Capa
Cadastro
Textos
Áudios
Autores
Mural
Escrivaninha
Ajuda
Textos
Texto

Ola, Belo Pai!

Ola, Belo Pai!
Como queria saber como você esta nesse momento, preocupado?, Estressado? Nervoso? Ou talvez feliz e calmo? Posso não acreditar muito nessa ultima hipótese, me recorro aqui, sempre quis saber o porquê de tudo isso, vários motivos me levam a isso, como é impressionante o nosso mistério, quem nos seria capaz de nos desvendar?
Quem desconfiaria da nossa relação? Mas sempre fomos pai e filho, sempre apenas no sangue, teriam provas todos de fora da nossa imensa amizade que temos aqui dentro?
Onde esta as provas de nossa felicidade? Na boca do conselheiro? Ou na ponta de nossas línguas? Por que deixamos de viver? Pra onde foi essa preocupação? Esse amor de um pra o outro? E por quê?E de onde vêm todas essas perguntas? Por que eu sou assim? Sabes do medo que sinto de tudo, sabes que somos assim? E ninguém o tanto que isso nos faz sentido. Sabe o tanto que lutamos por nossas vidas boêmias, sinto meu corpo feder, minhas pernas suadas, e meu corpo pinicar todo, por simplesmente eu estar aqui depois de um dia de trabalho intenso, por todas aquelas rua de soja carpidas? Ou por todos aqueles passos dentro de um escritório atrás de algo pra se fazer? Seria fácil desvendar tudo isso, diz em que levaria ao calor intenso? Uma mulher ou sua própria mão? É duro lhe escrever tudo isso aqui, por que sei que estarei pra você em poucas horas ou até minutos e não ter a capacidade de lhe dizer tudo isso, nem que não precisava de olhar em seus olhos belo meu pai, chove muito lá fora, e meu corpo fede aqui, e cadê você pai? E cadê você filho? E cadê a minha sinceridade? Por vários anos procurei você! Pai onde você estava nas horas mais escuras? Do outro lado da linha, por trás do balcão! Quando me lembro de tudo isso tenho forças sim pra te dizer tudo que penso e devo dizer, cadê você nos raros momentos de felicidade em minha face? Tenho momentos pra ouvir a musica, e viajar, e sonhar no que sempre sonhei cadê você filho? Que eu queria estar ao seu lado? Nos lugares escondidos, ou no mato viajando no mundinho que sua família podia lhe proporcionar, onde esta sua sinceridade com seu pai? Sua dignidade, e principalmente seu afeto e o dinheiro que me pertencia? Na mão da sua mãe? Ou na mão de pessoas do mal? Onde esta o filho que eu tanto sonhei ter? A vida muda, nós mudamos, nem eu acreditei nessas mudanças prefiro não mais nem uma pergunta, pai você não tem a noção e a vergonha que sinto ver você pegar um real em sua carteira, ou pagar um vinho que eu tomei, e por quê? E me sinto acuado aqui meu pai, por mim mesmo, sabes que eu não sou um vencedor, mas insiste em dizer que venci só, e a chuva cai reta, e meu corpo piora, pense! Sabe que a minha vitória seria uma conquista que pra muitos é tão fácil como um passo, pai eu nem a o menos consegui vencer a mim mesmo, minhas pernas não se movem aqui pai, e onde esta você? E cadê a felicidade, cadê meu vinho? Ou um tabaco? Temos tudo pra dar certo, só falta eu! Tínhamos tudo pra dar certo só faltava eu! Em um beijo em sua boca só faltava eu! Afinal você me amava, e onde estava eu? É tão difícil deixar as pessoas que não amamos de lado, e por esse momento onde estava você pai/ em meus diários infantis? Em meios aos diálogos com Chuck? E você nem sabe de quem seria a culpa? Eu seria capaz disso pai? E por quantas palavras e folhas vou escrever? Pra nem dizer o que realmente queria te dizer? Tenho vergonha de tudo isso, de realmente saber que eu vou precisar de você meu caro pai, e que você vai precisar de mim meu pai, que somos úteis um ao outro, tenho vergonha de um abraço, ou de algumas palavras, Te amo, Como não vivo sem você, Quero um abraço meu pai, isso pra ambos os pais meu pai, por que consigo dizer isso pra mulheres que eu pensei ter amado? Em fim quem somos nós? Sabe vou lhe dizer uma cosia, vou fechar meu caderno e tomar meu banho com extras, e fazer meu maçarão instantâneo, me trocar, e ir ao seu encontro meu pai, e como eu consigo ser falso? Mas não se preocupes tudo aqui são verdadeiras, bem as outras pessoas acham o que suas cabeças devem achar, eu, você, sabemos que tudo isso faz sentido meu pai, tenho medo de pedir dinheiro a você meu pai, apenas pra levar essa vida boêmia que tenho, mas saiba que eu pensarei muito antes disso, pai há anos eu penso, me falta coragem de lhe pedir, de uma moeda a um abraço meu pai, porem eu lhe amo muito, mas do que se imagina porem nossas vidas condicionas sempre será assim.
Eu aqui, você ai meu pai amado.
Erasmo Junior.
05-02-07

Apesar de tudo nosso amor é sumo diante de todas relações.
Erasmo Whittner
Enviado por Erasmo Whittner em 15/09/2007
Código do texto: T653322
Enviar por e-mail
Denunciar

Comentários

Sobre o autor
Erasmo Whittner
Marialva - Paraná - Brasil, 30 anos
52 textos (4188 leituras)
(estatísticas atualizadas diariamente - última atualização em 15/12/17 18:41)
Erasmo Whittner