Capa
Cadastro
Textos
Áudios
Autores
Mural
Escrivaninha
Ajuda
Textos
Texto

Carta para elmo sr soberano sobre todos os demais que se acham tudo

ELMO SR SOBERANO SOBRE TODAS AS COISAS (DEUS)

             Venho atraves desta, antes de mais nada, agradecer a oportunidade de ter ar puro para respirar.
             É sabido por muitos, a sua existência e no entanto temem a sua autoridade, mal sabem eles que és humilde apesar de seu tão alto cargo.
             Tendo assim esta oportunidade de lhe escrever, gostaria de deixar registrado algo de suma importância: a minha gratidão por tudo o que me proporcionou, como uma família (já que hoje isso é uma raridade).
             Sei que és mui ocupado com suas responsabilidades, e no entanto estás dando toda a atenção a está singela carta, por isso quero ser o mais breve possível e bem objetiva.
             Peço desculpas por minha indignação neste mundo, quando observo pessoas que por ter um cargo mais elevado em uma empresa, ou em uma associação de bairro ou qualquer outra entidade, substima a grã autoridade que é sem discussão , a máxima em sabedoria.
             Talves vejamos de uma forma não correta, por não resolver a nosso tempo as coisas, mas sabiamente cada resultado chega com deveras sublime elogiar dos que observam.
             Sei que esta minha posição em escrever-lhe , nada mais é do que um desabafo, porém sei que me entendes.
             Ás vezes sou egoista pensando apenas em meu próprio problema, sei deste meu erro e sou humilde em reconhecê-lo, cabe uma reflexão ainda além, para uma tomada de decisão.
             Gostaria já que não posso resolver todos os problemas deste mundo, então registrar aqui nesta carta uma declaração:
             Declaro para os demasiados fins que sou uma humilde serva de Deus, que neste mundo cheio de ódio, guerras, invejas, adultério, ganância, hipocrisia, inimizades, competições, entre outros, eu tenho a conviccão que é mui difícil ser integra, porém peço-lhe não mais paciência, e sim sabedoria para resolver meus problemas, peço-lhe não mais dinheiro mas a saúde para trabalhar e conquistar o que me é devido, peço-lhe não mais tudo o que lhe pedia antes, mas sim o dicernimento do que pensar, do que falar, do que escrever, e como agir diante de toda a iniquidade que observo em todos os lugares.
            Peço-lhe não mais para responder imediatamente quando eu grito, mas que me dê a certeza que me escutas, pois confio na resposta a seu tempo.
            Peço-lhe a direção, pois já sei que existe muitos caminhos, num quero o troféu de chegada em primeiro lugar, quero a minha resistência para ir até o fim.
            Desculpa, as vezes me sinto como os demais que só pedem, e agir fica como segundo plano, por isso imploro me dê a atitude de ação correta na hora certa, e não mais a mania de pedir e ficar esperando cair do céu, como vejo muitos fazerem.
            Sei que nestas linhas não conseguirei colocar todo o meu sentimento, porém agradeço sua disponibilidade em lê-la.
            Finalizo tendo em mente que o endereçamento é especial, por isso cabe a mim uma releitura, não somente na escrita, mas na vida.
                                        Sem mais subscrevo-me

                                             Atenciosamente
                                          sua eterna admiradora
                                              ____________
                                               CIDA MOURA
CIDA MOURA
Enviado por CIDA MOURA em 18/11/2010
Reeditado em 18/11/2010
Código do texto: T2622166
Classificação de conteúdo: seguro

Copyright © 2010. Todos os direitos reservados.
Você não pode copiar, exibir, distribuir, executar, criar obras derivadas nem fazer uso comercial desta obra sem a devida permissão do autor.

Comentários

Sobre a autora
CIDA MOURA
São Paulo - São Paulo - Brasil
2427 textos (134293 leituras)
(estatísticas atualizadas diariamente - última atualização em 28/01/20 17:19)
CIDA MOURA