Capa
Cadastro
Textos
Áudios
Autores
Mural
Escrivaninha
Ajuda
Textos
Texto

Carta para Helena D. M.


  É... Mais uma carta para você...

  Os dias não são os mesmos, confesso que estão demorando mais tempo para passar, e as noites, se passam num piscar de olhos...
  Sabe de uma coisa? -Não né (risos), eu ainda não contei- Ainda lembro da nossa ultima ligação, foi a mais dolorida e, acho que será a mais difícil de engolir. Por que? Bom, ainda bem que perguntou (risos), simplesmente porque não durou mais de duas horas como as outras duravam, não teve o "então tá, vou te acordar às 8h, pode ser?", não teve sua respiração mansa após cair no sono me ouvindo cantar, e claro, foi o ultimo "eu te amo" que te ouvi dizer.
  Em sonhos eu ainda te encontro, mas ao acordar, me sinto tão frustrado por não sentir teu cheiro, nem sequer um "bom dia meu bebe" eu posso te mandar...
  Lembro dos nossos momentos até em minhas orações por ti, e, sinceramente, eles são uma espada de dois gumes! Primeiro me dão um sorriso ao sonhar acordado, mas logo após, me ferem o coração por não poder vive-los ou conta-los à você.
  Talvez a dor da solidão tenha o mesmo peso que a notícia de seu namoro atual, as duas dores devem ter aprendido a andar de mãos dadas, ou então, apenas aprendido a "segurar o dedinho uma da outra para caminha" (risos).
  Essa carta em si é um peso, um peso tirado de minha mente e, posto em um papel, embora eu saiba que nunca lerá, certamente criarei mais um "pensamento encantado" sobre isso, como se, seus olhos brilhassem ao ver seu nome no título e minhas angústias deslizadas nas letras, e logo em seguida, uma menagem tua chegando em minha caixa de mensagens do facebook, pedindo para conversar, ou tão somente um "nossa desculpa, você sabe que sou desastrada, enviei sem querer"... -Ah... Só de escrever eu já estou viajando...
  Saber que você jamais voltará me murcha mais a cada dia, não que eu seja como uma mas, poxa, também tenho sentimentos... Bom, não sei até quando escrever será o suficiente para te sentir ao meu lado, embora eu queira desfrutar desse enorme amor contigo, temo que Deus queira tira-lo de meu coração quando finalmente você decidir voltar.
  Não tenho mais que meu amor e uma vida humilde para lhe oferecer, talvez a singeleza em mim não te agrade mais, embora eu a tenha como uma riqueza. Mesmo assim, te garanto que seria a "ursinha" mais feliz e amada do mundo. Porém, se dessa maneira você encontrou a felicidade, quem sou eu para impedir a "minha" amada de ser feliz?
  As vezes antes de orar, eu olho para o lado e penso: Ela poderia estar aqui, para orar ao Pai junto a mim... Mesmo que sua ausência bata forte, e o "saber" que enquanto eu peço a Deus o teu guardar, você está deitada em outros braços, sonhando na madrugada, confortável e tranquila, eu não deixo de pedir que os anjos te rodeiem.
  Embora eu possa e queira escrever livros e livros de amor, lembranças, sonhos e bobeiras, é coerente entender que todas as palavras do mundo não descreveriam o nosso conteúdo.
  Bom... Ainda amo você, e espero que esteja bem, mas "bem mesmo" e não só "bem" (risos).
  Não sei como acabar esse texto, pois tenho tanto a lhe dizer... Porém, seriam palavras e sentimentos lançados ao vento... E em um mundo tão amargo, deve-se zelar pela doçura da paixão!


                                                                            Thiago Oliveira.
Thiago Oliveira
Enviado por Thiago Oliveira em 11/10/2018
Código do texto: T6473417
Classificação de conteúdo: seguro

Copyright © 2018. Todos os direitos reservados.
Você não pode copiar, exibir, distribuir, executar, criar obras derivadas nem fazer uso comercial desta obra sem a devida permissão do autor.
Enviar por e-mail
Denunciar

Comentários

Sobre o autor
Thiago Oliveira
São Roque - São Paulo - Brasil, 19 anos
35 textos (1207 leituras)
(estatísticas atualizadas diariamente - última atualização em 20/10/18 17:20)
Thiago  Oliveira