Capa
Cadastro
Textos
Áudios
Autores
Mural
Escrivaninha
Ajuda
Textos
Texto

Négriers e Bagnari I

          As irmãs Bagnari são uma quase lenda invocada e recontada a cada reunião de família em que cada um de nós, os irmãos Négrier, puxa pela memória e desata o fluxo de consciência que carrega consigo desde sempre.  Ana Maria Bagnari, minha colega e mais nova que eu dois dias, Silvana, colega da minha irmã Isabel, e Franca, a irmã mais velha delas, fazem parte das experiências e memórias que foram construindo a nossa identidade desde a infância.
          Inesquecíveis os dias que passávamos juntos. Entre eles, está aquele passado na nossa casa, em que as Bagnari e nós decidimos brincar de igreja. A coisa funcionava assim: o meu irmão Carlos era o padre; o sobrinho novinho das Bagnari o sacristão, e as meninas todas, as fiéis que iriam à igreja comungar.
          Uma quantidade absurda de bananas foi descascada e cortada em rodelas, sob o olhar atento da Vovó Janny que quis saber para o que era aquilo. Íamos brincar de igreja e as rodelas de banana seriam as hóstias. Ah, bom, cuidado com essas facas. A montanha de hóstias obrigava o padre a abençoar e a dar a comunhão repetidas vezes àquelas beatas que de tanto o fazerem estavam livres até dos pequenos pecados que ainda não tinham cometido.
          Mas não ficamos por aí. O padre empunhava um pequeno cálice do qual não só ele tomava um gole, mas todas as beatas também, a cada rodela de banana depositada na língua. A minha irmã Lita, a Isabel, ria um risinho nervoso, os olhos franzidos quase fechados, e só de a ver, todos davam gargalhadas. A Nina e eu já estávamos tontas. O Vinho do Porto ou o Licor de Cacau fazia já seus efeitos, quando a Vovó entrou na sala e deu pela garrafa. Acabou logo com a Igreja, com aquela comunhão de bananas e licores, mandando-nos brincar no jardim e nos balouços.  (continua)
Anabela Bingre de Négrier
Enviado por Anabela Bingre de Négrier em 05/01/2010
Código do texto: T2012449

Copyright © 2010. Todos os direitos reservados.
Você não pode copiar, exibir, distribuir, executar, criar obras derivadas nem fazer uso comercial desta obra sem a devida permissão do autor.
Enviar por e-mail
Denunciar

Comentários

Sobre a autora
Anabela Bingre de Négrier
Ponta Porã - Mato Grosso do Sul - Brasil
18 textos (1705 leituras)
(estatísticas atualizadas diariamente - última atualização em 24/10/19 01:09)
Anabela Bingre de Négrier