raceway em Melbourne para competir na Fórmula Ford Nacional, mas seu carro de velho era pouco competitivo e ele terminou 16º, 17º e retirou-se durante três corridas do fim de semana.

No ano seguinte, no entanto, ele ganhou uma bolsa de estudos para o campeonato asiático de Fórmula BMW com a equipe Eurasia Motorsport. Durante sua temporada de estreia, Ricciardo obteve duas vitórias (ambas em Bira) e também conseguiu uma pole position em Zhuhai.

 Ele terminou em terceiro lugar no campeonato de pilotos com 231 pontos, 59 pontos atrás do campeão Earl Bamber.

Em agosto daquele ano, ele foi convidado pela Motaworld Racing para correr um de seus carros Fórmula BMW Britânica na oitava etapa do campeonato. Apesar de abandonar na primeira corrida, Ricciardo recuperou para terminar em oitavo na segunda corrida e levou três pontos no campeonato em sua única entrada no campeonato britânico.

No final do ano, ele entrou na Final Mundial Fórmula BMW com a Fortec Motorsport, onde terminou na quinta posição, catorze segundos do vencedor Christian Vietoris.

Fórmula Renault


2007 viu Ricciardo alternar entre a Fórmula Renault com a RP Motorsport, entrando nos campeonatos europeus e italianos da categoria, embora focada principalmente na última série que ele entrou em catorze corridas já no co campeonato europeu foram quatro entradas. Ele terminou em sétimo na série italiana, com 196 pontos e marcando um único pódio em Valência, mas não conseguiu marcar um ponto em sua participação no campeonato europeu.

Ricciardo ficou na Fórmula Renault para um segundo ano em 2008, entrando no campeonato da Europa Ocidental.

Até o final do ano, o jovem piloto levou seu primeiro título europeu na Taça da Europa Ocidental e terminou em segundo lugar na Eurocup atrás do finladês Valtteri Bottas.

Fórmula 3

Em meados de 2008, Daniel fez sua estreia na Fórmula 3 em Nürburgring, pela equipe SG Formula's Formula 3 Euro Series.

Apesar da pequena experiência no carro, Ricciardo qualificado em oitavo para a primeira corrida que mais tarde convertido em sexto lugar na corrida.

Ricciardo passou a disputar o Campeonato Britânico do Fórmula 3 para a temporada de 2009 pilotando pela Carlin Motorsport.

Ele também fez a sua estreia no World Series by Renault 3.5, correndo ao lado de Charles Pic na Tech 1 Racing para as rodadas no Autódromo Internacional do Algarve, em Portugal.

Abandonou a primeira corrida, antes de terminar o décimo quinto na segunda.

Quando ele retornou para a Fórmula 3, ele aumentou sua liderança do campeonato para 45 pontos. Uma vitória e um terceiro nos carros britânicos deu-lhe uma vantagem de 64 pontos sobre o rival Renger van der Zande com apenas 42 disponíveis. Isto significava que Ricciardo tornou-se o primeiro piloto australiano desde David Brabham em 1989 para ganhar o título britânico de Fórmula 3.

Assim como Brabham, Ricciardo ganhou o título em um carro movido por um motor Volkswagen. Ricciardo terminou a temporada em alta, tendo ambas as pole positions para a rodada final da série, em Brands Hatch.

Ele ganhou a primeira corrida com uma vantagem de 15 segundos, e terminou em quarto lugar na corrida final da temporada.

Sua margem de vitória no campeonato foi 87 pontos como Walter Grubmuller passou à frente de seu companheiro de equipe van der Zande, que estava ausente do fim de semana devido a uma corrida Euroseries conflitantes em Barcelona.

Ricciardo manteve sua parceria com a Carlin para o Grande Prêmio de Macau.

Ricciardo classificou-se como o segundo mais rápido atrás Marcus Ericsson na primeira qualificação, antes de terminar em quinto lugar na segunda fase de qualificação, definindo o grid para fase final da qualificação.

Após um sexto lugar na classificação, Daniel foi forçado a abandonar a corrida após chocar-se com um muro.

