Capa
Cadastro
Textos
Áudios
Autores
Mural
Escrivaninha
Ajuda
Textos
Texto

Pontos e vírgulas

Onde, numa curva dessa nossa longa estrada eu esqueci e soltei sua mão, a qual eu mesma agarrei com tanta força, e me perdi de você pra sempre.
Quando, se não agora que você deveria olhar em meus olhos e me dizer com toda a sinceridade que talvez nunca vai me amar ou que não sabe o que e como é amar assim, do modo que eu te amo...
Como, nessa neblina que encobre as ruas e me ensurdece a alma e os tímpanos irei encontrar um novo caminho...
A verdade é que você nunca quis deixar nada mais que mentiras, talvez entrelinhas deve ter escapado alguma coisa, mas...
Meu coração não conseguiu, ou melhor, não quis ouvir o que os pontos e as vírgulas tanto tentaram mostrar.
Me sentindo só, diria que me encontrei de uma maneira pura, só minha e totalmente minha...
Quantas noites sem dormir, quantos sonos a velar, quantas almas a colher só pra ouvir sua voz.
Me dá suas asas... me ensina a galopar... me mostra os lindos olhos de anjo que você pode ter.... me ajuda a tirar os pés do chão... só me guia, onde tudo se perdeu!!!
Mas quanta filosofia, vamos simplesmente abrir os olhos para o mundo, ou melhor eu preciso abrir os meus, que vontade de pular daqui de cima, e cair de qualquer jeito na sua idéia de amor...
Mas que amor??? Já não lembro de ouvir você falar desse sentimento, que estranho, já tenho que forçar a mente pra lembrar você, como se esquece rápido, como se deixa de gostar assim???
Nada sei de tudo o que acontece dentro de mim. Sei apenas que por você eu me tornei quem hoje sou e por ser quem hoje sou eu tive que te matar dentro de mim.
De vez em quando voce ainda se faz presente, mostra que tem força que vem com tudo e que nada pode te destruir assim, mas meu espírito te reduz e você passa como uma brisa, escorre um lágrima de saudade e logo estou sorrindo de novo.
É o que você se tornou dentro de mim, uma brisa, uma vírgula, um algo que nem sei quê é; Apenas passa de vez em quando...
Talvez argumentos pra de vez em quando ouvir sua voz, mas lembra quantos pontos você colocou quando disse que não, e lembra quantas vírgulas fiz questão de colocar desde aquele dia.
As pesoas mudam demais e eu acho que por isso tive que mudar também, você não fez parte de mim, só fez parte da minha história e que um dia pretendo contar assim.
Esse foi o homem que eu um dia amei...
Entre pontos e vírgulas...
 
Nathalya Etchebehere
Enviado por Nathalya Etchebehere em 02/10/2007
Código do texto: T677680

Copyright © 2007. Todos os direitos reservados.
Você não pode copiar, exibir, distribuir, executar, criar obras derivadas nem fazer uso comercial desta obra sem a devida permissão do autor.
Enviar por e-mail
Denunciar

Comentários

Sobre a autora
Nathalya Etchebehere
Ribeirão Preto - São Paulo - Brasil, 33 anos
254 textos (23162 leituras)
(estatísticas atualizadas diariamente - última atualização em 11/12/17 10:05)
Nathalya Etchebehere