Capa
Cadastro
Textos
Áudios
Autores
Mural
Escrivaninha
Ajuda
Textos
Texto

9 .

      Excelentíssimo Sr . Paz

      Não tive " culpa " ao me apaixonar perdidamente pela sua mulher . E nem ela , muito menos . Talentosa , cativante , bonita , bem - humorada . À distância , só qualidades . Deveria ter defeitos , claro , somos todos humanos , mas eu , cego de paixão , não percebia .

       Pode ser piegas descrever desse jeito um sentimento a uma pessoa tão conceituada como o senhor ( não estou puxando o saco , nem teria motivo para tanto , e não lhe devo favores tampouco ) , mas não consigo me expressar de outro modo . O Sr . é bem sucedido , uma carreira premiada , inúmeros elogios , também escreve muito bem , tanto quanto ela . Se eu travasse algum tipo de " duelo " com o Sr . , eu sairia perdendo , não por ser um loser convicto , mas porque nossos currículos têm diferenças gritantes : o do Sr . esmaga o meu , sem exageros .

      O Sr . é mais maduro , experiente , não se deixaria abater por um sentimento ou um devaneio de um fã , que de longe praticamente fez de tudo para conseguir o amor daquela que tanto admira , mas não percebeu a possibilidade de um amor verdadeiro entre vocês , e que um belíssimo casamento , com duas filhas maravilhosas , poderia estar se esfacelando . Não sou cafajeste . Não sou don - juan . Não sou mau caráter . Se existe " culpa " nessa história , parece ser do sentimento . Poético , admito , mas não serve de nada diante de uma mágoa .

      Ela , sem saber , deu motivo . Tanto texto sobre amor , carência , vontades , e eu vivendo tudo aquilo também . Chamada de mal - amada pela web afora , eu acabei perdidamente obcecado por ela e - surpresa ! - não me arrependo até agora . Não aconteceu nada entre a gente , nunca , até porque nunca soube se eu fui , de fato , correspondido . Ela deve ter ficado feliz e triste ao mesmo tempo , afinal não é todo dia que a gente recebe elogio sincero e apaixonado .

      Aprendi a admirar o Sr . e a sua serenidade , até profissionalmente . Imagine , um desempregado como eu versus um profissional de carreira brilhante , internacionalmente reconhecido , e com zilhões de amigos e contatos ? Fui inocente , mas o sentimento não .

      Não sei se vocês se separaram e não é da minha conta , eu sei disso , mas desejo TUDO DE BOM , do fundo do meu coração , a pessoas idôneas e irretocáveis como vocês , e prometo daqui por diante ser mais frio e calculista : quando esse coração maluco aqui entra em jogo , aflorado pelo sentimento , pode estragar uma história linda de amor , e esse , definitivamente , não era o caso . E não foi . Perdi . Tenho que ver o amor sob um prisma mais racional , ou me ferro novamente .

      Com respeito , consideração e admiração ,

      Eduardo L . G . Menezes

      Publicitário
Rodrigo Germano
Enviado por Rodrigo Germano em 04/12/2007
Reeditado em 04/12/2007
Código do texto: T764263
Enviar por e-mail
Denunciar

Comentários

Sobre o autor
Rodrigo Germano
Porto Alegre - Rio Grande do Sul - Brasil, 45 anos
62 textos (4445 leituras)
(estatísticas atualizadas diariamente - última atualização em 18/12/17 20:56)
Rodrigo Germano