 Ele continuou até o morro antes de bater na parede no Solitude Essex, e causou um incidente que bloqueou o circuito, que também pegou sete de seus rivais.

Formula Renault 3.5

Ricciardo durante a etapa de Paul Ricard da Formula Renault 3.5 de 2011.

No dia 30 de outubro de 2009 Daniel assinou com a equipe Tech 1 na temporada de 2010 da Fórmula Renault 3.5.[17] Ele competiu com a equipe no Autódromo Internacional do Algarve, em Portugal, em 2009, e foi o companheiro de equipe de Brendon Hartley.

Na sequência de um pequeno incidente durante um exercício de bicicleta de montanha, Ricciardo foi forçado a perder o segundo teste da temporada de 2010, mas conquistou a pole para as duas corridas da rodada de Alcañiz, Espanha de abertura da temporada.

Ele terminou em terceiro e segundo nas corridas, respectivamente, tornando-se líder do campeonato.

Duas semanas mais tarde, no circuito de Spa-Francorchamps, Ricciardo foi relegado para último no grid depois de ser punido por ter prejudicado as voltas de outros pilotos.

Nas duas corridas seguintes ele terminou em 13º e 5º respectivamente — chegando em 2º lugar na último até muitos dos principais candidatos receberem sanções por infracção às regras de Parque Fechado antes da corrida.

Uma semana mais tarde, em Monte Carlo, Ricciardo garantiu sua terceira pole position da temporada, terminando três décimos de segundo à frente do rival no campeonato Stefano Coletti.

Ele garantiu a sua primeira vitória na corrida seguinte, um lugar à frente de Coletti. Daniel obteve mais duas vitórias em Hungaroring e Hockenheim

Ricciardo conseguiu 6 poles em 12 corridas, o chefe de equipe da Tech 1, Simon Abadie, elogiou muito os esforços de seu piloto, dizendo "Estou feliz, e feliz por Daniel porque seis poles em 12 corridas isso é muito bom", e mais tarde declarou ambições da sua equipe para sucesso, dizendo Autosport correspondente Peter Mills, "Eu realmente espero que Daniel ganhe o campeonato."

Na primeira corrida no circuito de Silverstone, Daniel se envolveu em um acidente com o pole position Jon Lancaster.

A batida foi o fim de sua corrida, com seu companheiro de equipe conseguindo uma eventual vitória. Assegurou a pole para a segunda corrida do fim de semana, passou grande parte da corrida na liderança com vantagem de três segundos.

No entanto, problemas de freios na segunda metade da corrida significava que, na última volta, rival Esteban Guerrieri seria capaz de passar o piloto da Tech 1.

Daniel chegou a etapa final da temporada apenas três pontos atrás do líder do campeonato, Mikhail Aleshin e 13 à frente do homem do terceiro lugar Esteban Guerrieri. Gerenciando sua oitava pole da temporada, além disso ele marcou a volta mais rápida e a vitória.

 Depois de garantir o segundo lugar na grelha para a segunda corrida do fim de semana, Ricciardo conseguiu manter a posição até o pit stops, onde foi sucesso "saltou" por dois de seus rivais, incluindo o companheiro de equipe Vergne.

Com apenas duas voltas restando na corrida e lutando por ritmo, Ricciardo foi ultrapassado pelo rival no campeonato Aleshin. Terminando nessa ordem, Ricciardo não conseguiu garantir o título em seu ano de estreia, perdendo para Mikhail Aleshin por apenas dois pontos.

Em 2011 correu pela ISR Racing antes de tornar-se titular na HRT.

Fórmula 1

Daniel como piloto de testes da Scuderia Toro Rosso no Grande Prêmio da Malásia de 2011.

Ricciardo estreou atrás do volante de um Fórmula 1 quando fez um teste pela Red Bull Racing durante o teste de jovens pilotos no Circuito de Jerez por três dias de 1 a 3 de dezembro de 2009.

 Ao fim do último dia de testes ele havia marcado o melhor tempo por um segundo de diferença.

 Christian Horner, chefe da Red Bull Racing sugeriu que Daniel se juntasse a Hartley, que foi seu parceiro na temporada de 2010 da Wold Series, como piloto de testes e piloto reserva da equipe.

