Capa
Cadastro
Textos
Áudios
Autores
Mural
Escrivaninha
Ajuda
Textos
Texto

AS VOZES DE CADA UM

Boa noite amigo(a)!
Hoje foi um dia daqueles, cheio de melancolia, de nada para acontecer, nem fantasias consegui imaginar. De repente, mil vozes interiores confundiram o pensamento deixando um topor, uma inércia sem sentido, jogando os movimentos, simples, em valas feias e sem energia. Aí liguei a televisão e vejo catastofre; Luciano Huck num "lar doce lar", retornando a casa de uma família japonesa para ver o estado da casa que ele já havia reformado, antes era um lixão. E pasme meu amigo(a), a casa que foi entregue linda, limpa e maravilhosa, continuava um lixão!.
Diante desse caos, eu imaginei que minha melancolia não tinha tanto sentido de existir porque eu estava melancólia e não sou melancólica, enquanto aquela família nem se dava conta da inércia em que vivia; da falta de atitude, da falta de cuidado para consigo pois viver cercado de lixo enfeando sua vida é um sinal de que você não está nem aí para o mundo que o cerca e que não é só seu, você tem que partilhar com dignidade. É diferente de você trabalhar com o lixo para sobreviver.
Pois bem, isolei-me do pensamento para assistir a uma situação que me fez despertar da inércia e olhar onde estou metida.
Meu amigo(a) espero que esse início de semana seja bom e cheio de paz e tranquilidade para enfrentar a vida com todas as suas contradições, tentando sempre manter intacta sua dignidade, enquanto ser humano. Muita luz!
Um abraço.
Elvira.
Elvira Pereira de Araújo
Enviado por Elvira Pereira de Araújo em 12/03/2011
Reeditado em 04/01/2014
Código do texto: T2844252
Classificação de conteúdo: seguro


Comentários

Sobre a autora
Elvira Pereira de Araújo
Natal - Rio Grande do Norte - Brasil, 57 anos
65 textos (5057 leituras)
(estatísticas atualizadas diariamente - última atualização em 08/05/21 01:17)