Capa
Cadastro
Textos
Áudios
Autores
Mural
Escrivaninha
Ajuda
Textos
Texto

''Pra você, minha amada''

Eu não quero que você se entregue para o ódio, eu quero lhe ver bem feliz durante toda a sua vida. Quero sentir os seus cabelos nos meus braços e afagá-lo com todo carinho possível. Por mais que eu tente lhe esquecer vem uma força estranha e me diz: você a ama e é tudo não dar pra viver sem ela, esquecer como? Ela já mora em mim alugou o meu coração e não paga nem aluguel, dos meus pensamentos é a dona manda em mim, assim ta difícil.
Olha você sempre foi e será a menina linda de cabelos longos a bailar na luz colorida dos meus olhos, a minha menina dos meus olhos. Eu não queria, mas acabei lhe perdendo, que amor é esse que não lhe dar um modo ou uma razão de buscar outra forma, um meio, uma razão de não pensar, o tempo passa mais ela ta ali pronta pra entrar em cartaz no seu pensamento. Quando você acabar de ler isso quero que você sinta no seu coração que eu lhe amo demais. Amar e sofrer são dois verbos mais eu prefiro a ''amar'' o outro deixa pra lá, como diz o ditado ‘nada melhor que um dia atrás do outro. Você sabe que eu te amo muito, você preenche todos os meus vazios dessa minha vida que vive a tua procura, não sai do meu pensamento. Pra falar sério tu eis e sempre será a minha menina de cabelos longos, a melhor coisa e a pior coisa que me aconteceu, um amor que não aconteceu, ficou uma paixão que nem mesmo o tempo foi capaz de apagar, por onde anda você? Estou por aqui ainda tentando lhe esquecer, continuo sendo masoquista, gosto de sofrer por você. Esse seu jeito de viver acontecendo e sempre acontecendo em mim, num raio muito próximo da loucura da dor me deixa louco, você é cada momento como uma árvore que suas raízes já são profundas que não adianta podar os galhos tem que matar as raízes, buscar o infinito da raiz e matá-lo. No dia que eu morrer, quero o seu nome gravado numa fita rosa amarrada no meu pulso direito. Aconteça o que acontecer só existe uma realidade é que eu te amo demais, quando você se quiser poderá ser muito tarde, eu poderei ter lhe esquecido. Eu não quero que isso aconteça, pois eu preciso muito de ti, pra chegar algum lugar, afinal você é minha bússola o meu sol, o meu caminho a minha vida e o meu ar. Não lhe culpo por nada, eu sou o grande culpado dessa historia toda, você está apenas sendo usada por pensamentos loucos e torturantes.
 
De seu amigo que só quer ser apenas o seu namorado ou ser o seu marido, até que a morte nos separe.

José Aprígio da Silva.
Feito: 11/06/78.
Correção e ampliações: 10/11/07.

Caro amigos do recanto e demais leitores o fato transcrito acima até hoje é uma grande incógnita ainda não se resolveu é um caso pendente, sem solução até hoje. Sei que minha amada se casou é dona de um mercado e vive bem com seu amado, como já falei e escrevi sou um tremendo masoquista gosto de sofrer, será que isso tem remédio meu caro leitor???? Não pensar é algo difícil é como respirar não dar, como fazer dá???? Essa carta nunca foi enviada talvez ela possa ler agora neste espaço do recanto e se lembrar de mim, desse bobo poeta e fazer o seu comentário. Em nenhum momento citei o seu nome pra não lhe comprometê-la com seu amado e não criar caso pra mim também e tenho um acróstico, feito em sua homenagem, mas se ela ler saberá que foi pra ela, só pra ela.

José Aprígio da Silva.


JOSÉ APRÍGIO DA SILVA
Enviado por JOSÉ APRÍGIO DA SILVA em 10/11/2007
Reeditado em 10/11/2007
Código do texto: T731567

Esta obra está licenciada sob uma Licença Creative Commons. Você pode copiar, distribuir, exibir, executar, desde que seja dado crédito ao autor original. Você não pode fazer uso comercial desta obra. Você não pode criar obras derivadas.
Enviar por e-mail
Denunciar

Comentários

Sobre o autor
JOSÉ APRÍGIO DA SILVA
Ceilândia - Distrito Federal - Brasil, 58 anos
1709 textos (155019 leituras)
1 áudios (36 audições)
(estatísticas atualizadas diariamente - última atualização em 15/12/17 20:14)
JOSÉ APRÍGIO DA SILVA