Assim que isso foi oficializado Ricciardo e Hartley passaram a dividir o cargo de piloto de testes e reserva, ambos para a Red Bull e a equipe irmã Scuderia Toro Rosso até que Hartley foi transferido para o time Red Bull Junior.

A 11 de novembro de 2010, Ricciardo foi confirmado como o único piloto a representar a Red Bull no teste de jovens pilotos ao final da temporada no Circuito de Yas Marina nos dias 16 e 17 de novembro.

O piloto voltou a mostrar seu talento para voltas rápidas cominando o evento, sua volta mais veloz foi 1.3 segundos mais rápida que a do campeão mundial de Fórmula 1 em 2010, Sebastian Vettel, no classificatório no sábado anterior.

Alguns dias após essa sessão, Ricciardo foi confirmado como piloto de testes e piloto reserva da Toro Rosso para a temporada de 2011, e pilotaria o carro no primeiro treino livre em todos os Grandes Prêmios.
 Ricciardo também faria uma aparição em testes de pré-temporada para a temporada de Fórmula Um de 2011, dirigindo para a Scuderia Toro Rosso.

No Grande Prêmio da Austrália de 2011 Daniel classificou-se em 16º na tabela de tempos depois de abrir o teste, apenas um décimo mais lento do que o seu experiente companheiro de equipe Toro Rosso Sebastien Buemi.

HRT

Ricciardo pilotando para a Hispania Racing Team.

Em 30 de Junho de 2011, Ricciardo foi contratado pela equipe Hispania Racing Team, substituindo Narain Karthikeyan para todas as corridas restantes da temporada de 2011, exceto o GP da Índia, para permitir que Karthikeyan pudesse correr em casa.

 O australiano estreou no Grande Prêmio da Grã-Bretanha de 2011 em Silverstone.

Apesar disso, alguns dias antes da primeira corrida na Índia, a corrida em que Karthikeyan voltaria ao seu lugar de origem, a HRT anunciou que Vitantonio Liuzzi abriria caminho para o piloto indiano, permitindo assim que Ricciardo corresse na Índia, tendo em vista que a Red Bull pagou a equipe espanhola para tal.

No Grande Prêmio de Abu Dhabi, Ricciardo abandonou com problemas mecânicos após largar em 10º lugar no grid de largada e na corrida final o Grande Prêmio do Brasil, Daniel terminou em 20º após largar em 22º.

Das 19 etapas Daniel disputou 11, não pontuou em nenhum, teve dois abandonos e terminou o ano em 27º no campeonato.

Toro Rosso

Ricciardo no Grande Prêmio da Malásia de 2012.

Em 14 de dezembro de 2011, foi confirmado que Ricciardo pilotaria para a Scuderia Toro Rosso para a temporada de 2012, tendo como companheiro de equipe o francês Jean-Éric Vergne.

No GP da Austrália , dia 18 de março, Daniel conseguiu ultrapassar seu companheiro de equipe Vergne no final da última volta para voltar para casa com um nono lugar, marcando seus dois primeiros pontos no campeonato. Em condições de chuva na Malásia, ele terminou em 12º, depois de ter sido primeiro a mudar para pneus slick.

No Bahrain ele se classificou em sexto lugar, mas caiu para trás durante a corrida e terminou em 15º. No GP de Mônaco ele teve seu único abandono na temporada.

Em 31 de outubro de 2012, Toro Rosso anunciou a renovação do contrato de Ricciardo para a temporada 2013.

Red Bull

Ricciardo substituiu Mark Webber na Infiniti Red Bull Racing no início da temporada de Fórmula 1 de 2014, em parceria Sebastian Vettel, campeão mundial quatro vezes.[38][39]

2014

Na primeira corrida da temporada, o GP da Austrália, Ricciardo qualificou-se em segundo lugar, atrás de Lewis Hamilton[40] e completou a prova em segundo lugar, apesar da pressão do estreante Kevin Magnussen nas últimas voltas. Ricciardo foi posteriormente desclassificado após uma inspeção técnica constatar irregularidades no fluxo de combustível de sua Red Bull.

