Capa
Cadastro
Textos
Áudios
Autores
Mural
Escrivaninha
Ajuda
Textos
Texto

TREM QUE PASSA



Desculpe-me se estou sendo indiscreto
nesse mar de incertezas desonestas.
Não escondo de ti o esplendoroso céu
que nos aguarda se me deres uma certeza.
Não esconda de mim a tua face,
pois sou aquele que na noite te espreita.
Dá-me o doce alucinante desse mel
que dos teus lábios derretem feito cera.
Está carta escondo de mim mesmo,
pois não quero reviver esse martírio.
Ao ouvir teu nome te desejo,
não com ares do pecado malfazejo.
Meu desejo se transforma em despejo,
quando sinto um julgo desigual.
Bem que sei que não tenho o que sobra
e o que falta não sobre em mim a transbordar.
Nos vagões desse trem tenho remorso,
pois escrevo para alguém que nunca vem.
Da janela vejo a paisagem que distorce
e o trem que passa sem ninguém.

Carlos Wagner
Enviado por Carlos Wagner em 07/11/2019
Código do texto: T6789332
Classificação de conteúdo: seguro

Esta obra está licenciada sob uma Licença Creative Commons. Você pode copiar, distribuir, exibir, executar, desde que seja dado crédito ao autor original. Você não pode fazer uso comercial desta obra. Você não pode criar obras derivadas.
Enviar por e-mail
Denunciar

Comentários

Sobre o autor
Carlos Wagner
Missão Velha - Ceará - Brasil, 33 anos
19 textos (566 leituras)
(estatísticas atualizadas diariamente - última atualização em 16/11/19 23:24)
Carlos Wagner