Capa
Cadastro
Textos
Áudios
Autores
Mural
Escrivaninha
Ajuda
Textos
Texto

CARTA AO MEU ANJO DE GUARDA

Minha amada, muito amada,

           Poderia começar dizendo que você jamais lerá isso já que Alguém lá em cima decidiu te levar pra fazer a companhia a Ele. Mas graças a Ele mesmo, eu tenho uma fé inabalável de que a coisa não pára por aqui. Também não creio que você tenha ido ensinar os anjos a tocarem as harpas como se deve, porque, na minha modesta opinião, tenho certeza de que, por serdes vós quem sois, já arrumou algo muito mais sério e importante pra fazer.

          Só uma coisa me deixa danada e é como dizia aquele poeta: por que amamos se vamos perder? Por que, com mil anjos do céu, nos dão as melhores companhias para levá-las de nós? Não tenho as respostas, como você bem sabe. Tenho, contudo, uma enorme dívida de gratidão com o Big Boss. Ele, na sua infinita e misteriosa sabedoria, deu-me o privilégio de ter sido sua irmã nesse mundo onde rastejamos feito répteis, na ilusão de sermos seres superiores...Superiores, bah! 

           O Cara sabe das coisas e tranquilamente te mandou e disse: "Vai lá , criatura, que aquela sua irmã mais nova já é um caso perdido e me restam poucas armas e você vai ser pra lá de eficiente". E foi assim que aprendi tudo. 

          Lembro de você me botando no colo pra ensinar as letras pra que, quem sabe assim, eu desse um pouco de sossego enquanto estivesse ocupada com as letrinhas. Lembro de você, já adulta, chegando em casa pra nos visitar, sempre com um livro nas mãos e dando-me minhas melhores asas: a imaginação. Lembro de voce, nos seus eventuais ataques de bronca, dar de cara na parede ou o teu pé no pé da mesa e soltando um sonoro "filho da puta", ao que se seguia uma infinidade de outras "maravilhas" e dando-me mais uma asa: o direito de sentir raiva e expressá-la sem culpa que era pra depois poder voltar ao normal sem me lembrar da ofensa recebida.
          Lembro-me de você, durante todo seu sofrimento humano, repetidas vezes dizer :"Eu to ótima, e pode apostar que vou ficar ainda melhor. Vocês ainda vão ter que me aguentar". E você me deu mais uma asa: a coragem. Aqui, um parênteses: ainda tenho muito que aprender a usar essa asinha...

         Tenho muita vontade de dizer que estou pdavida por terem levado você quando eu ainda tinha muito que aprender, tenho vontade de dizer que estou revoltada com a vida que deixa uma porcaria ficar e leva o que é bom... mas eu não posso. Não posso porque foi com você também que aprendi que nada é por acaso. Porque você aproveitou cada minuto seu por aqui pra cumprir cada pequena etapa da missão que lhe foi confiada e, se eu, na minha burrice, não aprendi tudo, tenho que pelo menos aprender a usar bem as asas que ganhei de você.

            Agora que você não está, entre aspas, porque na verdade, você está comigo mais que nunca, sua aprendiz vai tentar voar...E a culpa é toda sua. Quem mandou me encher de asas? Esqueci uma, provavelmente a principal. Você me deu as asas mais poderosas: as do amor. Deve ser por isso que te amo tanto.

            Dá licença, mana...Vou voar. A gente se encontra.

               Beijos da tua teimosa aprendiz,

               Eu

www.deboradenadai.prosaeverso.net

Débora Denadai
Enviado por Débora Denadai em 11/11/2008
Código do texto: T1277670

Copyright © 2008. Todos os direitos reservados.
Você não pode copiar, exibir, distribuir, executar, criar obras derivadas nem fazer uso comercial desta obra sem a devida permissão do autor.
Enviar por e-mail
Denunciar

Comentários

Sobre a autora
Débora Denadai
Caracas - Distrito Federal - Venezuela, 56 anos
722 textos (166220 leituras)
(estatísticas atualizadas diariamente - última atualização em 18/10/19 15:58)
Débora Denadai