Caso não tivesse sido desclassificado, teria sido a primeira vez que um australiano subiu ao pódio no Grande Prêmio da Austrália desde que a prova passou a fazer parte do campeonato.

 A Infiniti Red Bull Racing entrou com um recurso que foi negado, a decisão da FIA foi respeitada.


Daniel no Grande Prêmio da Itália de 2014.

Ricciardo não conseguiu completar o Grande Prêmio da Malásia,[46] mas marcou seus primeiros pontos no campeonato na corrida seguinte, o Grande Prêmio do Bahrein, onde terminou em 4º após largar em 13º.

Após vencer o Grande Prêmio do Canadá, Daniel tornou-se o quarto australiano a vencer uma corrida de Fórmula 1, juntando-se a Jack Brabham, Alan Jones e Mark Webber.

 Essa vitória quebrou o dominio da Mercedes que desde o início da temporada havia vencido todas as corridas.

 Ricciardo impressionou muita gente batendo Vettel durante toda a primeira metade da temporada de 2014, e depois de uma batalha limpa e apertada entre Ricciardo e Fernando Alonso no Grande Prêmio da Alemanha, Alonso descreveu Ricciardo como "inacreditável" e "muito, muito inteligente, muito respeitoso".

Ricciardo venceu o Grande Prêmio da Hungria, em 27 de Julho, à frente de Alonso e Hamilton.

Ele ficou em terceiro lugar atrás de Alonso e Hamilton, com menos de quatro voltas para o final ela alcançou a Mercedes de Hamilton e passou pelo lado de fora da curva 2 de Hungaroring.

Ele, então, facilmente alcançou e passou a Ferrari de Alonso que estava muito pouca aderência em seus pneus esquerdos. Nas duas últimas voltas, Ricciardo abriu vantagem para ganhar a corrida por 5.2 segundos de diferença. Seu companheiro de equipe Vettel sobreviveu a uma rodada na reta principal no final da corrida e terminou em sétimo.

 Daniel tornou-se o segundo australiano a vencer um Grande Prêmio da Hungria, antes dele apenas Mark Webber — também pela Red Bull — em 2010. Ricciardo venceu também a corrida seguinte, o Grande Prêmio da Bélgica, foi a terceira vitória de sua carreira.

A 4 de outubro de 2014, foi anunciado que Ricciardo seria parceiro de Daniil Kvyat na temporada de 2015, logo em seguida ao anúncio de que Vettel deixaria a Red Bull.

Em sua primeira temporada pela Red Bull Racing, Daniel confirmou seu terceiro lugar no campeonato no Grande Prêmio do Brasil, mesmo tendo abandonado a corrida.

Na última corrida do ano, o Grande Prêmio de Abu Dhabi, apesar de ter largado do pit lane ele terminou em quarto e assegurou a sua primeira volta mais rápida de sua carreira na Fórmula 1.

Por sua performance em 2014, Ricciardo foi premiado com o Laureus World Sports Awards de Revelação do ano.

2015

Daniel iniciou 2015 com um sexto lugar na Austrália, após largar em sétimo.

Na corrida seguinte terminou em 10º lugar.[60] Para a corrida na China, classificou-se para largar em sétimo com o tempo de 1min37s540.

 Após uma largada ruim ele caiu para a 17ª posição, recuperou-se e terminou em décimo, entretanto Jenson Button foi punido e Daniel subiu para a nona colocação.

No Grande Prêmio do Bahrein largou em sétimo e completou a prova em sexto, mais de 20 segundos a frente do sétimo colocado, o francês Romain Grosjean.


Ricciardo seguido por seu companheiro de equipe Daniil Kvyat no Grande Prêmio da Malásia de 2015.

Seu primeiro abandono da temporada veio no Grande Prêmio da Grã-Bretanha. Por conta de uma falha elétrica ele abandonou na volta 21 de uma corrida com 52.

Na corrida seguinte, o Grande Prêmio da Hungria, Ricciardo conseguiu seu primeiro pódio da temporada, mesmo tendo se envolvido em um incidente com Nico Rosberg nas voltas finais da corrida.

