Capa
Cadastro
Textos
Áudios
Autores
Mural
Escrivaninha
Ajuda
Textos
Texto

Carta nº nº10 - A Outra Face

Carta nº nº10

A Outra Face

Boa Noite,
 
 
23,30 horas.
Domingo de carnaval.
Tanto tempo não te escrevia...
Sinto tanta falta de falar contigo.
Te conto todos os dias as saudades que me consomem.
Mas, a poesia ficou amarga.
Como fel destilo as palavras.  Degladio comigo. Busco a suavidade que
me encanta e percebo que tornei-me, também, amarga!
Lá fora a alegria impera. Rostos   brilham. Sorrisos largos, suor. Anônimos reis por um momento.
Fugas.... Fogem dos problemas que se ocultam nas serpentinas e no fugaz brilho do olhar!
Tanta coisa para  acertar... despensa vazia. Contas a pagar. Dinheiro mal da para a primeira quinzena.
Depois... prato vazio, secura no olhar. Casa desfeita. O choro do dia a dia.
E surge a violência. Assassinatos. Agressões de todos os tipos.
Pontes ruem. Metrô afunda. Rios transbordam. A lama atravessa Estados. Enchente no Nordeste. Seca no Sul. Dengue no Centro-Oeste. Lavoura perdendo por excesso de água. Índios brasileiros que falam inglês.
Pensam em anistiar os bandidos do mensalão... aliás, negam a existência do mensalão, ou de qualquer outro "ão" que tenha havido!
Mudamos a lei ou mudamos nós - o que acha que deveríamos fazer ?
A Educação, a Segurança, a Saúde, pilares do País - constitucionalmente garantido - não existem.
Nossas leis são boas - apenas precisam ser aplicadas. E a sua aplicação tem de vir de cima para baixo...
Ou crês que o mau exemplo da impunidade dos políticos não se reflete em todos os jovens?
Todos dizem que  ninguém vai preso neste País...
E cresce o  séqüitos de famintos, mal-educados, sem saúde, sem esperança!
Por isso se refugiam nos  sonhos. Na efemeridade do momento.
Brasileiro é um povo feliz - é o que se houve a todo o momento... procure olhar bem no fundo dos olhos e verás a  tristeza que toma conta!
Em meio a musica, a fantasia, dos pierrôs e das colombinas, do espetáculo, da riqueza que desce na avenida, do riso fácil, é a desesperança que passeia!
O que buscam? O que querem? Procuram algo mais precioso que a fugacidade do momento.
É a outra face do dia a dia que acima te escrevi.
As pessoas  nos dizem com o olhar que querem encarar a realidade. Que querem comprometer-se e não mais alimentar  fantasias.
Querem tomar uma posição. Querem uma luz no fim do túnel. Querem a felicidade de poder  compartilhar a paz e a solidariedade.
É essa face que queremos. Dividir para somar.
Como amar quem nos machuca?
Como fazer o bem a quem nos faz o mal?
Como abraçar quem nos calunia e nos prejudica?
A Outra Face...
E o amor que descobrimos ao caminhar por esta senda.
Aposto  no futuro deste sonho. Aposto no Amor. Aposto na Paz.
Aposto na alegria do Viver!
Por isso te escrevo hoje, sinto falta da tua presença amiga a me dar forças.
Te necessito para guiar-me quando fugir-me a coragem.
Preciso do teu sorriso amigo quando tudo o mais falhar.
Preciso de ti para seguir adiante, pois és luz e o guia!
Vamos - dê-me tua força, tua coragem, tua presença em mim, sempre!
 
Delasnieve Daspet
Em Campo Grande-MS - 19 de fevereiro de 2007.
 
 

 
 
 
 
Delasnieve Daspet
Enviado por Delasnieve Daspet em 19/02/2007
Código do texto: T386664
Classificação de conteúdo: seguro
Enviar por e-mail
Denunciar

Comentários

Sobre a autora
Delasnieve Daspet
Campo Grande - Mato Grosso do Sul - Brasil, 68 anos
694 textos (32040 leituras)
(estatísticas atualizadas diariamente - última atualização em 18/07/19 21:12)
Delasnieve Daspet