Capa
Cadastro
Textos
Áudios
Autores
Mural
Escrivaninha
Ajuda
Textos
Texto

TESTAMENTO DE UM AMOR MORIBUNDO (Para ser lido antes que ele morra)l para o mercado vender mais. No entanto, eu gosto dela, por saber que tenho alguém para amar, e que mesmo dis


Eu bem sei que esta é apenas uma data que acabou virando um momento comercial para o mercado vender mais. No entanto, eu gosto dela, por saber que tenho alguém para amar, e que mesmo distante é alguém que está na minha vida para me lembrar de que eu existo e que ainda estou vivo.
Tenho plena consciência de que somos dois. Dois iguais e tão diferentes.
Eu penso que você entrou muito tarde na minha vida, mas antes tarde do que nunca. E se tivesse entrado antes, minha vida seria outra, não como é agora, com filhos, netos e ex-amores, uns tão queridos outros idos para sempre. Eu não os teria vivido tão intensamente. Cada qual com sua característica própria. Penso que me aprimorei para ter você e para ser teu namorado, embora perceba que você ainda não aprendeu a ser o meu.
A vida é muito rápida e um amor nos ensina a ser melhores. Não é o dinheiro que nos molda, mas sentimentos sinceros. Viver esperando o melhor momento pode acabar com a magia deste amor (que me parece moribundo, por isto este testamento). Logo este amor que começou como uma grandiosa maratona e que agora esta se apequenando.
Não deixe o tempo passar para falar de amor. Não deixe a oportunidade passar para descobrir o quão importante é este amor que você dizia ser o ideal, descobriu, viveu intensamente e agora se acomoda sem nem ao menos mostrar o quão importante somos na vida um do outro.
Eu já pedi socorro, meus braços cansam-se se debatendo e penso que se realmente ainda sou importante pra você salve-o, salve-me da solidão, salve-se de correr atrás do “nada”. Quase joguei a toalha desistindo de tudo e hoje ressuscito-o neste testamento, para que o amor não morra, que ele sobreviva à rotina pela sobrevivência e à distância.
Neste dia dos namorados eu te convido para aportar comigo nesta “ilha deserta” metafórica e que nela possamos olhar mais um para o outro e menos para um futuro que a Deus pertence enquanto ainda estamos vivos, saudáveis e nos amamos. Não deixemos que nosso amor morra por falta de atenção, como tantos outros já morreram, para que não lamentemos quando um de nós por qualquer motivo venha a dizer: adeus!
Infelizmente a única coisa valiosa que eu te deixarei, se acaso me disseres adeus, é este amor que vai sobreviver dentro de mim, como os outros que eu já vivi.

_________________________
12.06.18
MÁRIO FEIJÓ
Enviado por MÁRIO FEIJÓ em 12/06/2018
Código do texto: T6362544
Classificação de conteúdo: seguro

Copyright © 2018. Todos os direitos reservados.
Você não pode copiar, exibir, distribuir, executar, criar obras derivadas nem fazer uso comercial desta obra sem a devida permissão do autor.
Enviar por e-mail
Denunciar

Comentários

Sobre o autor
MÁRIO FEIJÓ
Capão da Canoa - Rio Grande do Sul - Brasil, 66 anos
4812 textos (306948 leituras)
(estatísticas atualizadas diariamente - última atualização em 24/06/18 06:27)
MÁRIO FEIJÓ