Daniel saiu com a asa dianteira danificada, Rosberg com um pneu furado. Apesar disso Ricciardo terminou em terceiro, atrás de Vettel e de seu companheiro de equipe Kvyat.

 A próxima corrida seria o Grande Prêmio da Bélgica, onde Daniel sofreu novamente com problemas em seu carro e teve de abandonar.

 Duas corridas depois, no Grande Prêmio de Singapura, Ricciardo conseguiu seu segundo e último pódio daquela temporada, chegando na segunda posição.

No Grande Prêmio da Rússia realizado no Circuito de Sóchi Ricciardo teve seu terceiro e último abandono da temporada causado por problemas na suspensão.

Apesar de deixar a prova ele classificou-se pois completou mais de 90% do total de voltas.

 No Grande Prêmio do México largou em 5º e terminou na mesma posição.

 Após 19 corridas, três abandonos, dois pódios e uma temporada cheia de frustações, Ricciardo terminou o ano em oitavo lugar no campeonato com apenas 92 pontos.

2016

Ricciardo iniciou 2016 com um quarto lugar no Grande Prêmio da Austrália marcando também a volta mais rápida da corrida.

 Na corrida seguinte, mais um quarto lugar. Daniel conseguiu terminar a corrida mesmo após ter colidido com o carro de Valtteri Bottas o que fez necessário trocar a asa dianteira nos boxes.

Na China, Ricciardo largou em segundo e, logo na largada, ultrapassou o pole position Nico Rosberg, entretanto recebeu o troco na terceira volta. Completou a prova em quarto lugar novamente.


Ricciardo comemorando sua vitória no GP da Malásia.

O Grande Prêmio de Mônaco tinha tudo pra ser a primeira vitória de Daniel na temporada, porém durante a prova quando o piloto veio para seu pit stop na 32ª volta a equipe não estava pronta para recebê-lo e ele perdeu muito tempo dentro dos boxes.

Ricciardo retornou à pista na segunda colocação atrás do inglês Lewis Hamilton e perdeu a vitória completando a prova em segundo.

No pódio, Daniel não conseguiu esconder a frustração e declarou em entrevista: “Não fui eu que decidi ir aos boxes.

 Eles me chamaram, então tinham que estar prontos. Isso machuca”. A equipe Red Bull Racing pediu desculpas pelo ocorrido.

 Ricciardo já tinha acusado a equipe de tê-lo prejudicado na corrida anterior, o Grande Prêmio da Espanha, onde ele terminou em quarto lugar, mas afirmou que poderia ter vencido caso a estratégia fosse diferente.

No Grande Prêmio da Hungria Ricciardo voltaria a subir no pódio, dessa vez na terceira posição. De acordo com Christian Horner, chefe da Red Bull, esse resultado “foi importante para recuperar a confiança de Daniel”.

Esse foi seu terceito pódio consecutivo em Hungaroring.

 Logo na corrida seguinte, outro pódio. Ricciardo largou em terceiro e passou Rosberg na largada, entretanto perdeu posição para seu companheiro de equipe Max Verstappen logo em seguida.

Ele se recuperou na segunda metade da prova imprimindo um ritmo forte, ultrapassou seu companheiro e cravou a volta mais rápida da corrida. Daniel foi eleito Piloto do Dia por voto popular.

 No Grande Prêmio da Bélgica Ricciardo obteve seu terceiro pódio consecutivo chegando em segundo lugar após uma corrida com muitos toques, carro de segurança e bandeira vermelha.

O australiano largou em quinto no grid, mas graças a uma colisão entre seu companheiro de equipe e as duas Ferraris na curva La Source, Ricciardo rapidamente subiu na classificação.

Por algumas voltas chegou a ameaçar o líder Rosberg, porém o alemão abriu vantagem e venceu a prova.

Ricciardo voltou a vencer no Grande Prêmio da Malásia, quando o Hamilton que estava liderando por uma vantagem suficiente para parar nos boxes e se manter em primeiro, à frente da dupla da RBR.

