Capa
Cadastro
Textos
Áudios
Autores
Mural
Escrivaninha
Ajuda
Textos
Texto

MINHAS MEMÓRIAS ( 1 )



Minhas memórias ( 1 )... Infância maravilhosa...

 



Noites e noites mal dormidas me sento aqui no meu computador pois o meu notebook não aguentou de tanto que uso e abuso pois quando começo a escrever não há hora para terminar... e posso passar uma noite em claro pensando e passando para que outros possam entender o que nos faz escritores, contistas, ou até mesmo hilário contando piadas... para alegrar quem esta triste como eu... de perder vários amigos bem mais jovens do que eu... por não haver vagas nos hospitais para que possam atender os doentes morbidos que devido a falta de ar... já acham que é Covid e vão entubando o paciente!!!

Saibam que nem sempre um mal súbito... que nos avisa há dias com formigamento no braço e nem damos atenção... mas teu coração te avisa que esta prestes a parar de trabalhar com dificuldades devido a sua teimosia em não ouvir o seu médico que já lhe avisou que estas abusando da sorte!!!

Mas somos heróis da resistência de que todos nós somos mortais e claro que um dia Deus nos vai chamar para que possamos voltar ou seguir de vez ao tal paraíso, que deve ser chato demais de ficar sem fazer nada e não ter mais doenças e nem ter que chorar de dor por algo que deixamos de cuidar antecipadamente e corretamente com medicamentos ou até mesmo um chá de folha de maracujá contra dores... sabias disso???

Pois é amigos medicos ou tecnicos de enfermagem que nos acompanham a vida toda principalmente no meu caso desde menino muito doente, que tive morte clinica com um ano e meio de idade que o médico diz ao meu pai... seu filho está morto.... e o meu pai não aceitando tal fato... bate com a palma da mão no meu peito várias vezes que acaba fazendo funcionar o meu coração de novo!!!

Milagre diz o médico... mas o meu pai sempre teimoso, nem quis pagar a consulta pois o médico foram seus tapas que me fizeram reviver... e assim fui passando de tempos em tempos sendo atendido por outros médicos a medida que fui crescendo... e de repente soprando aquelas flores do campo que tem espinho que na verdade é a semente e voa junto mas tal espinho voa contra o meu olho e assim ao coçar o meu olho o espinho aprofundou na cornea sobre a íris do meu olho...

Assim aquele espinho criou em sua volta uma aureola branca que segundo o médico eu ja tinha perdido a minha vista esquerda.... mas como o meu pai sempre foi teimoso... arranjou uma lupa de aumento e me amarrou braços e pernas na cama e com a pinça retirou tal espinho e que naturalmente aquela mancha branca já era pus nos meus olhos... e que assim como pirata por alguns dias voltei a enxergar melhor que o olho direito...

Nada acontece ao acaso e como sempre fui menino arteiro... um dia vejo e empregado da fazenda encilhando o cavalo com a sela e ainda apenas apoiado nas costas do cavalo mas ainda mal apertado... subo pelo estribo e quando me apoio na sela o cavalo dispara e a sela vai virando para baixo da barriga do cavalo naquele trote... que mal me seguro e caio mas o meu pé que ainda estava no estribo fica preso e saio arrastado pelo cavalo por mais de 100 metros com a face toda esfolada na terra batida do caminho onde o cavalo passou... como a sela foi aluindo e acabou travando as pernas do cavalo ele parou ... e o empregado que estava encilhando me acudiu e me levou para casa...

De novo passei semanas dormindo sobre folhas de bananeiras para a nova pele não colar no tecido do travesseiro... e assim foi a minha primeira cirurgia plástica com nova pele que até hoje tenho pois ali perdi a vontade de andar a cavalo...

Hoje ando sobre 110 cavalos a vapor ou o meu carro com a sua potência em cavalos que prefiro pois esse jamais me derruba... pois até das motos desisti pois foram 4 acidentes em que um deles se não fosse o capacete estaria numa lapide no cemitério mais próximo... aqui Jaz... e nem gosto de Jazz por isso... eita nome estranho que tem apenas um z a mais mas prefiro com dois z do que com um só!!!!
Ivan Tadeu dos pobres
Enviado por Ivan Tadeu dos pobres em 19/02/2021
Código do texto: T7187821
Classificação de conteúdo: seguro


Comentários

Sobre o autor
Ivan Tadeu dos pobres
Praia Grande - São Paulo - Brasil, 75 anos
4844 textos (75941 leituras)
(estatísticas atualizadas diariamente - última atualização em 28/02/21 04:11)
Ivan Tadeu dos pobres