Mas o inglês foi surpreendido quando seu motor, começou a pegar fogo.
Renault


Em 3 de agosto de 2018 a equipe Renault anunciou a contratação de Ricciardo por duas temporadas, a partir de 2019, tendo como companheiro de equipe Nico Hülkenberg.

Daniel afirmou que "Foi, provavelmente, uma das decisões mais difíceis da minha carreira até agora.

Mas eu achei que era hora de tentar algo diferente, um novo desafio" e também que "(...) sei que sempre que a Renault esteve no esporte, de algum jeito, ela ganhou.

 Espero conseguir ajudá-los nessa jornada e contribuir também dentro e fora das pistas".

Resultados na carreira

Sumário

Temporada Categoria Equipe Corridas Vitórias Poles V/Rápidas Pódios Pontos Classificação

2005 Western Australian Fórmula Ford Championship Privateer 3 0 0 ? 0 74 8º
2006 Fórmula BMW Asia Eurasia Motorsport 19 2 3 3 12 231 3º
Fórmula BMW UK Motaworld Racing 2 0 0 0 0 3 20º
Fórmula BMW World Final Fortec Motorsport 1 0 0 0 0 N/A 5º
2007 Fórmula Renault 2.0 Itália RP Motorsport 14 0 0 0 0 196 6º
Fórmula Renault 2.0 Eurocup 4 0 0 0 0 0 NC
2008 Formula Renault 2.0 WEC SG Formula 15 8 9 7 11 192 1º
Fórmula Renault 2.0 Eurocup 18 6 5 5 7 136 2º
Fórmula 3 Euroseries 2 0 0 0 0 N/A NC†
Masters of Formula 3 1 0 0 0 0 N/A NC
2009 Campeonato Britânico de Fórmula 3 Carlin Motorsport 20 7 6 5 13 275 1º
Masters of Formula 3 1 0 0 0 0 N/A NC
Fórmula Renault 3.5 Series Tech 1 Racing 2 0 0 0 0 0 34º
Grande Prémio de Macau Carlin Motorsport 1 0 0 0 0 N/A NC
2010 Fórmula Renault 3.5 Series Tech 1 Racing 16 4 8 5 8 136 2º
Fórmula 1 Scuderia Toro Rosso Piloto de testes
2011 Fórmula Renault 3.5 Series ISR Racing 12 1 2 3 6 144 5º
Fórmula 1 Scuderia Toro Rosso Piloto de testes
HRT 11 0 0 0 0 0 27º
2012 Fórmula 1 Scuderia Toro Rosso 20 0 0 0 0 10 18º
2013 Fórmula 1 Scuderia Toro Rosso 19 0 0 0 0 20 14º
2014 Fórmula 1 Infiniti Red Bull Racing 19 3 0 1 8 238 3º
2015 Fórmula 1 Infiniti Red Bull Racing 19 0 0 3 2 92 8º
2016 Fórmula 1 Red Bull Racing 21 1 1 4 8 256 3º


Resultados na Fórmula 1

Legenda: (Corridas em negrito indicam pole position); (Corridas em itálico indicam volta mais rápida)

Ano Equipe Chassi Motor 1 2 3 4 5 6 7 8 9 10 11 12 13 14 15 16 17 18 19 20 21 Class. Pontos
2011 Scuderia Toro Rosso Toro Rosso STR6 Ferrari 056 2.4 V8 AUS
AT MAL
AT CHN
AT TUR
AT ESP
AT MON
AT CAN
AT EUR
AT 27º 0
HRT F1 Team Hispania F111 Cosworth CA2011 2.4 V8 GBR
19 ALE
19 HUN
18 BEL
Ret ITA
NC SIN
19 JAP
22 COR
19 IND
18 ABU
Ret BRA
20
2012 Scuderia Toro Rosso Toro Rosso STR7 Ferrari 056 2.4 V8 AUS
9 MAL
12 CHN
17 BHR
15 ESP
13 MON
Ret CAN
14 EUR
11 GBR
13 ALE
13 HUN
15 BEL
9 ITA
12 SIN
9 JAP
10 COR
9 IND
13 ABU
10 EUA
12 BRA
13 18º 10
2013 Scuderia Toro Rosso Toro Rosso STR8 Ferrari 056 2.4 V8 AUS
Ret MAL
18† CHN
7 BHR
16 ESP
10 MON
Ret CAN
15 GBR
8 ALE
12 HUN
13 BEL
10 ITA
7 SIN
Ret COR
19 JAP
13 IND
10 ABU
16 EUA
11 BRA
10 14º 20
2014 Infiniti Red Bull Racing Red Bull RB10 Renault Energy F1-2014 1.6 V6 t AUS
DSQ MAL
Ret BHR
4 CHN
4 ESP
3 MON
3 CAN
1 AUT
8 GBR
3 ALE
6 HUN
1 BEL
1 ITA
5 SIN
3 JAP
4 RUS
7 EUA
3 BRA
Ret ABU
4 3º 238
2015 Infiniti Red Bull Racing Red Bull RB11 Renault Energy F1-2015 1.6 V6 t AUS
6 MAL
10 CHN
9 BHR
6 ESP
7 MON
5 CAN
13 AUT
10 GBR
Ret HUN
3 BEL
Ret ITA
8 SIN
2 JAP
15 RUS
Ret EUA
10 MEX
5 BRA
11 ABU
6 8º 92
2016 Red Bull Racing Red Bull RB12 TAG Heuer 1.6 V6 t AUS
4 BHR
4 CHN
4 RUS
11 ESP
4 MON
2 CAN
7 EUR
7 AUT
5 GBR
4 HUN
3 ALE
2 BEL
2 ITA
5 SIN
2 MAL
1 JAP
6 EUA
3 MEX
3 BRA
8 ABU
5 3º 256
2017 Red Bull Racing Red Bull RB13 TAG Heuer 1.6 V6 t AUS
Ret CHN
4 BHR
5 RUS
Ret ESP
3 MON
3 CAN
3 AZE
1 AUT
3 GBR
5 HUN
Ret BEL
3 ITA
4 SIN
2 MAL
3 JAP
3 EUA
Ret MEX
Ret BRA
6 ABU
Ret 5º 200
2018 Aston Martin Red Bull Racing Red Bull RB14 TAG Heuer 1.6 V6 t AUS
4 BHR
Ret CHN
1 AZE
Ret ESP
5 MON
1 CAN
4 FRA
4 AUT
Ret GBR
5 ALE
Ret HUN
4 BEL
Ret ITA
Ret SIN
6 RUS
6 JAP
4 EUA
Ret MEX
Ret BRA
4 ABU
4 6º 170
2019 Renault F1 Team Renault R.S.19 Renault E-Tech 19 1.6 V6 t AUS
Ret BHR
18† CHN
7 AZE
Ret ESP
12 MON
9 CAN
6 FRA
11 AUT
12 GBR
7 ALE
Ret HUN
14 BEL
14 ITA
4 SIN
14 RUS
Ret JAP
DSQ MEX
8 EUA
6 BRA
ABU
9°* 46*
* Temporada ainda em andamento.
† Piloto não terminou a prova, mas foi classificado pois completou 90% da corrida.

Nota do divulgador:- Ontem no GP Brasil foi o sexto colocado!!! Mas a maior prova de solidariedade humana foi que ele atendeu uma fã com câncer nos ossos (Mal de Ewing) e que no seu 100 dia estava lá na corrida torcendo por seu ídolo que fez questão de recebe-la no paddock!!!!
Ivan Tadeu dos pobres
Enviado por Ivan Tadeu dos pobres em 18/11/2019
Código do texto: T6797592
Classificação de conteúdo: seguro

Esta obra está licenciada sob uma Licença Creative Commons. Você pode copiar, distribuir, exibir, executar, desde que seja dado crédito ao autor original. Você não pode fazer uso comercial desta obra. Você não pode criar obras derivadas.
Enviar por e-mail
Denunciar

Comentários

Sobre o autor
Ivan Tadeu dos pobres
Praia Grande - São Paulo - Brasil, 74 anos
3526 textos (49185 leituras)
(estatísticas atualizadas diariamente - última atualização em 09/12/19 00:31)
Ivan Tadeu dos pobres